terça-feira, 3 de dezembro de 2019

PUBLICIDADE - CONSUMO



imagem da net



Aqui a meu lado o bom cidadão
escolheu Sagres
que é tudo tudo cerveja
a pausa que refresca a longa pausa de um longo cigarro King Size.


atenção ao marketing

Eu não gosto de cerveja
mas tenho de gostar que os outros gostem de cerveja
sobretudo da Sagres
para não contrariar os fabricantes de cerveja
.
atenção ao marketing
.
ninguém contraria os fabricantes da Opel e da Super
Silver
nem os fabricantes de alcatifas para panaceias
nem as panaceias nem os códigos e os édredons macios
nem as mensagens de natal dos estadistas
nem os negociantes de armas da Suiça
nem o homem da capa negra que virou costas ao Palmolive.


Sagres é uma boa cerveja
e eu acabarei por gostar da Sagres
como gosto do Rexina.
Sagres é a pausa que refresca e tem vitaminas
todas as bebidas da televisão têm vitaminas
mesmo as do programa literário que é detergente
e eu uso-as e sou um cidadão perfeito
e até já consigo adormecer sem hipnóticos
depois de tomar o Tofa descafeínado
e no Verão visto calções de banho de fibras sintéticas
para me banhar na Torralta
cidadão perfeito perfeitamente bronzeado com o Ambre
Solaire.


Preciso e gosto de uma data de coisas
e só agora o sei.
Menos da Sagres. Mas acabarei por gostar .
Ninguém contraria o marketing por muito tempo.
Ninguém com contraria os fabricantes de bem fazer
o bom cidadão.
E tudo graças ao marketing


Fernando Namora - in Marketing
Citador


Estamos num mês que, devido à quadra que se aproxima, leva-nos a um maior consumo e a publicidade tem uma grande influência nesse consumo, tantas vezes, exagerado

Gostei da maneira como Fernando Namora trata este tema; com um certo humor ele mostra-nos o poder que a publicidade tem sobre nós.

Emília Pinto

sexta-feira, 15 de novembro de 2019

OK....OK...OK.....






OK...Ok...temos de aceitar que as misérias humanas são muitas em todo o mundo; ok….sempre foi assim, continua a ser e assim será sempre...Ok...pouco podemos fazer…


Emília Pinto


quarta-feira, 16 de outubro de 2019

A IRRESPONSABILIDADE DA MULTIDÃO


Foto da net






A multidão que se chama parlamento nunca se sente tão feliz como quando pode calar com gritos um orador e derrubar um ministro
A multidão que se chama comício agita-se e exalta-se, mal um grito a incita a bradar «Abaixo!» sob as janelas de um inimigo ou a reclamar a cabeça de um indivíduo odiado ou ainda a queimar qualquer símbolo do poder, quer se trate de um panfleto, quer de um palácio de justiça; a multidão reunida num teatro que dá pelo nome de público pode aplaudir uma peça nova, mas, quando estimulada, não hesita em condenar e precipitar à força de uivos e assobios quem supunha tê-lo conquistado e ser-lhe, pelo engenho, superior.
No fundo,  toda a multidão é um público, que não quer dispersar sem ter assistido a um espectáculo. No entanto, selvagem como é, prefere os espectáculos trágicos; sente o circo dos gladiadores ou o torneio, mais do que a fábula pastoral. Quando se animaliza, quer sangue - pelo menos, vê-lo.
Estar entre muito incute a sensação de força, ou seja, da prepotência e, ao mesmo tempo, a certeza da irresponsabilidade e da absolvição.




Giovanni Papini, in Relatório sobre os Homens





Todos os dias vemos as consequências desastrosas de uma multidão em fúria...um verdadeiro " circo de gladiadores " Vejamos o estado em que está a bela cidade de Barcelona, por exemplo. Hoje lá, amanhã num outro qualquer lugar

Emília Pinto













quarta-feira, 2 de outubro de 2019

TRISTES SAPATINHOS







E o rio Danúbio, com a beleza das suas águas azuis homenageia as vítimas desta atrocidade tremenda e faz com que todos reflitam nas barbaridades de que é capaz um ser chamado de humano. Quem olha aqueles SAPATINHOS, de certeza, sai do local angustiado. De tudo o que conheço desta época negra da história, este memorial foi o que mais me chocou .Infelizmente, ainda hoje, milhares de sapatinhos ficam espalhados por todo o lado, chorando os pés que os calçavam.


Sei que muitos de vós já visitaram este memorial, mas eu nunca tinha ouvido falar dele e resolvi partilhar connvosco a emoção que senti ao olhar estes Sapatinhos de Bronze

Emília Pinto

terça-feira, 10 de setembro de 2019

CASA DE PAPELÃO




Casas de lata, casas de papelão e.....são tantas....pra mais de um milhão. Quanta verdade!

Emília Pinto

domingo, 1 de setembro de 2019

CONFIANÇA






O que é bonito neste mundo, e anima,
É ver que na vindima
De cada sonho
Fica a cepa a sonhar outra aventura...
E que a doçura
Que se não prova
Se transfigura
Numa doçura
Muito mais pura
E muito mais nova




Miguel Torga



Não é a primeira vez que o Começar de Novo regressa às suas actividades com poemas de Miguel Torga. Estamos em época de vindimas no Douro, região que ele adorava e, então resolvi homenageá--lo de novo neste recomeço. Gostei muito deste poema e espero que aconteça o mesmo com todos os meus amigos

Emília Pinto

quinta-feira, 1 de agosto de 2019

AGOSTO - FÉRIAS

Imagem da net



Agosto é para nós, portugueses, considerado o mês de férias e, como de costume, aproveito para fazer uma pausa no Começar de Novo. Sei que para os meus amigos brasileiros este mês mão significa muito e que tiveram férias no passado mês de Julho. Não quero dizer que, durante este tempo, estarei ausente, mas, sim, que não haverá publicações. Sempre que possivel visitarei os vossos cantinhos e deixarei umas palavrinhas. A todos umas boas férias, com muita alegria e saúde


Obrigada pelo carinho que recebo sempre de todos vós

Emília Pinto