sexta-feira, 13 de maio de 2022

MAIO .....


" Estamos em maio, o mês das flores, o mês sagrado pela poesia. Não é sem emoção que o vejo entrar. Há em minha alma um renovamento; as ambições desabrocham de novo e, de novo, me chegam revoadas de sonhos. Nasci sob o seu signo, a treze, e creio que em sexta-feira; e, por isso, também à emoção que o mês sagrado me traz, se misturam recordações da minha meninice. Agora mesmo estou a lembrar-me que, em 1888, dias antes da data áurea, meu pai chegou em casa e disse-me: a lei da abolição vai passar no dia de teus anos. E de fato passou; e nós fomos esperar a assinatura no Largo do Paço. Na minha lembrança desses acontecimentos, o edifício do antigo paço, hoje repartição dos Telégrafos, fica muito alto, um sky-scraper; e lá de uma das janelas eu vejo um homem que acena para o povo. Não me recordo bem se ele falou e não sou capaz de afirmar se era mesmo o grande Patrocínio. Havia uma imensa multidão ansiosa, com o olhar preso às janelas do velho casarão. Afinal a lei foi assinada e, num segundo, todos aqueles milhares de pessoas o souberam. A princesa veio à janela. Foi uma ovação: palmas, acenos com lenço, vivas... Fazia sol e o dia estava claro. Jamais, na minha vida, vi tanta alegria. Era geral, era total; e os dias que se seguiram, dias de folganças e satisfação, deram-me uma visão da vida inteiramente festa e harmonia. Houve missa campal no Campo de São Cristóvão. Eu fui também com meu pai; mas pouco me recordo dela, a não ser lembrar-me que, ao assisti-la, me vinha aos olhos a "Primeira Missa", de Vítor Meireles. Era como se o Brasil tivesse sido descoberto outra vez... Houve o barulho de bandas de música, de bombas e girândolas, indispensável aos nossos regozijos; e houve também préstitos cívicos. Anjos despedaçando grilhões, alegorias toscas passaram lentamente pelas ruas. Construíram-se estrados para bailes populares; houve desfile de batalhões escolares e eu me lembro que vi a princesa imperial, na porta da atual Prefeitura, cercada de filhos, assistindo àquela fieira de numerosos soldados desfiar devagar. Devia ser de tarde, ao anoitecer....


  Parte de um texto de Lima Barreto in O portal da literatura Afro- Brasileira 


 Achei interessante este texto, pois desconhecia que a Lei Áurea tinha sido assinada no mês de Maio pela princesa Isabel que, como primeira senadora do Brasil, financiava a alforria dos escravos, com o seu próprio dinheiro, antes de assinar a lei. Era conhecida como  A Redentora


 Infelizmente, ainda há muito trabalho escravo por esse mundo fora


Emília Pinto

29 comentários:

  1. Grande data essa e que bom que a REDENTORA assinou essa lei tão importante.
    Bem lembrado!
    beijos, ótimo fim de semana! chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Chica! Foi muito bom mesmo, só é pena que, em pleno sec. XXI ainda haja muito racismo. No entanto, os avanços feitos têm sido muitos Um beijinho e desejo-te uma boa semana, especialmente com saúde para todos.
      Emilia

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Que bom, Ricardo! Fico feliz que tenhas gostado. . É uma data que deve ser lembrada, pois acabar com a escravatura foi um passo muito importante. Um beijinho e muito obrigada. Uma boa semana. Beijinhos
      Emilia

