quinta-feira, 1 de junho de 2017

ODE À PAZ



Pela verdade, pelo riso, pela luz, pela beleza,
Pelas aves que voam no olhar de uma criança,
Pela limpeza do vento, pelos actos de pureza
Pela alegria, pelo vinho, pela música, pela dança,
Pela branda melodia do rumor dos regatos,

Pelo fulgor do estio, pelo azul do claro dia,
Pelas flores que esmaltam os campos, pelo sossego dos pastos,
Pela exactidão das rosas, pela Sabedoria,
Pelas pérolas que gotejam dos olhos dos amantes,
Pelos prodígios que são verdadeiros nos sonhos,
Pelo amor, pela liberdade, pelas coisas radiantes,
Pelos aromas maduros de suaves outonos,
Pela futura manhã dos grandes transparentes,
Pelas entranhas maternas e fecundas da terra,
Pelas lágrimas das mães a quem nuvens sangrentas
Arrebatam os filhos para a torpeza da guerra,
Eu te conjuro ó paz, eu te invoco ó benigna,
Ó Santa, ó talismã contra a indústria feroz.
Com tuas mãos que abatem as bandeiras da ira,
Com o teu esconjuro da bomba e do algoz,
Abre as portas da História,
deixa passar a Vida!

Natália Correia,  in "Inéditos (1985/1990



Natália de Oliveira Correia -  (Fajã de Baixo São Miguel, 13 de Setembro de 1923 — Lisboa, 16 de Março de 1993- foi uma escritora e poeta portuguesa. Deputada à Assembleia da República (1980-1991), interveio politicamente ao nível da cultura e do património, na defesa dos direitos humanos e dos direitos das mulheres. Autora da letra do Hino dos Açores. Juntamente com José Saramago (Prémio Nobel de Literatura, 1998), Armindo Magalhães, Manuel da Fonseca e Urbano Tavares Rodrigues foi, em 1992, um dos fundadores da Frente Nacional para a Defesa da Cultura (FNDC). Tem uma biblioteca com o seu nome em Lisboa em Carnide

A obra de Natália Correia estende-se por géneros variados, desde a poesia ao romance, teatro e ensaio. Colaborou com frequência em diversas publicações portuguesas e estrangeiras,


Será que algum dia teremos PAZ?

Emília Pinto

45 comentários:

  1. Lindo, muito lindo e concordo com tua pergunta! Será a teremos? bjs praianos,chica

    ResponderEliminar
  2. Olá Chica! Também achei este apelo à paz muito bonito e fico contente que tenhas gostado. Muito obrigada e quanto à pergunta, penso que, infelizmente as guerras continuarão. Dão muito lucro! Beijos, amiga.
    Emilia

    ResponderEliminar
  3. É um dos poemas mais belos da nossa saudosa e inteligentíssima Natália... Mais, acho-o sublime!
    Hoje, também falo do monstro guerra no meu 'post'...
    Grande abraço, querida Emília.
    ~~~ Beijo ~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida, Majo, neste dia dedicado às crianças, a melhor homenagem que lhes podemos fazer é apelar à paz, pois elas precisam muito dela, quer em casa, quer fora dela. Muitas vivem " em guerra " nos seio familiar, sofrendo todo o tipo de abusos o que é de lamentar, mas que, infelizmente é " o pão nosso de cada dia " Não conhecia este poema e faço minhas as tuas palavras, " acho-o sublime ". Muito obrigada, amiga e um bom fim de semana. Um beijinho
      Emilia

      Eliminar
  4. Um belíssimo poema de uma poetisa de que muito gosto. Neste momento estou a ler dela "A Pécora" uma peça teatral.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom, Elvira! Fico sempre muito contente quando vou ao encontro dos gostos dos meus amigos e decidi-me por este poema, porque o mundo está todo em guerra e a paz, infelizmente, começa a ser uma " utopia "; nenhum de nós, creio, tem alguma esperança que ela um dia chegue ao mundo.Amiga, desejo-te um bom fim de semana e deixo-te um beijinho. Boa leitura!
      Emilia

