sexta-feira, 27 de maio de 2016

TODOS PENSAM DE FORMA...



....diferente e muitas vezes efémera


 Cada indivíduo vê o mundo - e o que este tem de acabado, de regular, de complexo e de perfeito - como se se tratasse apenas de um elemento da Natureza a partir do qual tivesse que constituir um outro mundo, particular, adaptado às suas necessidades.
 Os homens mais capazes tomam-no sem hesitações e procuram na medida do possível comportar-se de acordo com ele. Há outros que não se conseguem decidir e que ficam parados a olhar para ele. E há ainda os que chegam ao ponto de duvidar da existência do mundo.
 Se alguém se sentisse tocado por esta verdade fundamental, nunca mais entraria em disputas e passaria a considerar, quer as representações que os outros possam fazer das coisas, quer a sua, como meros fenómenos. Porque de facto verificamos quase todos os dias que aquilo que um indivíduo consegue pensar com toda a facilidade pode ser impossível de pensar para um outro. E não apenas em relação a questões que tivessem uma qualquer influência no bem estar ou no sofrimento das pessoas, mas também a propósito de assuntos que nos são totalmente indiferentes.



 Johann Wolfgang von Goethe, in 'Máximas e Reflexões



E o problema maior do mundo reside precisamente na incapacidade do ser humano aceitar e respeitar a individualidade de cada um

Emilia Pinto



42 comentários:

  1. Uma grande verdade. Aliás uma grande maioria nem tem interesse nenhum em respeitar a individualidade dos outros. Estão sim focados em impôr a sua aos restantes.
    Um abraço e bom fim de semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E por isso, Elvira, estão aí as guerras, o nosso maior flagelo, os governos ditadores e bem perto de nós a violência doméstica que é fruto dessa imposição de ideias, de maneira de viver e agir. E esse assunto daria pano para mangas, pois a falta de respeito pelos outros é a causadora demuitos e diversos males. Elvira, muito obrigada pelo carinho da visita e os meus votos de que tudo esteja bem. Um beijinho

      Emilia

      Eliminar
  2. Geralmente as pessoas gastam muito de seu tempo querendo convencer os outros de que sua maneira de pensar e de agir é a certa. Um desgaste, um estresse enorme que não vale a pena. Se houvesse uma conscientização, de que somos todos diferentes e temos o direito de pensar diferente, sem tentativas de manipulação, acredito que seríamos pessoas bem mais felizes. Porém tenho certeza de que isso jamais irá acontecer. Não tem como. Mas os que não têm esse ímpeto, com certeza são mais felizes. Não são tão conturbados e ansiosos por impor suas ideias.

    Um beijo, querida Emília.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também acho, Tais que essa " mania" do ser humano não vai terminar. Penso tb que quem conseguir fazer isso, tem com certeza uma vida mais serena. Não é muito fácil, principalmente para quem é muito frontal; é um aprendizado constante e com o passar do tempo vamos aprendendo que mais vale aceitar o que os outros estão dizendo, mesmo que saibamos ou que nos pareça que estão errados; é como dizes, um desgaste que não vale a pena . A vida ensina-nos e é nossa obrigação aprender. Amiga, muito obrigada pelo carinho e desejo-te uma bela semna, mesmo que te proibam o sal e os palitos na mesa do restaurante onde costumas almoçar. Beijinhos
      Emilia

      Eliminar
    2. Não, palitos não! rsss Odeio palitos. Mas tem tanta coisa para eles se preocuparem... Também agradeço teu carinho, tão de longe mas chega aqui perfeito!!!
      beijinho!

      Eliminar
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  4. Bom dia Emília!
    Nem sempre é fácil aceitar e compreender a maneira do outro ver o mundo, principalmente quando esse "modo de ver", é tão diferente do nosso.
    Quando esse outro é meu vizinho, meu amigo, é muito mais fácil do que quando é alguém que convive diariamente comigo.
    Por isso a convivência com as diferenças é um exercício que nos possibilita grande crescimento, principalmente quando conseguimos vencer nosso olhar crítico e deixamos sobressair um olhar mais compreensivo e amoroso.