      Eliminar

  3. Querida Emília, bela lembrança para o dia 13 de Maio!
    O processo de abolição da escravidão no Brasil foi lento, e a Lei Áurea 1888 foi precedida pela Lei Eusébio de Queirós/ 1850, que proibiu a entrada de africanos escravizados no Brasil. A Lei do Ventre Livre / 1871, libertou todas as crianças nascidas de mães escravas a partir daquele ano; a Lei dos Sexagenários, de 1885, tornou livre todos os escravos com sessenta anos de idade ou mais.
    Porém, Emília, ainda hoje é um quadro triste, a discriminação é muito forte, desumana. E a gente se pergunta, por quê? A cor da pele? A condição de pobreza? A antiga condição de escravos, a condição de humilhados? Lidar com os humanos não é fácil, amiga, é uma das coisas mais complexas que existe. Preconceito é terrível!
    Mas o bom é que eles estão se posicionando, estão dando força aos seus Movimentos, estão estudando, se formando e disputando variadas vagas no Mercado de Trabalho (o que nunca foi permitido). Quando vejo essa ascensão, fico muito contente.
    E parabéns a você, querida amiga, por trazer no Dia 13 de Maio esse belo texto de Lima Barreto. E que um dia possamos ter um mundo lindo de verdade, sem nenhum preconceito, existe muito, só não vê quem não quer.
    Beijinho, querida amiga, um ótimo fim de semana e saúde pra toda a família.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Até que enfim ....cheguei muito atrasada para a tua resposta, mas a tua Amiga anda assim....meio devagar, " quase parando " .sabes, conhecia a lei Aurea, claro, mas não imaginava que tinha sido implementada a 13 de Maio ; também desconhecia a lei Eusébio de Queirós e a dos Sexagenário, decisões muito importantes, assim como a do ventre livre, essa já minha conhecida. Foi, como dizes, um processo longo, mas o importante é ter sido abolida uma das maiores vergonhas do ser humano. Embora ainda se veja muito preconceito e trabalho escravo, nada se compara ao tempo da escravatura onde seres humanos eram vendidos como simples objectos,. Agora há leis que, de alguma forma, impedem o trabalho escravo e racismo é considerado crime. Tais, muito obrigada por teres acrescentado ao meu post informações tão importantes; como sempre digo, aprende-se muito neste mundo dos blogues. Um beijinho e saúde para todos vós.
      Emilia

      Eliminar
    2. Brasil foi um dos últimos a abolir os escravos e o tráfico humano. A princesa praticamente se viu obrigada a assinar. Ela sofreu muita pressões, tanto interna quanto externa. Por exemplo da Inglaterra que deixou claro que só reconheceria a independência do Brasil se acabasse o tráfico de humanos e naquela época, o governo inglês tinha grande importância. Mesmo com a lei assinada, demorou muito tempo para ser consolidada e isso só aconteceu com um acordo do governo com os traficantes.
      A humanidade caminha a passos lentos, mas pelo menos caminha, mesmo que para nós pareça que esteja andando para trás.
      Emília, esse texto que trouxe é um primor!!
      Beijus,

      Eliminar
    3. É verdade, Luma, foi dificil assinar essa lei, mas conseguiu-se e acabou uma fase muito negra da história da humanidade. Continuaram alguns problemas, também com a dificuldade dos ex- escravos encontrarem o seu caminho, mas, passo a passo, foram conseguindo ser completamente livres. Obrigada, Amiga, pela visita e deixo-te um beijinho e votos de saúde para todos. Até breve aí no teu cantinho
      Emilia

      Eliminar
  4. Um texto bastante interessante. Adorei. Obrigada pela partilha!
    -
    Deixo-me levar pelos segredos do mar

    Beijos, bom fim de semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom, Cidália! Fico feliz quando as minhas publicações agradam. 9brigada pela visita e que a saúde aí em vasa não falte. Beijinhos
      Emilia

      Eliminar
  5. E cada vez mais o mais forte tenta escravizar o mais fraco, quando não o escraviza mesmo.
    .Abraço, saúde e bom domingo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente, assim é, Elvira e não tenho esperanças de que essa mentalidade mude. Obrigada, querida Amiga e espero que estejam todos bem de saúde. Um beijinho
      Emilia

      Eliminar
  6. Foi um passo importantíssimo para a humanidade. A escravatura era uma vergonhosa e cruel exploração de pessoas privadas da liberdade.
    Boa semana, amiga Emília.
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como disse acima, Jaime, considero uma das maiores vergonhas da humanidade e ainda bem que acabou, embora muita gente ainda se sinta escravizada. Um beijinho, Amigo e saúde para todos vós
      Emilia

