quarta-feira, 21 de abril de 2010

DUES LHÊNGUES - Amadeu Ferreira



Como prometido, aqui está a 2ª parte do poema de Amadeu Ferreira, Dues Lhêngues que foi traduzido para o Português do Brasil pelo professor Brasileiro José R. Bessa Freira. Incluo também algumas frases do poema que foram escolhidas pelos indíos que participaram no trabalho para que fossem traduzidas para o Guarani. Vão gostar com certeza!


"...Hai dies an que quiero traduzir ua pa la outra
mas las palabras scónden-se-me
i passo muito tiempo atrás deilhas.
Antre eilhas debíden l miu mundo
i quando pássan la frunteira sínten-se meio perdidas
i fártan-se de roubar palabras ua a l’outra.
Dambas a dues pénsan
mas hai partes de l coraçon an que ua deilhas nun cunsigue antrar
i quando s’achega a la puorta pon l sangre a golsiar de las palabras.
Cada ua fui pursora de l’outra:
l mirandés naciu purmeiro i you afize-me a drumir
arrolhado puls sous sonidos calientes cumo lhúrias
i ansinou l pertués a falar guiando-le la boç;
l pertués naciu-me a la punta de ls dedos
i ansinou l mirandés a screbir porque este nunca tubo scuola para donde ir.
Tengo dues lhénguas cumigo
dues lhénguas que me fazírun
i yá nun passo nien sou you sien dambas a dues.

Tradução de José R. Bessa Freire ao português do Brasil

"...Há dias em que quero traduzir uma para a outra,
mas as palavras se escondem de mim
e gasto muito tempo atrás delas.
Entre elas, dividem o meu mundo
e quando atravessam a fronteira se sentem meio perdidas
e não se cansam de roubar palavras uma a outra.
Ambas pensam,
mas há partes do coração em que uma delas não consegue entrar
e quando se aproxima da porta, o sangue se põe a jorrar com as palavras
Cada uma foi professora da outra:
o mirandês nasceu primeiro e eu me habituei a dormir
embalado por seus sons ardentes como brasas,
ensinando o português a falar, guiando-lhe a voz.
O português nasceu-me na ponta dos dedos
e ensinou o mirandês a escrever porque este nunca teve escola para ir.
Tenho duas línguas comigo
duas línguas que me fizeram
e já não vivo sem elas, nem sou eu, sem as duas.

FRASES DO POEMA EM PORTUGUÊS ESCOLHIDAS PELOS INDIOS PARA SEREM TRADUZIDAS AO GUARANI

Adílio: Tenho duas línguas comigo, duas línguas que me fizeram / E já não vivo sem elas, nem sou eu sem as duas.

Adílio Kuaray Papa – Areko mokoĩ ayvu xere / Mokoĩ ayvu xeapo/ Ndaiko vei ma / A´e kuery e´ỹ reve / Ni xee ma xee´ ỹ / Mokoĩ e´ỹ reve.

Hélio – O guarani nasceu primeiro, e eu me habituei a dormir / embalado por sua suave sonoridade musical.


Hélio Kuaray – Amongue py peteĩ xeayvuxe / Amboae katy aa

Aldo – Fui obrigado a falar palavras estranhas de uma outra língua. Agora já não posso mais viver sem as duas

Aldo Karai Mirĩ – Aĩ gui maxemboayvu / Ayvu amboae py / Aĩ gui mandaiko vei ma / Mokoĩ e´ ỹ re.

Nírio – Com a língua portuguesa...caminho pelas ruas, leio as cidades, entro no ônibus.

Nirio Karai Mirĩ Tataendy – Peteĩ ayvu / Xereve oiko va’e / Ha´i jyva a´i ry / Aĩ reve guare.

Espero que gostem!