      Eliminar
  5. Um apelo poderoso com palavras fortes... Resposta à pergunta? Não sei... Tenhamos esperança....
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. " Um apelo poderoso" que é o de todos nós, cada vez com menos esperanças de que algo mude. As guerras são muito lucrativas e portanto nunca acabarão. Tentemos, pelo menos, manter a paz à nossa volta, pois ela falta, muitas vezes no seio familiar. Um beijinho, Marta e obrigada pela visita.
      Emilia

      Eliminar
  6. Um grande poema de uma grande escritora.
    A propósito de paz, que anda arredia um pouco por todo o mundo, resta-nos a consolação de sermos o 3º país mais pacífico do mundo.
    Bom fim de semana, amiga Emília.
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens razão, Jaime, o nosso país é pacifico e espero que os nossos governantes continuem a lutar pela paz e não voltem aos tempos idos quando, por " ambição e poder" andaram em guerra muitos anos. Obrigada, amigo, pela visita e desjo-te um bom fim de semana. Beijinho
      Emilia

      Eliminar
  7. Boa tarde, amiga Emília! foi e é sempre com imenso prazer que recordo a grande poeta portuguesa nascida nos Açores, gosto de ler Natália,
    numa entrevista, a Natália disse o seguinte.

    "A sabedoria é mesmo feminina. Correndo o risco de me repetir ou citar a mim mesma, direi que a «sophia» é feminina. A sabedoria é feminina e a filosofa é masculina. O homem enamora-se da sabedoria, mas nunca chega lá. E o percurso para... A mulher, ela própria, é ovularmente o segredo do Universo. Ela contém em si a sabedoria. Ás vezes não tem é consciência disso"

    Depois destas palavras, a extrema direita, CDS, PSD e o MIRN/PDP, atacara, ferozmente a grande poeta do povo.

    Feliz fim de semana,
    AG

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Depois destas palavras, António, eu, como mulher, tenho que te agradecer e sentir-me orgulhosa. A mulher nem sempre tem consciência de valor que tem e, muitas delas nunca tiveram oportunidade de mostrar a sua sabedoria, pois os homens que com elas convivem se acham os únicos sábios e poderosos; felizmente que eles têm mudado e as novas gerações já se respeitam muito mais nesse aspectos, dividindo tarefas e deixando que a mulher opine em tudo o que diz respeito à vida a dois. Agora, António, sabes o que digo aos homens aqui de casa, em tom de brincadeira ? Digo : o que vos falta é sentir as dores do parto....Digo na brincadeira, mas na realidade , creio que muita da força e sabedoria das mulheres vem da maternidade, da necessidade que ela tem de estar atenta a tudo, de realizar várias tarefas ao mesmo tempo para que às suas " crias " nada falta. O certo é que só a mãe consegue ver nos olhos do filho o que se está a passar com ele; basta um olhar! António, adorei o teu comentário, pois é sempre gratificante ver um homem a reconhecer a sabedoria das mulheres. Obrigada. Um bom fim d3 semana. Beijinhos
      Emilia

      Eliminar
  8. Gosto , muito , dos poemas desta poeta . Existem uns quantos que prefiro e este é um deles .

    Quanto à Paz , minha amiga , assunto tão delicado , como pode existir se dentro do homem há cada vez menos esse sentimento .

    Beijo grande , Emília , e bom fim de semana ,
    Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Maria, como podemos querer paz no mundo se, por qualquer coisinha, fazemos uma guerra? Há-a entre irmãos, entre pais e filhos , entre amigos, portanto , é demasiado querer que exista no mundo. Beijinhos, amiga e obrigada pela visita sempre carinhosa. Saúde e paz, Maria.
      Emilia

      Eliminar
  9. Talvez nunca ,Um desastre para quem sofre
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se pensarmos bem, ela nunca existiu e assim vai continuar, infelizmente. Obrigada, alfacinha e que à tua volta sintas muita paz. Beijinhos
      Emilia

      Eliminar
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  11. Querida Emília, sigo com meus dois perfis seu blogs pois amo suas postagens assim como amo suas visitas aos meus cantinhos. Vim agradecer e dizer que seu comentário foi maravilhoso. Obrigada!
    Lindo poema. A paz que todos precisamos para sermos felizes e vivermos bem. Um governante que não prega a paz, não faz o seu povo feliz. Hoje em dia tem muitos que só envergonham. Aqui no Brasil cada vez mais ficamos sabendo de coisas que jamais um político deveria fazer e se tornou uma prática corriqueira. Infelizmente!