    Ótimo fim de semana,
    Sônia

    ResponderEliminar
  5. Bom dia Emília!
    Nem sempre é fácil aceitar e compreender a maneira do outro ver o mundo, principalmente quando esse "modo de ver", é tão diferente do nosso.
    Quando esse outro é meu vizinho, meu amigo, é muito mais fácil do que quando é alguém que convive diariamente comigo.
    Por isso a convivência com as diferenças é um exercício que nos possibilita grande crescimento, principalmente quando conseguimos vencer nosso olhar crítico e deixamos sobressair um olhar mais compreensivo e amoroso.

    Ótimo fim de semana,
    Sônia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Sonia, com os outros é sempre mais fácil do que com quem vive mais de perto connosco; não é à toa que se diz que as brigas sa muito maiores quando há mais amizade, mais amor, Comigo passa-se precisamente isso, há pessoas a quem não me dou ao trabalho de discordar,porque sei que vai haver atrito e são pessoas que não me dizem
      nada. Também há aqueles casos, mas esses considero graves, de pessoas que não têm coragem de discordar dos outros, porque não querem ser desagradáveis, mas que depois, sentindo-se frustrados, chegam a casa e são autênticos ditadores, nao respeitando mulgeres nem os filhos. E aqui quero fazer uma ressalva; nem sempre o discordar significa não aceitar a opinião dos outros; há assuntos que gostamos de discutir com os amigos e com a familia, porque são importantes e conversa-se normalmente, mostrando cada um aquilo que pensa sobre o tempo O que é grave é quando a pessoa impõe a sua ideia não dando oportunidade aos que com eles convivem de pensarem diferente. Amiga, espero que me tenha desculpado a " bagunça" que deixei na sua casa e e agradeço-lhe a visita e o belo comentário. Beijinhos
      Emilia

      Eliminar
  6. O problema é exactamente esse: as pessoas querem impor-nos o seu ponto de vista e não aceitam que os outros pensam e ajam de outra maneira. Talvez seja por isso que o Mundo não chega a um consenso...
    Porque o respeito é apenas uma palavra...E não devia ser só isso...
    Obrigada pela visita
    Beijos e abraços
    Mart

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem chega o mundo a um consenso, nem as familias o que causa graves problemas. Há violência doméstica por esse motivo, há adolescentes que deixam a casa dos pais, porque estes não entendem que os filhis cresceram e têm o direito de pensarem de maneira diferente, Claro que custa saber que os filhos não nos pertecem, que eles cresceram e que são individuos com suas opiniões próprias, mas é uma realidade e se não a aceitarmos só causamos sérios problemas. Marta, obrigada pela visita e uma boa semana. Beijinhos
      Emilia
      Emilia

      Eliminar
  7. Temos o exemplo do mundo em que vivemos...e mesmo o do nosso país.
    Enquanto não houver respeito pelos outros ninguém se entende...

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Elisa! Não chegaria aqui o espaço para enumerar os problemas causados por essa falta de respeito. Todos os dias nos chegam noticias de grandes tragédias, de violência sobre idosos, crianças, entre casais etc, etc.Tudo, porque se quer impôr uma maneira de pensar e de viver e nem é preciso ouvir noticias, basta olharmos à nossa volta. Lisa, obrigada pela visita e uma boa semana.
      Beijinhos

      Eliminar
  8. Como podemos respeitar os parceiros de de caminhada se nem a nós respeitamos ?
    No dia em que soubermos o que isso é ,[ porque a tristeza maior está a aí , o que é isso de nos respeitarmos ? ]com toda a facilidade aceitamos ,com o devido respeito, as diferenças .

