domingo, 23 de março de 2014

DISCRIÇÃO.....




.... a arte de desaparecer. Desaparecer momentaneamente para se abandonar ao aparecimento do outro. Apagamo-nos para que um outro mundo surja – o mundo do outro e não o meu. Pierre Zaoui, autor de “La Discretion”, apresenta-nos esta virtude como uma experiência de ligeiro desaparecimento, não no sentido de morte, mas no sentido de deixar de se mostrar; um momento de colocar em suspenso o nosso desejo de afirmação. Vivemos num mundo de egos sobredimensionados e autocentrados em que deixamos pouco espaço ao outro. Numa sociedade que valoriza “o parecer ser” a discrição surge-nos como uma forma feliz de resistência. Mas atenção, não se trata de “vivamos felizes, vivamos escondidos”. Há momentos nas nossas existências que exigem que se fale, que nos manifestemos, que nos pronunciemos, momentos em que aparecer é uma necessidade. Faz parte da coragem, da inserção, da participação numa vida pública, amorosa, social, democrática. Há, enfim, momentos para a discrição e momentos para não o ser, mas todos devíamos experimentar estes momentos de invisibilidade, momentos em que nos recolhemos e simultaneamente nos oferecemos a possibilidade de sair de nós próprios, de nos desprendermos do ego, de apreciar o outro tal como é. Não é dissolver-se no meio dos outros, mas aceitar, por um momento, observá-los, afirmar a presença e a beleza objetiva daqueles que amamos. “Vemos, de facto, o outro, os seus olhos, os seus gestos, as suas mãos, tudo aquilo que nos escapa habitualmente e que, quando amamos, é uma felicidade que apura a nossa sensibilidade. É a alegria de deixar todo o espaço ao outro. A alegria de entrar docemente no seu mundo, de o deixar SER, de aproveitar a sua presença sem qualquer tipo de sedução.” É uma alegria silenciosa.


 Teresa Ferreira, in Bem- Estar-Juntos


Quando nos doamos...quando fazemos alguma coisa para ajudar os outros, sentimos uma grande alegria...um alegria da qual devemos desfrutar mas de uma maneira silenciosa...discreta.

Emília Pinto

55 comentários:

  1. Lindo texto para refletir gostei.
    Beijos
    Santa Cruz

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Santa Cruz, temos de reflectir e bastante, porque muitas vezes queremos aparecer demais e não damos vez aos outros. Saber ouvir, saber deixar o outro manifestar-se para que abra o seu coração é fundamental. Obrigada, amigo pela visita e desejo- te uma boa semana
      Emília

      Eliminar
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
  2. Isso é lindo e muito importante e realmente, uma arte! Adorei! beijos,chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É sim uma arte, Chica que devemos praticar todos os dias. Muitas vezes falamos demais,, como se só nós interessassemos e o outro fica na sombra, tantas vezes com uma necessidade enorme de desabafar.Obrigada, amiga e uma boa semana
      Emília

      Eliminar
  3. Um texto muito interessante. Gostei muito.
    Um abraço e uma boa semana,.

    Amiga quero agradecer as suas visitas ao Sexta e o incentivo dos seus comentários.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tens nada a agradecer, Elvira, pois é para mim muito gratificante visitar-te no Sexta Feira. Fico muito feliz que estejas recuperada e assim voltes de novo à nossa companhia. Um boa semana, querida amiga. Beijinhos
      Emília

      Eliminar
  4. É verdade. é um aconchego tão bom que sentimos sempre que ajudamos os outros!
    Belo texto!
    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pena que nem sempre estejamos abertos ao outro para os ajudar, mesmo que seja só para ouvi-los. É tão simples, não amiga? Beijinhos, Lilás, e muito obrigada pela visita. Uma boa semana
      Emília

      Eliminar
  5. Saber ouvir é algo de precioso e ter quem nos escute uma dádiva!