    Abraços, uma linda tarde e que a felicidade se estenda sempre.

    Deletei o comentário anterior para correção. Desculpe

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os governantes esquecem-se que são funcionários públicos, são empregados pagos pelo povo e que devem tabalhar honestamente em beneficio de todos, nós e eles. O problema é que só pensam neles e acham que mandam, mas o povo vai aprendendo e conhecendo os seus direitos. No Brasil as coisa vão melhorar com a " limpeza "que começa a ser feita e esperemos que o povo saiba estar unido para que as ruas não se transformem em campos de batalha. Sempre foi muito pacifico esse meu povo brasileiro e acredito que assim continue, apesar das divergências normais de opinião. Muito obrigada, Lourdes, pela visita e pelas palavras carinhosas. Um beijinho e que sinta muita paz no seu dia dia. Até. ..
      Emilia

      Eliminar
  12. Fantástico!
    Não conhecia este poema. Obrigada pela partilha.

    Infelizmente, não há segurança/Paz na maioria dos países. Temo que a nossa Paz seja de pouca dura.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também temo, Lisa, que o nosso país deixe de ser este cantinho sossegado, pois , alem das guerras propriamente ditas, temos outras ameaças que aperecem sem aviso, matando indiscriminadamente. Hoje, uma simples saída com os amigos, um passeio com a familia podem transformar-se numa catástrofe. Estamos a ficar com receio de sair de casa e isso é muito triste. Fiquei feliz que tenhas gostado, Lisa e vamos lá... continuar a acreditar que o nosso Portugal será sempre este cantinho fantástico, pobre, mas seguro. Beijinhos
      Emilia

      Eliminar
  13. Querida Amiga lindo poema, ótima escolha, o que mais queremos, o que mais almejamos é que a paz inunde nosso planeta, e que encha nossos corações. Vamos pensar com todas as forças de nossas energias, para ver se este sonho se realiza.
    Beijinhos, Léah

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Leha. Somos pequeninos demais para enfrentar tanta guerra, mas podemos, sim, tentar que a paz reine perto de nós, embora por vezes isso também não se consiga. Os homens não se respeitam e cansamos de ver isso no prédio onde moramos e até mesmo no seio familiar. Sempre foi assim, amiga e a tendência é piorar, pois a ambição cada vez é maior. Obrigada, amiga, pelo carinho da visita e vamos lá...continuemos a sonhar e a fazer a nossa parte para que a paz seja uma realidade. Beijinhos
      Emilia

      Eliminar
  14. Querida Amiga

    Um tema de máximo interesse para todos nós: A Paz, essa entidade volátil. Todos queremos agarrá-la, fazê-la nossa no nosso dia-a-dia mas nem sempre nos assiste o engenho e a arte, parafraseando o grande Camões. Pois, para a fazer um valor universal primeiro teremos de mimá-la dentro de nós e ao lidar com o nosso próximo tê-la sempre presente. Não basta desejar que ela exista mas fazer dela, a cada passo, uma companhia perene. Assim não sendo, de nada nos valerá.

    Natália faz incidir a Paz num cântico memorável privilegiando todos os momentos da nossa vida, em todos os seres vivos, em todos os risos e alegrias. E dessa forma fá-la uma vestimenta para a nossa mente e para o nosso olhar. E não teremos que procurá-la longe mas, antes, nos nossos corações. Só assim conseguiremos encontrá-la e vivê-la em pleno, sentido a dor do outro, festejando a alegria do outro.

    Querida Emília, agradeço-te as belas palavras que me levaste ao Xaile.

    Bom Domingo.