    Beijo grande , Emília , e bom domingo,
    Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Disseste uma grande verdade, falta-nos o respeito por nós mesmos. Muitas vezes não sabemos o que isso é e, por fraqueza, por insegurança "não nos damos ao respeito" como se costuma dizer. Maria, tocaste num ponto importante e agradeço-te por isso, pois gosto que apareçam pormenores diferentes no tema e assim haja debate . Um beijinho e uma boa semana
      Emilia

      Eliminar
  9. Pareceram-me muito certos os dois textos/reflexões.
    um beijinho e uma boa semana
    Gábi

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Gabi! É sempre bom saber que gostam do tema que colocamos nos posts. Muito obrigada, amiga. Um beijinho e uma boa semana
      Emilia

      Eliminar
  10. Es una lástima que seamos tan intransigentes.
    Sin respeto no puede existir la convivencia ni en la misma familia, imagínate el caos que se prepara cuando se trata de gobernar una nación y los mismos políticos son incapaces de ponerse de acuerdo.
    ¡Muy buena reflexión la tuya!
    Pasaba a comentarle a Tais y te he visto, me he quedado a leerte y saludarte.
    Cariños y buena semana.
    kasioles

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Kasioles pela visita ao meu cantinho. Já tinha visto o teu nome em alguns blogs que visito e agora vou " conhecer-te "melhor. A intransigência é um defeito que causa muitos males a todos nós e por isso é necessário cultivar a tolerância em todos os aspectos. Espero que tenhas gostado do meu Começar de Novo e que voltes mais vezes. Um beijinho e tudo de bom
      Emilia

      Eliminar
  11. Olá Emília!
    Muitas pessoas acham que só a opinião delas são a corretas. Não aceita opinião e nem ser contrariado. Por isso que o Mundo anda dessa forma. Respeito e humildade é o que falta uns pelos outros.

    Andei dando uma pequena pausa que acabou se alongando. Mais a saudade bateu, e de volta estou no meu blog.
    Um abraço e ótima semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Smareis, fiquei muito feliz com o seu regresso e já fui ao seu blog e comentei, só que não sei que asneira fiz que o que escrevi sumiu, mas não tem importância, porque volto lá, de certeza.. e tens razão, amiga, o que falta no ser humano é respeito pelos outros e humildade perante as diferenças. Muito obrigada por te teres lembrado do começar de novo e podes esperar-me que logo logo chegarei. Beijinhos
      Emilia

      Eliminar
  12. O homem, aspirante a conhecedor mas, ainda e sempre, ignorante do que faz mover aquilo que o rodeia, continua a revelar a sua costela rupestre, no pior dos sentidos: à força é que vai.
    Bom post, Emília.

    Uma boa semana :)

    ResponderEliminar
  13. O homem, aspirante a conhecedor mas, ainda e sempre, ignorante do que faz mover aquilo que o rodeia, continua a revelar a sua costela rupestre, no pior dos sentidos: à força é que vai.
    Bom post, Emília.

    Uma boa semana :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostei, amigo! O homem é " um aspirante a conhecedor" e em alguns aspectos mostra-se pior do que o ser do tempo das cavernas . Disseste tudo! Muito obrigada e tudo de bom.
      Um beijinho

      Eliminar
  14. Na verdade, não existem verdades absolutas nem ninguém é dono da razão. Cada pessoa, cada vida é um mundo. Existem tantos pontos de vista quanto pessoas e compreender e aceitar isso é meio caminho andado para viver em harmonia consigo e com os outros.

    Um beijinho, Emília

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá amiga! Temos bastante dificuldade em aceitar que não somos " os donos da verdade" , mas quando assim é os maiores prejudicados somos nós porque vivemos em constante conflito com os outros. A harmonia é muito importante para o nosso bem estar. Muito obrigada pela visita. Um beijinho
      Emilia