Emília Pinto

16 comentários:

  1. mande para mim o seu e-mail que te passo algumas músicas minhas em latim e gravações em português antigo

    ResponderEliminar
  2. Oi Emilia!
    Já ontem aqui estive, mas nada disse ,hoje somente para dizer que gostei, deste enrolado de linguas dentro do mesmo país, somo um povo pequeno ,mas com muitas tradições, e o certo é que não as deixamos esquecer., Parabéns, é bom ensinar e melhor é aprender!
    Amiga até breve
    Herminbia

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  4. Oi Hermínia. Que bom que gostou! É sempre bom aprender coisas novas e, embora soubesse desta nossa lingua minoritária, não tinha lido nada sobre ele. Fiquei feliz por ter tido essa oportunidade. Um beijinho e até breve
    Emília

    ResponderEliminar
  5. Sabe, Ediney que estudei Latim? Sou de letras e portanto tive que estudar essa língua que até me agradava. Também tive que estudar nuitos textos em Portugês Arcaico. Vou adorar receber os seus trabalhos. Muito obrigada. O mail é micostapinto@quintadojudeu.com
    Beijinho e volte sempre!
    Emília

    ResponderEliminar
  6. Boas Amigas!

    Magnifico texto,
    Quando as coisas reaparecem ao fim de longo tempo de ausência a gente sempre se re)lembra que quase se perdeu um tesuro.
    Mas ai, ele nos desperta da inercia em que vivemos. É o final da vida e o ínicio da sobrevivência, oxalá que a sobrevivência perpetue bens preciosos como este
    Grato pela

    ResponderEliminar
  7. Só para vos desejar um bom dia...
    que ele brilhe em vossos corações.
    Bjs

    ResponderEliminar
  8. Ássim é, Jacarée! Ainda bem que aparecem estudiosos que se preocupam em reviver coisas importantes que acabam por cair em esquecimento. Para mim foi importante, pois só conhecia o Mirandês de nome. Que todos os seus dias sejam o melhor possível Obrigada pela visitas! Um beijinho
    Emília

    ResponderEliminar
  9. Olá. Adorei.
    Emília, quem estudou Latim domina muito melhor a língua.

    Gostei

    Beijinho

    ResponderEliminar
  10. É verdade, cantinho! Sendo o Latim uma lingua morta, a função dele é precisamente fazer com que se entenda melhor a nossa língua e todas as que dele derivam. Fiquei contente por ter gostado. Um beijinho, obrigada pela visita e tenha um bom fim de semana.
    Emília

    ResponderEliminar
  11. Traduzir é um exercício bem complicado.

    Saudações poéticas

    ResponderEliminar
  12. Oi amigo, como vai? Traduzir é complicado, mas eu gosto muito de traduzir; adoro ficar horas perdida numa tradução. Um beijinho e obrigada pela visita
    Emília

    ResponderEliminar
  13. Olá a ambas!

    Tão bonita também esta 2ªparte!
    Gostei muito desta partilha de tão bonito texto. Valeu : )

    Beijinho grande

    Ps. Espero que a Herminia esteja melhor!!
    Outra coisa, tinhamos falado há já uns meses Emilia em nos encontrarmos. Essa proposta ainda continua de pé? Se sim, numa altura em que vos dê jeito adoraria poder conhecer-vos ao vivo : )

    Mais um bjo

    ResponderEliminar
  14. Oi Joana. Fico contente que tenhas gostado.Claro que a proposta ainda está de pé, pois gostaríamos imenso de te conhecer. Temos é que saber qual a melhor altura para ti. A melhor maneira é irmos combinando as coisas por e-mail. Sabes que no Brasil encontrei-me com a amiga do blog O presente do Presente e falei ao telefone com a do blog De tudo fica um pouco e Pensamentos de Ná; elas não puderam encontrar-me em S. Paulo por motivos profissionais. O meu mail é micostapinto@quintadojudeu.com Diz qualquer coisa. Beijinhos e obrigada pela visita
    Emília

    ResponderEliminar
  15. Tenho vindo...ler na tentativa de saber o que dizer
    é um tanto de força.......e tão magnifico conteudo que ainda me faltam palavras.
    Voltarei mais vezes........ate conseguir traduzir em palavras esse tanto de sentir que acorre quando cá estou.

    bem querer enorme

    ResponderEliminar
  16. Obrigada Denise! É muito bom saber que gostam do que fazemos! Volte sempre, pois gosto muito do seu " bem querer ". Beijinhos e até breve
    Emília

    ResponderEliminar