    Abraço e excelente semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, São! Se gostamos que nos escutem, tantas vezes necessitados de desabafar, também temos de nos preocupar em ouvir os outros, mas "ouvir com o coração " e não simplesmente ouvir sem qualquer atenção, o que acontece muitas vezes. Obrigada pela visita e que encontres sempre alguém disposto a escutar a tua alma.
      Beijinhos
      Mila

      Eliminar
  6. OI EMÍLIA!
    ASSIM DEVERIA SER, NOS DESPRENDERMOS TOTALMENTE DE NÓS MESMOS, EM DETRIMENTO DO OUTRO.
    E COMO BEM DIZES, É TÃO GRATIFICANTE QUANDO CONSEGUIMOS,NEM QUE SELA SÓ POR ALGUNS MOMENTOS.
    ABRÇS

    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É sim muito gratificante para nós e por isso não entendo por que o fazemos tão poucas vezes. A desculpa é sempre a falta de tempo, mas não é preciso muito tempo para uma palavra amiga a quem dela tanto precisa. Obrigada pelo carinho, Zilani e uma boa semana. Beijinhos
      Emília

      Eliminar
  7. Fazemos parte uns dos outros e em última instância somos todos Um, por isso não podemos ser felizes isoladamente, não podemos ser felizes ouvindo-nos só a nós próprios, será uma felicidade falsa, que mais cedo ou mais tarde transformar-se-á em infelicidade e solidão.

    Gostei imenso deste texto.

    Beijinhos e uma boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom que gostaste, Rita! O mal do ser humano é esse mesmo, achar que consegue ser alguma coisa sozinho. Vivemos em sociedade e por isso nunca podemos esquecer os outros que são parte de nós. Um beijinho, Rita e uma boa semana. Fica bem e até sempre!
      Emília

      Eliminar
  8. Parti dia 18,
    última semana de Inverno
    e fiz uma escapadinha!

    cheguei
    impregnada de
    cores e cheiros.
    Amei

    respirei essências de Liberdade
    em 5 maravilhosos dias...

    http://momentos-perfeitos.blogspot.pt/

    aconselho visitar 2 dos meus blogues, tenho mais, mas estes dois são os que vou actualizando

    http://tempolivremundo.blogspot.pt/

    A cada ano,
    o Keukenhof cria um visual novo de acordo com um tema central.
    Há tulipas e outras flores em qualquer direção que se olhe.
    Apesar de o parque estar aberto apenas oito semanas por ano, ele atrai cerca de 800.000 visitantes todos os anos.

    É, sem dúvida, um dos melhores lugares para se ver tulipas na Holanda.


    Obrigado pela partilha deste belo texto e reflexão.
    Nesse aspecto fico sempre prejudicada
    Oiço mais do que me ouvem, quanto preciso de desabafar
    mas...quem me quer ouvir?
    ...enfim...

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Tulipa. Que bom ter feito essa linda viagem. A Holanda .e um país muito bonito. Já lá fui e adorei. Não vi tudo, mas, como ainda tenho outros países que gostaria de conhcer, não posso lá voltar para conhecr melhor. Não sabia que tinhas mais blogs, mas com certeza irei visita-los. Obrigada, amiga pela visita. Um beijinho e até sempre
      Emilia

      Eliminar
  9. Só concebo a ajuda com discrição, sem alardes!
    Há quem necessite de bens materiais . Outras, apenas de companhia, de uma palavra amiga.

    Adorei ler o texto.
    Obrigada pela partilha.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso. Lisa, ajuda com discrição " , porque se o fazemos com " alardes " estamos precisamente a fazer o contrário do que nos diz este texto, estamos a sobressaír,, chegando, em alguns casos a que o outro se sinta humilhado; não estamos a valorizar o outro, como ser importante que é, apesar de necessitar de ajuda.Muitas vezes essa ajuda que damos é tão pequena para nós e enorme para quem precisa dela. Obrigada, Lisa pelo carinho e boa noite.Beijinhos, amiga!
      Emília

      Eliminar
  10. E é tão importante que alguém nos escute....Verdadeiramente, de alma e coração aberto...Mas nem todos compreendem...Interessante o texto...Obrigada pela partilha
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Penso que hoje em dia, nesta sociedade tão fechada na sua " concha " há nas pessoas uma grande necessidade de falar, de conviver; acho que a angústia que se nota em cada pessoa é fruto desse isolamento a que, por vários motivos, se impõem; não se encontra tempo para o convívio, para passeios ao ar livre, para visitas aos amigos e isso angustia.Eu gosto muito de conversar, mas de " alma e coração abertos " e, confesso, não tenho muitas pessoas com quem possa fazer isso; como eu, com certeza há muitos e perde-se o interesse e o isolamento é cada vez maior..
      Obrigada, Marta, pela visita e desejo que encontres sempre alguém com quem possas dividir os teus " desabafos, escutando-te de coração aberto.
      Beijinhos
      Emília