      Eliminar
  15. Emília, minha linda amiga, outro dia estávamos almoçando num restaurante e pude observar duas situações. Uma mesa próxima com seis pessoas, notadamente de uma mesma família, pai, mãe, filhos e netos. Cada um postava seu celular, ninguém conversava, e entre uma garfada e outra, teclavam. Notavam-se sorrisos, aquiescência, negação, na face de cada um à medida que o assunto se desenrolava. Ninguém olhava para a pessoa ao lado. Foquei-me naqueles que seriam os avós, apesar de ainda novos, mas tive o desprazer de vê-los também envolvidos com seus celulares.
    Numa mesa mais distante, também seis pessoas, mas distinguia-se que eram apenas colegas de trabalho, devido ao uniforme. O que me chamou a atenção foi justamente que falavam alto, cada um empenhado em se fazer ouvir e dando a sua opinião sobre o assunto que fora suscitado. Ninguém prestava atenção no que o outro falava, empenhados em fazer a própria colocação. Era notório aos que de fora observavam que naquela mesa ninguém se ouvia, ninguém se interessava pela fala do outro, pois o foco era a própria opinião.
    Confesso, amiga, que saí dali entristecida por ver como a incomunicabilidade está a se fazer cada vez maior entre as pessoas. Uma família que podia estar aproveitando um bom momento para trocarem informações ou apenas “jogando conversa fora” nem se olhavam, entretidos que estavam com a sua individualidade toda exposta nos celulares. Colegas que poderiam aproveitar a folga no trabalho para se conhecerem melhor estavam a se digladiar querendo cada um mostrar sua erudição sobre o assunto sem se importar em ouvir o outro.
    A tua postagem vem justamente mostrar esta incompetência do ser humano de se socializar de forma a dar espaço ao outro, de ouvir o outro, de respeitar as opiniões contrarias a sua e de saber adaptar-se a uma vontade que não seja a sua, desde que vá beneficiar a muitos.
    Ainda bem que existem os contrários, minha amiga, pois tenho a sorte de conviver numa família que, quando sai para almoços em restaurantes, cada um desliga o celular e aproveita aquele momento prazeroso de ouvir a novidade que alguém tem para contar, ou simplesmente de dar risada e se divertir dentro da ocasião, sem que um queira sobrepor a voz à do outro. Também quando saio com colegas para um almoço temos o mesmo procedimento, e se algum assunto premente exige que dele se fale naquele momento tudo é feito com respeito, cada um tendo a vez de se manifestar.
    Enfim, meu anjo, a tua postagem ensejando as nossas próprias reflexões, trazendo-nos momentos gratificantes e iluminados com a tua escolha.
    Que te cheguem horas estreladas de sorrisos e perfumadas com as flores com que enfeitas este cantinho tão aprazível de se estar.
    Com carinho,
    Helena

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Helena, começo por te agradecer as palavras de carinho e de apoio e dizer-te que, com o teu testemunho, acrescentas mais um motivo de reflexão sobre a mensagem que quis transmitir. As novas tecnologias vieram para melhorar a nossa vida, mas não estão a ser usadas com o devido equilibrio e a comunicação entre as pessoas está a terminar. A todo o momento estamos a ser perturbados com os toques de telemóveis; as pessoas não têm sequer o cuidado de se levantarem e atenderem na rua; além do toque somos muitas vezes obrigados a ouvir as conversas e gargalhadas. Já me aconteceu de ouvir toques em velório. Felizmente ninguém em minha casa está " contaminado" a esse ponto, mas é triste ver criancas pequenas, jantando com os pais e, mesmo enquanto comem, têm o tablet na frente e, entre uma colherada e outram o joguinho continua. Não era bom que estivessem a participar da conversa dos pais? Não era era necessaro que os pais se preocupassem em conversar com o s filhos, procurando tema de acordo com a idade? Tinha que ser assim, mas, claro, dá trabalho. Helena, mais uma vez muito obrigada e desejo-te uma noite tranquila . Beijinhos e volta sempre. É uma alegria ter-te aqui neste cantinho que também é teu.
      Emilia