      Eliminar
  7. "Era como se o Brasil tivesse sido descoberto outra vez..." Só posso imaginar como foi importante a lei da abolição para todos os que viviam escravizados. Infelizmente há escravatura de todos os géneros por todos os cantos do mundo. Como se os que têm poder fossem donos do mundo e dos outros. Todos os dias correm notícias de grupos que são obrigados a trabalhar sem condições, sem descanso, mal alimentados, subnutridos até. Muito inspirador, este texto de Lima Barreto.
    Uma boa semana com muita saúde, minha Amiga Emília.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também imagino a felicidade daquela gente ao sentirem-se livres, embora, durante muito tempo, eles não soubessem o que fazer com a liberdade adquirida e tivessem tido muitos problemas. Como em tudo, há boa gente e os que conseguiram ficar nas fazendas como pessoas livres tiveram mais sorte do que tantos outros que foram abandonados sem terem quem os socorresse. Mas, aos poucos ,foram encontrando o seu caminho e puderam decidir o que fazer das suas vidas. Muito obrigada, Graça, pela visita e desejo que a saúde e a alegria reinem aí, em tua casa. Um beijinho
      Emilia

      Eliminar
  8. Um texto que nos faz reflectir, no longo processo que marcou o abolicionismo... decretado mais de um século antes, em 1761 em Portugal... mas tudo foi ficando travado, no parlamento de então... pois no Brasil, não havia uma monarquia absolutista... e as vontades do Imperadores... eram relativas, pois não podiam ditar... mas apenas negar. Enfim... a política, e os seus jogos de poder... que tantas vezes travam mais do que decidem, qualquer processo... e afinal mesmo em plenas democracias... em muitas circunstâncias... continua a custar imenso, às vezes decidir-se algo...
    Adorei o texto, que nos proporcionou uma leitura especial, deste marcante acontecimento!
    Um beijinho, Emília! Estimo que se encontre bem, assim como todos os seus! Feliz semana!
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, um texto que não conhecia, mas que retrata a importância da lei Áurea que pôs fim à escravatura,. Pois, havia uma diferença na forma de governar , nestes dois paises e fizeste bem em lembrar aqui o abolicionismo em Portugal, pois eu estava completamente esquecida dessa fase da nossa historia. É bom trazer temas que depois são melhorados com informações dados pelos amigos, como foi agora o teu caso e também o da Tais. Gosto disso, Ana, pois é umaa maneira de aprendermos novos assuntos ou relembramos outros já esquecidos. Muito obrigada, Amiga! Um beijinho e saúde para todos, em especial para a tua mãe. Até breve!
      Emilia

      Eliminar
  9. Estou te seguindo porque gostei do teu blog e em especial essa postagem bem adequada, também não recordei dessa data tão importante. Que nunca mais aconteça nenhum tipo de escravidão! Obrigada por partilhar. Te convido a conhecer o meu blog e me seguir, abraços ;) https://botecodasletras2.blogspot.com/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Jeanne! Foi um gosto receber-te no meu cantinho e espero que voltes mais vezes. Irei, com certeza visitar o ter boteco das letras. Eu conhecia a lei Áurea, mas foi pura coincidência encontrar este texto e descobrir que tinha sido a 13 de Maio esse acontecimento tão importante. Muito obrigada, Amiga e até breve lá no " boteco ". Beijinhos
      Emilia

      Eliminar
  10. Bom dia de paz!
    Muito obrigada pela atenção na minha ausência. Seu zelo me comove, querida amiga Emília .
    Voltando aos poucos, com calma para agradecer aos amigos.
    Eu entendi mal ou foi seu aniversário no dia 13?
    Se foi, perdoe-me se não passei na data e, venho atrasada lhe felicitar, querida, com todo meu carinho.
    A "Abolição" ficou mesmo no papel em muitos casos. Aqui no Brasil, na semana mesmo da data, foi libertada uma senhora que viveu 70 anos em forma de escravidão cuidando de uma família sem sequer saber que era uma "escrava"... Não tinha nenhum tipo de direito, nem mesmo de ver a família.
    Assim como ela, mais de mil foram libertadas nos últimos tempos. Inacreditável!
    Por outro lado, nunca tinha lido o texto assim tão preciso na narração de tal Evento indispensável para a fraternidade.
    Muito obrigada por tudo.
    Se demorar em voltar, já sabe.
    Seja abençoada junto aos seus!
    Beijinhos de paz e bem 😘🕊️💙

