quarta-feira, 2 de outubro de 2019

TRISTES SAPATINHOS







E o rio Danúbio, com a beleza das suas águas azuis homenageia as vítimas desta atrocidade tremenda e faz com que todos reflitam nas barbaridades de que é capaz um ser chamado de humano. Quem olha aqueles SAPATINHOS, de certeza, sai do local angustiado. De tudo o que conheço desta época negra da história, este memorial foi o que mais me chocou .Infelizmente, ainda hoje, milhares de sapatinhos ficam espalhados por todo o lado, chorando os pés que os calçavam.


Sei que muitos de vós já visitaram este memorial, mas eu nunca tinha ouvido falar dele e resolvi partilhar connvosco a emoção que senti ao olhar estes Sapatinhos de Bronze

Emília Pinto

terça-feira, 10 de setembro de 2019

CASA DE PAPELÃO




Casas de lata, casas de papelão e.....são tantas....pra mais de um milhão. Quanta verdade!

Emília Pinto

domingo, 1 de setembro de 2019

CONFIANÇA






O que é bonito neste mundo, e anima,
É ver que na vindima
De cada sonho
Fica a cepa a sonhar outra aventura...
E que a doçura
Que se não prova
Se transfigura
Numa doçura
Muito mais pura
E muito mais nova




Miguel Torga



Não é a primeira vez que o Começar de Novo regressa às suas actividades com poemas de Miguel Torga. Estamos em época de vindimas no Douro, região que ele adorava e, então resolvi homenageá--lo de novo neste recomeço. Gostei muito deste poema e espero que aconteça o mesmo com todos os meus amigos

Emília Pinto

quinta-feira, 1 de agosto de 2019

AGOSTO - FÉRIAS

Imagem da net



Agosto é para nós, portugueses, considerado o mês de férias e, como de costume, aproveito para fazer uma pausa no Começar de Novo. Sei que para os meus amigos brasileiros este mês mão significa muito e que tiveram férias no passado mês de Julho. Não quero dizer que, durante este tempo, estarei ausente, mas, sim, que não haverá publicações. Sempre que possivel visitarei os vossos cantinhos e deixarei umas palavrinhas. A todos umas boas férias, com muita alegria e saúde


Obrigada pelo carinho que recebo sempre de todos vós

Emília Pinto

quarta-feira, 17 de julho de 2019

VOCÊ VALE A PENA







Escolhi este video porque, confesso, estou um pouco desapontada com o papel que a Igreja deve ter na sociedade. Ela só vale a pena se estiver aberta aos outros, àqueles que dela necessitam. São muitos, infelizmente, que têm necessidades e nem sempre são financeiras. Hoje, a Igreja física, o edificio está, na sua grande maioria de portas fechadas por causa dos assaltos, mas...será que está certo? Há muitos que precisam de nela entrar e, sentadas nos seus bancos, se sentem aconchegados e protegidos. Sentem ali que são GENTE... sentem que VALEM A PENA


Emília Pinto,

quarta-feira, 3 de julho de 2019

DIALOGAR




Imagem escolhida a partir da capa do livro ARROZ DE PALMA




" Às vezes queixamo-nos de que as famílias não se falam. Não é que o pai e a mãe, os pais e os filhos, os irmãos não falem entre si. O que se passa é que parece que não há tempo para se sentarem e discutirem, com calma, os temas que interessam a todos.

É necessário, hoje como sempre, aprender a difícil arte do diálogo. A primeira lição é fácil de compreender, mas difícil de praticar: para poder começar um verdadeiro diálogo faz falta abrir um bom espaço no próprio tempo para, simplesmente, ficar a ouvir. Sim: escutar é a primeira condição para poder começar um diálogo, pois permite-nos aceder à intimidade, aos interesses, às dores e cansaços do outro. Ao mesmo tempo, dispor o nosso coração para o acolher. Dialogar não é sempre dar. Muitas vezes, possivelmente a maioria, será receber, aceitar, talvez aguentar, mas tudo com um carinho especial: alguém abre o seu coração, a sua vida, as suas angústias e as suas esperanças. Interessa-me o que diz porque me interessa o que é, o que sonha, o que ama "


In  Família na Aldeia


Umas poucas linhas tiradas do livro ARROZ de PALMA ,,,,

" Acredito no diálogo. Sempre acreditei. Mesmo no mais duro, no mais áspero, ponho a minha fé. Na busca sincera do entendimento ou do convencimento, admiro as falas de cada um, A palavra certa, no momento exato, cheque-mate. Ou o discurso equivocado, mas cheio de verdadeira paixão, O falar pausado ou o desmedir a voz. O adicionar choro, o recorrer ao berro. O calor súbito que surpreende e o recomeçar em tom baixo que desarma. Reconheço até que o " chutar o balde " faz parte do diálogo. Permite às vezes que a conversa vá adiante. Tudo vale quando se pretende chegar ao outro honestamente "

..., escrito por Francisco Azevedo

Emília Pinto

segunda-feira, 17 de junho de 2019

A LEALDADE....



.....DEVE VIR DE DENTRO



Enquanto a fidelidade é, muitas vezes, uma cobrança da sociedade, principalmente no que se refere aos relacionamentos, a lealdade nasce dentro de cada um, pois está relacionada aos valores que se possui. Assim, nem todo indivíduo que é fiel é, necessariamente, leal, pois pode ser que esteja apenas cumprindo com aquilo que considera ser a sua obrigação e não seguindo o que seu eu interior diz.



Já uma pessoa que é leal, é aquela que procura agir com verdade, sendo coerente com o que acredita ser o certo. Por isso, mais do que ter lealdade em relação aos outros, ela é leal consigo mesma em primeiro lugar. Em se tratando de um relacionamento amoroso, por exemplo, o fato de não se envolver em aventuras extraconjugais não se deve a uma obrigação, mas sim ao amor que ela sente pelo seu par, porque é isso que os conecta.



A lealdade também pode ser expressada em relação aos amigos, familiares, colegas de trabalho e a si mesmo. Quando se é leal aos seus valores, sonhos e opiniões, um indivíduo vive de forma mais coerente, demonstrando através de atitudes tudo aquilo que ele carrega dentro de si e cobra daqueles com os quais convive. Assim, consegue levar a vida com honestidade, no sentido mais amplo da palavra





por José Roberto Marques - blog do JRM




Gostei desta mensagem!É necessário viver com mais coerência, falando menos e agindo mais


Emília Pinto