      Eliminar
  16. Querida Emilia, penso que a convivência é uma questão tão delicada quanto uma rosa que se despedaçará facilmente dependendo de como a colhermos. Se escolhermos por conviver bem com os outros e ou principalmente com os que nos rodeiam, teremos que estar abertos em colher atenciosamente e até com carinho,seus pensamentos e ´palavras. Deixamos de aprender tanto como o outro e de passar também nosso saber, nossa vivencia, pela falta de atenção por estarmos focados sempre no nosso próprio mundo e agora ainda mais com os avanços tecnológicos, tudo me parece tão
    superficial... Que prazer há em sentar-se à mesa para as refeições se as pessoas nem se olham mais preocupados apenas com as banalidades que chegam através de mensagens nos seus celulares nem sempre saudáveis à construção benéfica de um ser humano. Gostei muito do texto.
    Um grande abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens toda a razão, Lourdinha e pior é ver as nossas crianças a serem expostas a todo o tipo de mensagens que lhes chegam através das novas tecnologias e nem sempre benėficas; oa pais não estão atentos a isso, alguns porque o tempo com os filhos é muito reduzido, outros porque é mais confortável tê-los ocupados pouco importando o tipo de ocupação. Amiga, muito obrigada por deixares aqui a tua opinião que muito aprecio e desejo-te um bom fim de semana. Beijinhos
      Emilia

      Eliminar
  17. Esse texto fala exatamente a verdade!Tudo e como seria bom se todos aprendesses a conviver e respeitar pensamentos diferentes! Valeu! bjs, tudo de bom,adorei teu pedacinho lá! bjs, chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu costumo dizer, Chica: como podemos desejar um mundo sem guerras, se em nossas próprias casas não conseguimos manter a paz" ? Ha muitas divergências entre familiares, entre casais, entre amigos, só pelo simples facto de se querer impor as ideias de cada um; se houvesse respeito pela individualidade de cada ser humano, não haveria tanta violência doméstica, muita dela acabando em grandes tragédias. Amiga, muito obrigada pelo carinho. Um bom fim de semana. Beijinhos
      Emilia

      Eliminar
  18. Excelente texto, que toca num ponto fraco da humanidade que é o respeito pelo pensamento alheio.
    Obrigado pela partilha, minha amiga.
    Emília, tem um bom domingo e uma boa semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É sim o " ponto fraco da humanidade", essa falta de respeito em todas as áreas da sociedade, partindo de dentro dos lares e espalhando-se feito " praga " por todos os cantos. Não haveria uma única guerra se houvesse respeito pelos outros. Muito obrigada, Jaime pela visita e tudo de bom. Um beijinho
      Emilia

      Eliminar
  19. Amiga Emília,
    venho deixar um beijinho e desejar um óptimo resto de semana .
    Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida amiga, muito obrigada. Como diz lá no teu cantinho, " o tempo é curto" e por isso cada instante é precioso, não devemos deixar um beijinho, um abraço, um sorriso para amanhã; devem ser dados no instante presente, deste aqui e agora, . Por isso te deixo agora mesmo um grande abraço, longo... sem tempo e carregadinho de amizade.
      Emilia

      Eliminar
  20. Boa tarde, a diferença de opinião e a contestação faz parte da democracia, a mentira entre as pessoas é a menos, grave é, a tentativa diariamente de nos programar para deixarmos de ter opinião, assim, os Passos e outros Passos que por ai continuam a mentir, conseguem controlar a comunicação social para nos impingir as maiores mentiras que só aos Coelhos favorece, depois os senhores da comunicação (alguma) social, falam em liberdade de expressão, quando é claro que a liberdade de expressão só existe nos directores de redacção e nos proprietários dos mesmos, mediante isto como pode haver respeito pelos outros, quando a mentira passou a ser cultural.
    Resto de boa semana,
    AG