      Eliminar
  11. Discrição tem, frequentemente, o desejo de não perturbar, mas também a vontade de não ser perturbado.
    E há que respeitar, porque cada um é como é... e pode ser perigoso contrariar certas naturezas, quando não forjadas.
    Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Maria! Concordo, amiga e o respeito é a base de toda a discrição. Se estamos a conversar com uma pessoa, não devemos " atropelá-la " com perguntas, com mudanças de assunto, com casos nossos; devemos escutá-la até ao fim com respeito por tudo, pela sua opinião, pelas suas aflições, pelos suas alegrias.. Respeitar o que o outro É, sem queremos SER ou parecer mais do que ele é ser discreto... e valorizar o outro da maneira que ele é e sente. Um beijinho, querida amiga e obrigada pela visita..

      Emília

      Eliminar
  12. Minha amiga

    Um texto que nos leva ao âmago de nós mesmos e nos faz reflectir.
    É realmente uma arte a de saber ouvir e isso pode representar uma das melhores ajudas a prestar a um familiar, amigo, vizinho e, até, a um desconhecido... Quantas e quantas vezes numa fila de autocarro, de supermercado, as pessoas se dirigem a nós e começam a contar coisas dos filhos, da família, uma confidência estranha mas que será o resultado de não terem com quem falar ou, porque, quem vive ao pé não lhes dá atenção. Sei que às vezes os nossos próprios problemas não nos dão o equilíbrio necessário para escutar o que o outro diz. E que dizer de isso também acontecer connosco, no nosso seio, de estarmos tão preocupados com isto e com aquilo e não prestarmos atenção nenhuma aos sons à nossa volta? Sim, porque por vezes a voz ao nosso lado não passa de um som...
    O despojamento, a capacidade de deixar de nos considerarmos o centro do mundo é realmente uma forma de generosidade de que nem damos conta e que poderia levar tanto consolo a muita gente.

    Mais um texto que põe a tónica num problema sério da nossa sociedade: a Solidão.

    Muito obrigada, querida Emília.

    Beijinhos

    Olinda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mais uma vez uma visão muito assertiva da mensagem que a minha amiga Teresa quis transmitir neste texto, Olinda. E, além disso focaste um caso interessante e que me acontece muitas vezes; estou tantas vezes envolvida nos meus próprios pensamentos e " supostos " problemas que nem percebo que há mais pessoas em casa; ouço mas não escuto, o que para mim é uma grande diferença; consider que escutar é ouvir com atenção, comação.
      Sente-se nas pessoas uma grande necessidade de falar e isso é um retrato da sociedade dos nossos dias .Não se nota isso só nos idoso, mas também nas crianças que, devido ao medo da violência, a falta de capacidade dos pais em gerirem o tempo, são enclausuras em casa em frente da tv ou do computador, privando-se da companhia dos amigos e brincadeiras ao ar livre. É um probema de dificil resolução, amiga. Muito obrigada pela contribuição a este " debate " e boa noite. Beijo amigo.
      Emilia

      Eliminar
  13. Concordo, mas em excesso ficamos sempre no fim da fila...
    Eu, por isso, defendo um comportamento assertivo.
    Emília, tem um bom resto de semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Nilson. Claro que não pode haver excessos e, como diz no texto, há alturas em que devemos aparecer, reclamar e sobressair, pois temos deveres a cumprir na sociedade em que estamos insridos e se quisermos ser verdadeiros cidadãos devemos levantar a voz contra aquilo que vai contra os nossos direitos eo dos outros. Mas o problema está quando agimos pensanso só em nós muitas vezes agimos de tal forma que humilhamos os outros. Claro que na vida se deve ter um comportamento assertivo, mas par isso é preciso sensatez, calm e paciência com os outos e respectivas maneiras de ser e agir .Aqui reside o maior problema e também a nossa maior dificuldade. Muito obrigada, amigo pela visita e desejo-te tudo de bom. Um beijo e até breve
      Emilia

