segunda-feira, 1 de abril de 2024

FOME

 



Aqui, na Terra, a fome continua, 
A miséria, o luto, e outra vez a fome
Acendemos cigarros em fogos de napalme 
E dizemos amor sem saber o que seja. 
Mas fizemos de ti a prova da riqueza, 
E também da pobreza, e da fome outra vez. 
E pusemos em ti sei lá bem que desejo 
De mais alto que nós, e melhor e mais puro. 

No jornal, de olhos tensos, soletramos 
As vertigens do espaço e maravilhas: 
Oceanos salgados que circundam 
Ilhas mortas de sede, onde não chove. 

Mas o mundo, astronauta, é boa mesa 
Onde come, brincando, só a fome, 
Só a fome, astronauta, só a fome,
E são brinquedos as bombas de napalme.


José Saramago , Os Poemas Possíveis.


Em pleno século XXI " aqui, na terra a fome continua " . Andam os" Astronautas " a explorar o espaço, enquanto vemos, chocados, crianças a morrerem de fome. E o desperdício? É tanto...tanto...

Emília Pinto

23 comentários:

  1. Boa noite de Oitava de Páscoa, querida amiga Emília!
    Um poema atual, parece escrito hoje.
    "E dizemos amor sem saber o que seja. "
    Resume toda mensagem poética.
    Se soubéssemos, nem guerra haveria. Quanto mais criança passando fome e outros males de consequência.
    Tenha um tempo Pascal abençoado!
    Beijinhos pascais

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se de facto soubessemos o verdadeiro significado da palavra AMOR, não teríamos essa miséria humana, com imagens que nos chocam, principalmente das crianças definhando até morrerem de fome. Sentimos até vergonha de pertencermos à raça humana, não é verdade, querida Roselia? Muito obrigada pelo tanto de carinho que sempre dás às minhas publicações. Um beijinho e votos de paz e saúde
      Emilia

      Eliminar
  2. Parece escrito hoje o poema!
    Infelizmente a fome campeia o mundo!
    beijo, feliz ABRIL! chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parece impossivel que ainda se morra de fome em pleno sec.XXI , onde as conquistas conseguidas são tantas e junto com elas vemos um desperdicio de recursos, em todas as áreas da nossa sociedade. Uma vergonha, Chica ! Obrigada pelo carinho da visita e que tenhas um Abril sereno, com saúde para todos vós . Beijinhos
      Emilia

      Eliminar
  3. Maravilhoso de ver e ler. Cumprimentos poéticos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Ricardo, pelo carinho Fico contente que tenhas gostado! Beijinhos
      Emilia

      Eliminar
  4. Querida amiga, este poema de José Saramago retrata uma realidade que dói e envergonha.
    E tudo está a acontecer tal qual ele descreve em cada verso. E continuará, enquanto o Homem
    não parar a guerra e der uma oportunidade à Paz.
    Amiga, bom seria se tudo isto fosse uma mentirinha do primeiro de Abril. Infelizmente não é, e o mundo vive uma realidade atroz.
    Beijos e abracinhos. Um lindo e calmo Abril.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tenho esperança nenhuma de que o Homem " dê uma oportunidade à paz ", querida Teresa, pois sempre houve guerras; o poder e o dinheiro mandam muito e os poderosos do mu do querem sempre mais. Nunca pensei ver imagens aterradoras como as que nos entram pela casa dentro, todos os dias e é como dizes...." dói e envergonha " . Amiga, façamos a nossa parte, espalhando a paz à nossa volta e, sempre que pudermos, matemos a fome a quem não tem nada para comer Beijinhos carregadinhos de amizade. Obrigada pelo carinho!
      Emilia

      Eliminar
  5. O Mundo continua mergulhado em guerras...e no desespero de todos...
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sempre foi assim, Marta e, na minha opinião, nada mudará nesse aspecto, infelizmente. Beijinhos e muito obrigada pela visita
      Emilia

      Eliminar
  6. Um poema que espelha a verdade... Adorei :)
    .
    Coisas de uma Vida...
    Beijos e uma excelente semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma verdade muito triste e dificil de aceitar, Cidália!!! Beijinhos e espero que tudo esteja a melhorar aí em tua casa, no que respeita à saúde do teu marido. Muito obrigada, Amiga!
      Emilia

      Eliminar
  7. Verdade, Emília
    Bem retratado o poema do poeta .
    Vamos crer que um futuro melhor virá, vamos crer!
    É crendo que o milagre acontece_ há poder na palavra e na oração.
    Vamos lá, amiga .
    Beijinhos e bom mês que se inicia, boa primavera !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Crer, Lis, para, pelo menos, conservarmos a nossa sanidade mental e continuarmos a caminhar com alguma alegria, porque do jeito que as coisas estão por esse mundo fora, é muito difícil ter esperança " num futuro melhor " . Mas, quem sabe? Acreditemos, então...
      Obrigada pelo carinho da visita e um bom outono, com saúde e serenidade. Beijinhos e até breve, aí em tua casa. Tenho andado um pouco ausente....
      Emilia