    Beijinhos

    Olinda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, querida Olinda, como queremos a paz no mundo se não a conseguimos dentro de nós e na simples convivência com o vizinho do lado? Quanto irmãos não se guerreiam por alguns " tostões" que os pais deixaram e ficam inimigos para sempre? Quantas vezes, uma fila para o pão não se transforma numa guerrinha? Não há respeito pelo outro e enquanto assim for, ela fugirá sempre por mais que tentemos " agarrá-la "
      Gostei muito deste cantico à paz precisamente por isso, Olinda, por nele Natália Correia " privilegiar todos os momentos da nossa vida, todos os seres vivos, os risos, as alegrias" A verdadeira paz engloba tudo o que faz parte da nossa vida, com respeito por cada ser vivente desta natureza, deste globo do qual fazemos parte. Criemos a paz dentro de nossos corações, mas não a seguremos....deixemos que voe para todo o lado como gosta de fazer aquela linda pomba branca que a simboliza. Como sempre, um belo comentário que muito agradeço, querida amiga. Levei as minhas palavras ao Xaile, mas ele, grande amigo que é, aparece logo trazendo-me as suas carregadinhas de carinho. Um beijinho e desejo-te dias com saúde e paz.
      Emilia

      Eliminar
  15. Maravilhosa esta ode à Paz da saudosa Natália Correia. Essa paz que anda arredia do mundo que vivemos...
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom ter-te aqui de novo, Graça! Precisamos pensar a paz como algo que tem de estar dentro de nós para que assim a possamos passar adiante. Se cada um a praticasse junto daqueles que estão perto com certeza o mundo seria mais pacifico, embora eu creia que o dinheiro e a ânsia pelo poder sejam os principais motivos para tanta desavença. Muito obrigada e que os teus dias sejam de tranquilidade, com paz interior e saúde. Beijinhos
      Emilia

      Eliminar
  16. Obrigada pelo excelente comentário que deixou no meu "Ortografia", onde interpreta tão bem o que quis dizer com "Fui todas as mulheres de Modigliani". É isso:somo uma e todas ao mesmo tempo, com os mesmos anseios, as mesmas alegrias, as mesmas solidões.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agradeco-te ( pode ser assim? ) imenso a amabilidade, vindo cá falar do meu comentário no " ortografia ". Creio ser dificil ou até impossivel interpretar as palavras de um poeta que, de uma maneira sempre bela, deixa escorrer da alma para o papel o que sente , o que o preocupa e muitas vezes o que vê no mundo; o que faço é ler, sentir e deixar que a minha alma deixe sair o que reteve daquelas emoções transformadas em verso pelo poeta. Claro que fiquei imensamente feliz por saber que fui capaz de interiorizar o essencial da tua mensagem, já que ,colocar em versos aquilo que sinto, seria impensável, amiga! Não os faço, mas, pelo menos, sinto-os o que já não é mau. Beijinhos, Graça e mais uma vez, obrigada pelo carinho.
      Emilia

      Eliminar
  17. Se um dia teremos paz... acho que não!
    Acho que tal não consta do ADN da espécie humana... pelo menos durante muito tempo... e todas as soluções... cedo ou tarde passam pela guerra... periodicamente... e ciclicamente... sem que as lições do passado, sejam interiorizadas...
    Adorei ler o poema que não conhecia, Emília! Grata por esta bela partilha... e pelas suas palavras lá no meu canto, por estes dias, que ainda não tive oportunidade de agradecer, por lá, mas o que farei muito em breve...
    Um beijinho grande! Continuação de uma boa semana!
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo contigo, Ana! Faz parte do ser humano andar sempre em lutas, mais ou menos graves e dificilmente começará a " interiorizar as lições do passado. Também não acredito que algum dia chegue a paz que tanto desejamos. Fico contente que te tenha agradado este poema que para mim também era desconhecido; tenho aprendifo muito com este meu começar de novo e com todos os blogs que visito e por isso dificilmente desistirei dele. Muito obrigada, querida amiga e desejo-te dias serenos, com muita paz e saúde. Um beijinho
      Emília

      Eliminar
  18. Oi Emília
    Obrigada pela gentileza do comentário.`Dissestes bem a a vida tem nos reservado só 'falta de vida' _andar aos sobressaltos.Ah os bons tempos que dormíamos em paz.Hoje tudo preocupa-nos.
    Os poemas da poetiza Natália Correia são muito reais e comoventes.
    É urgente que a Paz se restabeleça no mundo.
    Grande abraço,amiga

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Lis, hoje a insegurança " tira-nos o sono "; o mundo está tão conturbado que nos impede de vivermos sem " sobressaltos "; por mais que queiramos, não conseguimos ficar indiferentes a tantas guerras por esse mundo afora, a tanta violência principalmente nas grandes cidades. É triste, mas é o mundo que temos e não creio que melhore. Um beijinho, Lis e muito obrigada pela carinhosa visita.