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Começo por te dizer que o meu aniversário não é nesta data, mas, sim em Dezembro, a 26. De qualquer modo as felicitações vêm sempre a tempo, Amiga. Eu sei que, infelizmente, muitas pessoas continuaram a ser escravizadas por patrões muito maldosos, de qualquer modo, foi um passo muito importante para a humanidade e, se ainda vemos trabalho escravo, pelo menos, as denúncias podem ser feitas e os patrões castigados, coisa impensável naquela época. Rosélia, obrigada pelo carinho e não te preocupes com as visitas. Primeiro está a saúde e volta só quando te sentires bem. Um beijinho e as melhoras, querida Amiga.
      Emilia

      Eliminar
  11. Um assunto para pensar e nunca esquecer.
    A lei da abolição para todos os que viviam escravizados foi o melhor que podia acontecer para todas aquelas boas almas que viviam uma vida tão "miserável"
    Triste que nos tempos que vivemos ainda exista escravidão.
    brisas doces *

    ResponderEliminar
  12. É verdade, Amiga, a escravatura era inadmissivel, pois era dada aos animais das fazendas mais regalias que aos seres humanos; eram vendidos e trocados como se fossem objectos. Obrigada, Amiga pelo carinho da visita. Um beijinho e um bom fim de semana, com saúde para todos
    Emilia

    ResponderEliminar
  13. A "Lei Áurea", momento alto no Brasil, no mundo, e aqui no "Começar de Novo, que
    no-la traz para a nossa reflexão. Para avivar a nossa memoria. e não cair no esquecimento.

    Foi um grande passo, um passo de gigante no caminho da abolição da escravatura.
    Sabemos que não foi por ter saído em Lei que acabaria como por encanto. Mas
    pelo menos oficialmente já não era permitida. Levaria tempo até que as pessoas
    começassem a ter uma visão diferente do mundo.

    Isso não quer dizer a escravatura tenha acabado definitivamente. Mesmo nos tempos
    que correm, aparecem muitos sinais alarmantes.

    Cheguei um tanto atrasada, mas não deixaria de vir, tendo em conta que é assunto
    que muito me interessa.

    Querida Emília, desejo-te saúde te desejo, a ti e aos teus.
    Beijoquinhas à tua pequenina.
    Beijinhos
    Olinda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Olinda, a lei chegou, mas, claro, houve muito problema até que fosse aceite e também entre os " libertados " que se viram "perdidos " sem saberem o que fazer com a liberdade adquirida. Hoje em dia, apesar de abusos enormes contra a dignidade das pessoas, há a lei que as protege , quando têm coragem de denunciar esses maus empregadores. Felizmente que essa " vergonha " terminou , embora ainda vejamos muitos horrores cometidos contra os mais desfavorecidos. Obrigada, querida Amiga, pelo carinho e saúde para todos aí em casa. Beijinhos
      Emilia

      Eliminar
  14. Eu não consigo entender
    Como o homem é predador
    Da própria espécie! E o amor,
    Respeito e empatia do ser
    Se aniquila se o poder
    Com ele estiver, um dia?
    Meu Deus quanta covardia,
    Quão desumano é o humano
    Ser que se soberano
    É animal de alma fria.

    Querida Emília, não entendo a abolição por não conceber a escravidão de um pássaro. Imagine de um ser humano. Um erro foi reparado e aqui pela maravilha Princesa Izabel, digna dos elogios mais diversificados. Grande abraço. Laerte.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ninguém entende o ser humano, Laerte, considerado o mais inteligente de todos os seres viventes da natureza e ao mesmo tempo o " único que suja a água que bebe e o único que mata por nada " . Um " animal de alma fria " dizes tu e muito bem! Muito obrigada pela visita e desejo a ti e aos teus, saúde e paz. Um beij8nho
      Emilia

      Eliminar