      Eliminar
  14. Minha querida

    Um belo texto, verdadeiro nalgumas partes.Por vezes sim devemos ficar um pouco em suspenso para nos encontrar-mos e olhar à nossa volta e não para dentro de nós.
    Acontece que quando estamos apaixonadas, só conseguimos ver o lado bom de quem vive a nosso lado e só quando o amor acaba é que vemos que certas coisas que nos atraíam nessa pessoa, era apenas a cegueira do amor.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom vê-a por cá, Rosa Maria.. è sempre assim...as coisas são sempre verdadeiras em parte; há sempre o " reverso da medalha e encontrar o equilibrio é muito difícil.O amor muitas vezes cega de tão grande que é, mas de qualquer modo vale sempre a pena tentar de novo o amor, tão bom, umas vezes, tão doído noutras. Um beijinho e até breve lá no teu cantinho. onde já não vou há algum tempo, mas não por esquecimento; nunca me esqueço dos amigos, mas às vezes o ânimo anda ppor baixo e nem escrever apetece. Entendes isso, não é verdade? Sei que sim!
      Emília

      Eliminar
  15. Em qualquer lugar, dou comigo a comunicar com a pessoa que está mais próxima, até agora tenho-me dado bem.
    Bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso é muito bom, Luís, porque muitas vezes as pessoas que estão ao nosso lado necessitam de falar e de certeza que saiem de junto do Luís mais contentes . Quando me acontece isso a mim, isto é, quando uma pessoa me encontra e começa a falar e eu tenho a paciência de a ouvir, pode ter a certeza que quem vai mais feliz sou eu, precisamente porque fui capaz de perceber que essa pessoa precisava daquele bocadinho de companhia. Gostei muito de o ver aqui, Luis. Obrigada! Beijinhos
      Emília

      Eliminar
  16. Emília,

    Não sei se voce já leu, algumas vezes, eu falar que sou invisivel.
    Tem vezes que gosto e outras fico triste.
    Sobre discrição, para mim, na vida, é fundamental.
    Eu sou comunicativa, mas se tiver que fechar a boca, guardar um segredo,
    morre comigo, mas não digo nada.

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há alturas, Sissym, que se fica triste, porque deveria mos ter faldo e não conseguimos; nem sempre devemos ficar na sombra, porque, como cidadãos que somo, temos de falar, revindicar, lutar pelos nossos direitos; sentimo-nos mal quando somos indiferentes ao que se passa à nossa volta. O que não podemos é querer ser sempre o centro das atenções, não deixando que o outro manifeste a sua opinião, os seus problemas ou as suas alegrias, Devemos sempre escutá-los com a atenção que gostamos para nós. Obrigada, amiga, pela visita e desejo-te um bom fim de semana.
      Beijinhos
      Emília

      Eliminar
    2. Emilia, querida, no meu caso não é ser o centro das atenções, coisa que muita gente faz questão por falta de maturidade e amor proprio, eu passei por violencia domestica e depois de sobreviver a tudo que veio depois da denuncia, eu me vi na maior solidão. Pq nos momentos ruins, descobrimos como a vida é de fato. Quem é quem na sua vida.

      Outro lado que tambem critico, é cruzar pelas pessoas como se fossemos apenas uma alma que ninguem nota. As vezes penso que o Carioca é tão mal educado (é mesmo, só se passa de "gente boa"), que por esquecer dos principios torna tudo em sua volta inexistente. Eu sou muito cortês, não consigo tratar ninguem assim.