      Eliminar
  19. Respostas
    1. Muito obrigada, António, pelo carinho. Uma nova semana começa e que ela seja para todos tranquilia, com paz pelo menos à nossa volta e que a alegria também não falte; não precisamos de mais, não é verdade, amigo? Um beijinho e até breve.
      Emilia

      Eliminar
  20. “Abre as portas da História,
    deixa passar a Vida!”

    Belos versos a encerrar um grandioso poema (dos mais expressivos que já li sobre a conclamação da paz), onde nos deixamos levar pela doçura e veemência na voz de uma poetiza tão consagrada.

    Difícil responder à pergunta que tu fazes, porque as perspectivas são todas muito sombrias, não apenas a nível mundial, como nas relações inter-pessoais. As nações que querem a paz estão a fazer guerra para consegui-la... O ser humano tem se tornado cada vez mais individualista...
    Enfim, um assunto difícil até de abordar por envolver variadas e complicadas situações.
    Não podemos generalizar com relação às pessoas, pois felizmente vemos famílias e grupos sociais se interagindo de forma harmoniosa, buscando espalhar no meio ambiente a solidariedade e o amor como formas de trazer a paz para todos. Neste aspecto, se houver um maior empenho das pessoas, acredito que a paz poderá reinar. A nível mundial, tenho uma posição pessimista, pois acredito que enquanto alguns países lutam por ela, outros se digladiam entre irmãos mesmo, buscando cada um demonstrar um poder de força maior.

    Emília, minha querida, venho agradecer por todo o carinho demonstrado nos comentários e por toda a força e solidariedade que me chegaram com tuas afetuosas palavras.
    Foi um período de intenso sofrimento a que me dei conta quando dias depois acordei numa UTI cercada por tubos e agulhas, sem saber como ali fui parar. Um sofrimento que se intensificou ao saber das perdas sofridas enquanto estava sedada.

    Tenho procurado me reerguer, seguindo ainda as restrições impostas pelos médicos. O que me levou a dar uma pausa no blog (talvez não volte), mas tudo está ainda muito incerto na minha vida. Uma recuperação que requer tempo para que as emoções possam ser apaziguadas e o físico possa se recuperar totalmente. Infelizmente mais a frente está a minha espera uma outra cirurgia. Estes “objetos estranhos” que se alojam no cérebro deixam muitas vezes um resíduo que com o tempo tem que ser extirpado.

    Enfim, minha amiga, mais uma provação pela qual estou sendo submetida.

    Tendo oportunidade estarei por aqui, mas quero deixar registrado meu agradecimento pela solidariedade que demonstraste, deixando aqui o meu carinho, amizade e admiração pela pessoa linda que tu és.

    Um beijo no teu coração,
    Leninha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Leninha, nem sei como te agradecer a disponibilidade que mostras para com os teus amigos, estando tu a passar por momentos tão dificeis; tens um coração do tamanho do mundo, " abafando " a dor que te vai na alma para agradecer o que tão pouco faço por ti, amiga! Gostaria de poder fazer muito
      mais, mas a distância é grande e além disso sou pequenina demais para impedir ou atenuar o sofrimento que a vida teima em trazer aqueles que nada fizeram para o merecerem; e são tantos, Leninha!!! A vida tem muitos mistérios e este é um deles, o porquê de tanto sofrimento para uma pessoa só, tanta dor para crianças inocentes, tanta guerra que só atinge e faz sofrer os mais desfavorecidos, enquanto que os poderosos continuam a a amealhar dinheiro e ainda mais poder. Não entendo eu e não entendem todos os homens de boa vontade; mistérios, querida Leninha!
      Gostaria muito de estar junto a ti para te dar força para enfrentares esta batalha, mas, como não é possivel deixo-te aqui o melhor que tenho para dar, a minha sincera amizade e um abraço longo, apertado e carregadinho de FORÇA E ESPERANÇA em dias menos sombrios. Tenho a certeza que o sorriso voltará a iluminar o teu lindo rosto, amiga!
      Voltarei sempre ao teu cantinho para saber saber como estás. Todo o meu carinho !
      Emilia