      Eliminar
  8. Bom dia, querida Emília
    A fome existiu e existirá sempre fruto de más decisões, de secas, de
    descaso de quem tem a responsabilidade de suprir às necessidades da
    sociedade. Há um outro tipo de fome, talvez mais cruel, que se vê nos
    dias de hoje produto das guerras e duma certa forma de egoísmo, de
    luta pelo poder não levando em conta a fragilidade dos civis que não
    têm para onde fugir. "Mas as crianças, Senhor, por que lhes dais tanta dor? "
    Isso é o que dói mais.
    Muito obrigada, amiga, por nos trazeres este poema do nosso Prémio
    Nobel da Literatura, José Saramago.
    Desejo-te dias bons, com saúde, ao lado da Família.
    Beijinhos
    Olinda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas as crianças, Olinda, em pleno sec XXI a morrerem de fome e o mundo desperdiçando tanta comida, choca e envergonha. Se já não bastassem as desgraças naturais, secas, cheias, terramotos, vem o homem e mata só pelo poder e pelo dinheiro. As guerras são muitas por todo o lado e quando não são as guerras, são os governantes que teimam em não cuidar das pessoas e gastam o dinheiro naquilo que não é prioritário. As festas, os fogos e outras diversões são necessárias, mas primeiro há que matar a fome ao povo. Há muito desperdicio em todos os sectores e, claro, os recursos não chegam para tudo. Querida Amiga, façamos a nossa parte que é muito pouco, mas que é um dever como cidadãos que somos. Beijinhos e saúde para todos vós aí em casa
      Emilia

      Eliminar
  9. Olá , Emília,
    Excelente escolha, com este poema do José Saramago.
    Tristemente sempre, houve guerras e ao contrário do que alguns defendem, as guerras, não são um fenómeno inevitável ou natural ,mas antes uma forma de violência humana, que bem podia ser evitada através do diálogo e do respeito pelas diferenças de cada um.
    Quero acreditar, pelos meus netos, que o mundo vai melhorar...que mais lhes podemos dizer!
    Se cada um de nós fizer a paz no seu lar, se cada um de nós olhar para quem está ao nosso lado com respeito, com empatia...é um pouquinho de paz que se cultiva.
    Doí-me a alma, saber que em pleno século XXI continuam crianças a morrer de fome e sede.
    Abraço e brisas doces **

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade. Maria, as guerras seriam evitadas se houvesse vontade de dialogar e de respeitar as diferenças que há em todos os povos, mas o que querem, os poderosos, é cada vez mais poder e dinheiro e por isso há as guerras. Precisamos de acreditar num mundo melhor pa4a preservarmos a nossa sanidade mental, mas é dificil....
      E é como dizes, Maria, temos de fazer a nossa parte, respeitando o outro e não deixar que à nossa volta não haja uma criança com fome. Obrigada, Maria, pelo belo comentário e desejo-te muita paz e saúde
      Beijinhos e " brisas doces "
      Emilia

      Eliminar
  10. Saramago teve, tem e terá sempre razão. A humanidade não consegue resolver os problemas das guerras e da fome que elas provocam.
    Fizeste uma excelente escolha poética.
    Boa semana, querida amiga Emília.🌼
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso, Jaime, o homem não consegue viver sem guerras, porque nelas há muitos interesses. Obrigada, Amigo, pela visita e desejo que à tua volta haja sempre paz e saúde para todos aí em casa. Beijinhos
      Emilia

      Eliminar
  11. A fome de muita gente deve envergonhar-nos. Ler saramago é sempre inspirador. Gostei deste poema que já conhecia, mas é sempre bom lê-lo muitas vezes.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Envergonha, sim, esta fome provocada pela mão do homem em tantas guerras espalhadas pelo mundo. Tanto desperdício e ao mesmo tempo tanta fome...
      Obrigada, querida Graça! Beijinhos e saúde para todos vós
      Emilia

      Eliminar
  12. Oi, querida Emília, fui descendo, achando lindo, forte, verdadeiro e...
    dei de cara com Saramago!!! Só podia...
    E que "trio terrível", amiga, a fome , a miséria e o luto!
    Que loucura estão essas duas guerras, vejo o terrível sofrimento
    daqueles povos, que desumanos... dizer isso é pouco.
    E o mundo vê pela TV e...nada!!! Só falta nos acostumarmos com o
    sofrimento, a morte, a crueldade... Aterrorizados todos já estamos, imagina
    por lá! Quando vão parar, amiga? Quando vamos ver um 'basta' firme e forte?
    Jamais pensei em ver um terror desses nesse século, pensava que não haviam
    mais monstros assim! Mas cá pra nós, amiga, o mundo está muito mais violento,
    as cidades... não dá para afrouxarmos a vigilância! Temos muitos cuidados por aqui.
    Muito bom, querida amiga, uma postagem show!
    Uma boa semana, paz para todos aí, esse mês é o Dia da Liberdade, o 25!
    Abraço a todos nossos irmãos portugueses, é muita emoção, aqui sabemos bem...
    Beijinhos!

    ResponderEliminar