      Beijinhos

      Eliminar
    3. É, infelizmente, nos momentos mais difíceis que descobrimos que não temos amigos verdadeiros e, perante essa decepção aprendemos a saber distingui- los. Temos sempre a tentação de classificar os conhecidos de amigos, mas não é assim, amigos verdadeiros são muito poucos, mas podemos contar sempre com eles e isso é o que importa. Obrigada, Sissym, por ter voltado cá, dando o seu testemunho pessoal como prova da importância de se dar atenção ao outro, principalmente qundo ele mais precisa. Beijinhos, querida amiga e desejo que tenhas uma excelente semana.
      Emília

      Eliminar
  17. Penso que o silêncio é um mundo de benesses, e silenciarmo-nos positivamente também! O que não significa nada com o outro. O outro tem o seu espaço e voz, e deve silenciar-se ou não conforme sinta que deve também serenar o espírito e sentir essa outra vivência bem mais calma, apelativa e madura! Sem relear o correcto sentido de falar e manifestar quando se deve... É verdade que andamos muito sobrecentrados em nós, mas devemos descentrar-nos para dar espaço ao outro no sentiodo de o acolher e deixar ser... Não porque valha mais do que nós porque nós também temos muito a aprender com ele... existe o perigo da vaidade do ego inflamado tao grande quanto o perigo de darmos ao outro o nosso ser para cuidar de nós... o que mais tarde vai gerar atritos e solidão...

    Simplicidade e amor... deviam ser regras instintivas na sabedoria do viver...

    beijinho amigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostei muito do teu comentário, pois fazes aqui uma distinção importante entre os dois silêncios um deles fundamental para as nossas inquietudes, para a serenidade do nosso espirito.
      Para que o outro possa Ser, é necessario que silenciemos o nosso ego tantas vezes envaidecido e, com " simplicidade e amor " acolhemos os que são esquecidos e vivem uma vida de muita solidão.
      Obrigada, Daniel, pelo comentário tão assertivo e desejo-lhe dias serenos com momentos de grande alegria. Um beijinho e até sempre.
      Emilia



      Eliminar
    2. Desculpa, Daniel, queria dizer " acolhamos " e não como escrevi.
      Emília

      Eliminar
  18. Completamente de acordo com tudo que aqui é dito .

    Um beio , Emilia ,
    Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Maria. É um texto que, crei0, nos serve a todos, pois é sempre muito bom sentir que somos ouvidos e ccompreendidos, levando-nos assim a ter a mesma atitude com os outros. ? Muito obrigada pela visita e desejo-te uma bela semana. Beijinhos
      Emília

      Eliminar
  19. Compreendo muito bem a mensagem deste seu texto. Eu já agi assim
    em alguns momentos da m/vida.
    Desejo que esteja bem.
    Bj.
    Irene Alves

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom, Irene! Fico sempre muito contente quando as mensagens que tento passar vão de encontro às vivências de quem me visita. Agradeço o carinho que sempre mostras para com o começar de novo e desejo-te uma excelente semana. Beijinhos e até breve
      Emília

      Eliminar
  20. Saber ouvir é o início de uma caminhada. Quando se sabe ouvir os problemas dos outros começamos a entrar-lhes na alma e a ter forças para os ajudar.
    Sem ouvir correctamente não entenderemos nada e as nossas palavras são vazias e sem amor nem sentido.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Além de podermos ajudar bastante deixando que os outros falem, que exponham os seu problemas, as suas ideias, deixando que satisfaçam a necessidade que têm de simplesmente conversarem, no fim quem se sente mais ajudado somos nós; sentimo-nos muito bem por termos proporcionado momentos bons a quem se sentia só e com necessidade de sentir-se reconfortado. Obrigada, Luis pela visita. Espero que tenhas sempre a oportunidade de escutar e seres escutado. Um beijinho
      Emília

      Eliminar
  21. Querida amiga
    vim lhe desejar uma linda e abençoada semana, coberta de muita paz e alegria!
    abraço amigo
    Maria Alice

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Alice pelo carinho e que em cada dia consigas bons momentos, com alegria e muita saúde. Um beijinho
      Emília

      Eliminar
  22. É difícil "apagarmo-nos"...para que o outro sobressaia, deixe o seu casulo e se abra ao mundo com a nossa ajuda... Toda a gente gosta de falar e muito pouco de escutar... O mundo conjuga muito na primeira pessoa e , talvez por isso, esteja como está... a desmoronar-se!
    É preciso a compreensão, a partilha e ..a atenção!
    Um texto muito oportuno e Obrigada!
    Beijão e uma boa semana.
    Graça