      Eliminar
  21. Adoro ler poesia de Natália Correia.
    Obrigado pela linda partilha.
    Bom fim de semana
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom, Maria! Também gostei muito deste poema que não conhecia e achei que no dia da criança seria oportuno falar de paz, já que são elas as que mais sofrem com a falta dela. Muito obrigada, Maria e tudo de bom para ti e para os teus. Um beijinho
      Emilia

      Eliminar
  22. Emília, minha querida amiga
    Natália, grande poetisa e grande Mulher, deixou-nos obra de vulto, na qual se inclui este "Ode à Paz".
    A Paz, que o Homem desrespeita desde os primórdios da humanidade, duvido que alguma vez venha a ser total e universal.
    A ambição e ganância pelo poder são demasiado fortes e conduzem a conflitos entre as nações e, dentro delas, até mesmo entre irmãos - de raça, de cor, de religião...
    É nosso dever promover a Paz na família, entre amigos e conhecidos em geral, enfim, fazer com que ela exista, pelo menos, ao nosso redor.
    Se todos cumprirem com estes princípios já será uma ajuda...

    Minha querida, muitíssimo obrigada pela tua presença e, sobretudo, pelas tuas palavras tão carinhosas e compreensivas que deixaste no meu blog.
    Bem hajas!

    Votos de um Domingo feliz
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estou totalmente de acordo contigo, Mariazita! Sempre hove guerras e sempre haverá, pois a ganância pelo poder nunca acabará. O que temos de fazer é espalhar a paz no seio familiar, onde muitas vezes há " guerras " enormes, entre os amigos e vizinhos . Quanto à paz mundial, essa, apesar de haver muitas entidades que lutam por ela, há poderes maiores que " abafam" essas tentativas e a paz torna-se assim uma utopia. Façamos a nossa parte, querida amiga! Desejo-te muita paz interior e que os teus dias sejam iluminados. Muito obrigada pelo carinho das tuas palavras e pelo comentário assertivo, como sempre. Um beijinho
      Emilia

      Eliminar
  23. Peço desculpa pela crueza da resposta, mas nunca existirá Paz : a criatura humana move-se por interesses - e estamos vivendo uma época que está totalmente subjugada por eles.

    Abraço longo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A tua resposta é de grande " crueza ", como dizes, mas é real e acho que é o que toda a gente pensa. Se as guerras são tantas nas familias, nos amigos, num prédio com poucos habitantes, como ppderemos esperar que haja paz no mundo? Impossível, São. Muito obrigada pelo carinho e tudo be bom, principalmente paz e saúde. Um beijinho
      Emília

      Eliminar
  24. OI EMÍLIA!
    ACHO QUE NÃO AMIGA. O SER HUMANO INFELIZMENTE, NÃO APRENDE. TEMOS VISTO CONFRONTOS CAUSADOS POR TODO O TIPO DE DIVERGÊNCIAS E QUANDO VEJO ISSO PENSO : COMO, DEPOIS DE GUERRAS QUE FORAM UM ATRASO PARA TODA A HUMANIDADE, PODE-SE CORRER ESTE RISCO DE NOVO? MAS, ESTÃO AÍ, EGOS IDIOTAS QUE PODEM NOS LEVAR NOVAMENTE A ESTE CAOS.
    ABRÇS AMIGA
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo plenamente, Zilanni, o ser humano não aprende apesar da inteligência que tem, apesar de tantos feitos maravilhosos de que foi e é capaz, mas... entrando dinheiro e poder logo ele se esquece de que é " humano " e se comporta muito pior do que os ditos irracionais. É triste constatar que, por mais que chamemos a paz, ela se sente incapaz de transpor tantas barreiras e não chega até nós. Continuemos, no entanto, a chamá-la, pelo menos, para junto de nós e de todos aqueles que connosco convivem; conseguiremos assim dormir de consciência tranquila, pois fazemos a nossa obrigação como seres humanos conscientes do nosso papel como cidadãos. Amiga, muito obrigada pelo carinho da visita e que a paz e a saúde não te faltem. Um beijinho
      Emília

      Eliminar