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, António pelo teu comentário assertivo, como sempre. As diferenças de opinião assim como todas as outras diferenças são saudáveis e fazem parte das sociedades livres e democráticas O mal está na imposição de determinada opinião, no querer que todos os outros pensem o mesmo e ajam de maneira igual . Contestar , não concordar, lutar pelos interesses de uma comunidade é certo, tem que ser, mas sempre com o devido respeito pelos que não querem contestar, pelos que acham que os governantes estao certos. Sou a favor de que o povo vá para as ruas reclamar dos politicos, das promessas feitas e não cumpridas, da corrupção, da ambição desmesurada pelo poder; mas sou contra aos que se aproveitam da situação e partem p a violência não respeitando os bens públicos, destruindo o que pertence aos outroa; quando isso acontece, perdem a razão toda;
      custa-me muito ver o povo a reclamar e na época das eleições não ir votar; preferem a praia ou o conforto do sofá. Desde que tivemos o direito ao voto, sempre fiz questão de ir às urnas, pois esse é o único nico poder que temos de colocar em casa aqueles que não servem como nossos representantes. Não será isto uma grande falta de respeito por aqueles que tanto lutaram para que tivessemos esta democracia? Creio que sim. Amigo, um beijinho e tudo de bom
      Emilia

      Eliminar
  21. O problema deste mundo é cada um ver o mundo pelo seu prisma, sem ter a capacidade de se colocar no lugar dos outros... por isso, a grande parte dos indivíduos terá sempre dificuldade em compreender... e muito mais dificuldade, em respeitar a individualidade dos outros... pois muitos vêem o mundo... através das realidades do seu próprio mundo... e o mundo dos outros... fica sempre tão longe do nosso...
    Passando por aqui, e conhecendo este espaço, que me encantou logo à primeira vista... e agradecendo a sua amável visita, lá no meu canto, em artandkits.blogspot.com e já me tornando seguidora deste blogue... pois claro! Repleto de óptimos temas!...
    Beijinho, Emilia! E sempre que der... cá estarei espreitando as novidades...
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Ana por teres aceitado o meu convite. Espero que voltes sempre que puderes e eu farei o mesmo. Penso que este tema é de suma importância, pois a falta de respeito pela individualidade de cada um é a responsável pelos maiores problemas do mundo. Fica bem, querida amiga e até breve, um beijinho
      Emilia

      Eliminar
  22. Querida amiga

    Estou contente, pois, há já uns dias que o tempo está ameno e agradável e hoje esmerou-se...até demais, pois penso que vamos ter temperaturas um pouco altas. Mas ponhamos roupinha fresca e apreciemos esta dádiva.

    O tema deste post é de suma importância para todos nós. Só respeitando as opiniões, ideias e cultura uns dos outros é que conseguiremos coexistir de forma pacífica. É certo que existem grupos de indivíduos ou sociedades que não têm em conta os Direitos do Homem e, como sabemos, têm-nos levado a consequências nefastas, como genocídios, cabendo-nos então lutar contra isso.

    Mas quanto ao resto, no dia-a-dia, a tolerância e aceitação do outro, é uma atitude a adoptar o mais possível. Se para nós próprios, de cada vez que olhamos para uma paisagem ou analisamos um assunto surgem-nos cambiantes diferentes, então, tratando-se de outra pessoa é mais uma razão para tentarmos parar um pouco e ouvir, escutar.

    Querida Emília, desejo-te a continuação de uma boa semana e um fim de semana, prolongado, excelente.

    Beijinhos

    Olinda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O calor e o sol dão-nos outro ânimo, e a mim fazem- me muita falta; não gosto daqueles dias tristes de inverno que começam cinzentos e terminam escuros bastante cedo.
      Gostei muito duma parte do teu comentário que deve ser sublinhado, " se para nós próprios, de cada vez que olhamos para uma paisagem ou analisamos um assunto, surgem-nos cambiantes diferentes, então, tratando-se de outra pessoa é mais uma razão para tentarmos parar um pouco e ouvir, escutar " Haverá mais alguma coisa a dizer, Olinda? Não, aqui está tudo dito! Simples! Amiga, muito obrigada pelo comentário, como sempre assertivo. Desejo que aproveites bem este fim de semana prolongado, de preferência completamente recuperada do joelho. Um beijinho e a minha sincera amizade
      Emilia

      Eliminar