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso, Graça, " o mundo conjuga muito na primeira pessoa " e por isso as pessoas se sentem cada vez mais sós. É dificil encontrarmos uma pessoa com quem valha a pena estar, pois sabemos que só nos vai ouvir e não escutar; para mim escutar é muito diferente do que simplesmente ouvir, é colocar o coração atento ao que o outro está a dizer, enquanto que ouvir...bem...ouvimos ruídos..sons que nem sabemos de onde vêm e nem nos preocupamos com isso. Sabes, Graça, não tenho muitas esperanças que as coisas mudem neste aspecto, pois o verbo que fazem questão de conjugar e também só na primeira pessoa é o ter e enquanto assim for, não há disponibilidade para o outro. Cada um anda na sua vidinha,preocupados em ter cada mais e nem prestam atenção a que junto deles, na rua muitas mais pessoas caminham. É triste, mas é assim. Vamos, pelo menos tentar não nos contaminarmos por esta "epidemia" para que assim não " desmoronemos " antes do tempo.. Um beijinho, querida amiga e obrigada por teres vindo.
      Emília

      Eliminar
  23. Com a necessidade de se evidenciarem, as pessoas_ antes, muitas pessoas_ nao conseguem disfarcar essa fome de mostrar a sua parte 'brilhante" no contexto em que se inserem. Depois, ai, anseiam o protagonismo para colherem os louvores das suas capacidades. E se muitos ha que cedem o lugar, porque gostam do recato, outros, com um Ego exarcebado, nao o conseguem.
    E aqui, lembro Cristo" quem se humilha, que e' humilde, sera' exaltado..." porque , claro, nao se trata de humilhacao!
    Na sociedade como nz vida de cada um, isso ja faz parte de outra dimensao humana e expiritual!
    Tao imensa exta mensagem tambe'm Querida amiga Emilia!
    Beijinhos meus! **

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabes, Manuela, o que mais me custa aceitar, é que pessoas adultas, já com os filhos criados e por isso com uma longa experiência de vida, ainda tenham atitudes de " protagonismo, chegando a prejudicar os outros com julgamentos sobre assuntos que só ao outro interessam. Querem valorizar-se perante quem está acima na hierarquia e tentam a todo o custo que o outro fique de rastos.. às vezes digo " costumamos classificar os nossos jovens de insensatos...inresponsáveis..incorrectos, mas, se comparados a muitos adultos que conheço, tenho que dar os parabéns aos jovens que temos".. Há pessoas a quem a vida não tem ensinado nada e o pior é que são esses os formadores dos adultos de amanhã.: Mas. como bem dizes, amiga, isso " isso já faz parte de outra dimensão humana e espiritual " e humanidade,inflizmente é o que mais falta a este ser, classificado de "ser humano". Obrigada, Manuela pelas palavras sempre carinhosas e também pelos " desabafos " que tão bem sabes escutar lá no teu Anjo Azul " Beijinhos de grande amizade,
      Emília

      Eliminar
  24. Boa tarde,
    Não se deve ignorar o que nos rodeia, partilhar contribuiu para a felicidade de quem partilha e de quem recebe pelo menos um sorriso sincero e amigo.
    Abraço
    ag

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabes, amigo, ainda não consegui entender o motivo do afastamento das pessoas; se nos faz tão bem, partilhar boas convers..gargalhadas e desabafos,por que nos escondemos tanto? Nota-se no ar um medo, uma desconfiança das pessoas em relação às outras. Parece que têm medo uma das outras; cruzamos todos os dias por muita gente e a maioria segue de olhos no chão como se caminhasse sozinha. É triste, mas é a sensação que tenho, Um beijinho e muito obrigada pela visita
      Emília

      Eliminar
  25. Palavras muito sábias que levam à reflexão.
    Gostei imenso de ler.

    beijinhos e um bom fim de semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico contente que tenha gostado, Rita. Muito obrigada pelo carinho. Um bom fim de semana e beijinhos
      Emília

      Eliminar
  26. Emília, acabou de entrar um post onde indico teu blog:

    bjs, lindo domingo!chica

    http://lugarescoloridos.blogspot.com.br/2014/04/sinopse-semanal_12.html

    ResponderEliminar