terça-feira, 15 de setembro de 2020

CANÇÃO DE OUTONO

 Imagem pixabay


Perdoa-me, folha seca,
não posso cuidar de ti
Vim para amar neste mundo,
e até do amor me perdi. 
De que serviu tecer flores
pelas areias do chão
se havia gente dormindo 
sobre o próprio coração? 

E não pude levantá-la! 
Choro pelo que não fiz.
E pela minha fraqueza 
é que sou triste e infeliz. 
Perdoa-me, folha seca!
Meus olhos sem força 
estão velando e rogando
aqueles que não se levantarão... 

Tu és folha de outono 
voante pelo jardim. 
Deixo-te a minha saudade 
- a melhor parte de mim. 
E vou por este caminho, 
certa de que tudo é vão. 
Que tudo é menos que o vento, 
menos que as folhas do chão... 

 Cecília Meireles , Poesia completa: Volume 2. Rio de Janeiro:


Emociona, este belo poema!

Emília Pinto


39 comentários:

  1. Belíssimo poema, Emília!
    Tudo tem que ser resolvido na efemeridade da vida, de todos seres vivos. As folhas caem, todas.
    Obrigada pelo compartilhamento, adorei, abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Dalva, até nós vamos deixando cair " as nossas folhas " aos poucos. Não nos damos conta de que a vida é curta e nem sempre aproveitamos a Primavera para parar, observar e admirar tanta beleza à nossa volta. Obrigada, Dalva, pela visita e que a vossa Primavera chegue alegre e florida para atenuar um pouco o sofrimento da pandemia. Beijinhos
      Emilia

      Eliminar
  2. Poema deslumbrante. Pura felicidade de leitura poética.
    .
    Um dia feliz
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Ricardo. Não conhecia este poema e a beleza dele é tão grande que resolvi escolhê-lo para o post da chegada do outono. Um beijinho, Amigo
      Emilia

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Obrigada, Alfacinha! Fico feliz que tenhas gostado. Um beijinho e SAÚDE
      Emilia

      Eliminar
  4. Tens razão amiga, este magnífico poema da grande Cecília Meireles emociona de verdade. Adorei ler!
    "Vim para amar neste mundo,
    e até do amor me perdi."
    Acontece!
    Abraço apertadinho. Dos nossos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Amiga do coração! É verdade, este poema " emociona de verdade". Gostei muito, apesar de nostálgico, mas, o outono traz muita nostalgia pelo deaparecimento do verde, pelas folhas que tristemente caem no chão e, principalmente por nos sabermos no outono da vida e vermos a cada dia uma folhinha a desprender-se de nós. Não é a minha estação preferida, porque, como sabes, eu gosto de calor e ele anuncia-nos o frio. Mas que importa o meu gosto? Absolutamente nada ! Obrigada, Teresa por teres vindo visitar-me e desculpa não ter preparado um batido; para a próxima, se avisares com um pouquinho de antecedência, quem sabe? Um abraço enorme carregadinho de amizade
      Emilia

      Eliminar
  5. Nossa... querida amiga, esse poema da Cecília é para nos derrubar de emoção, que lindo, que sensibilidade, não conhecia. Muito próprio, entrando o outono aí. Sem dúvida, uma das minhas poetisas que está no 'topo'.
    Foi uma feliz escolha, agradeço muito, pois esse eu não conhecia.
    Beijinho, Emília, uma boa semana, sempre!

    "De que serviu tecer flores
    pelas areias do chão
    se havia gente dormindo
    sobre o próprio coração?"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Taís, é triste ver uma folhinha seca caída no chão, mas muito pior é ver " gente dormindo sobre o próprio coração ". A folha levantar-se-a sozinha com a ajuda do vento, mas há os que não se levantarão. Esses, sim, precisam de ajuda. Taís, fico contente que tenhas gostado deste fantástico poema, pelos vistos também desconhecido para ti. Um beijinho e a minha sincera amizade. Fica bem, querida Amiga.
      Emilia

      Eliminar
  6. Emilia, gosto muito da Cecília e gosto muito de aqui sempre estar! Sempre encontro algo legal pra ler e lembrar! beijos, tuuuuuuuuuudo de bom,chica Fica bem, aqui ainda em casa!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Chica, pelo carinho. Que bom saber que gostas de vir cá! Para mim é sempre uma alegria receber-te e espero que nunca desistas do Comecar de novo. Espero que estejam bem de SAÚDE e o melhor é mesmo ficar em casa, pois a pandemia parece não querer largar-nos. Um beijinho
      Emilia

      Eliminar
  7. A Cecília Meireles é magnífica. Este poema, tão sensível emociona que ama as palavras e o outono. O outono é a minha estação preferida. Nasci no outono. Há muito significado na nostalgia dos dias, nas folhas que caem, nas noites maiores que os dias, naquela melancolia que nos sai do coração...
    Muita saúde minha Amiga Emília.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Graça! Fico feliz que tenhas gostado deste poema, nostálgico, como não poderia deixar de ser, em se tratando de cantar o outono. Sabes, eu nasci no inverno, estação do ano de que menos gosto por causa do frio e dos dias sombrios; gosto de sol...faz-me falta...
      Beijinhos, Amiga e fica bem, com SAÚDE para todos. Obrigada pelo carinho da visita.
      Emilia

      Eliminar
  8. Olá Emilia querida


    Um poema lindo e atual que parece que foi escrito hoje...
    Cecília Meireles uma mulher a frente do seu tempo.
    Adorei a partilha.

    Beijos
    Ani

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Ani. Lindo este poema, sim! Conheço muito pouco da obra de Cecilia Meireles e isso é imperdoável. Tenho que pesquisar mais sobre ela. Um beijinho e SAÚDE para todos aí
      Emilia

      Eliminar
  9. Bom dia de muita paz, querida amiga Emilia!
    Tão bonito o poema escolhido para saudar o outono que está para chegar ai!

    Vim para amar neste mundo,
    e até do amor me perdi.

    Bonitos os versos acima.
    Sensibilidade a sua em partilhar.
    Tenha dias abençoados!
    Bjm carinhoso e fraterno

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Roselia, este poema condiz com a estação que começou aqui, o outono sempre nostálgico, com as folhas a caírem e as arvores a ficarem despidas do seu verde. Logo, logo, chega o inverno, para mim a estação mais triste, com chuva, frio e os dias sem sol. Um beijinho, Amiga e obrigada pelo carinho. SAÚDE e paz para todos vós aí. Até breve!
      Emilia

      Eliminar
  10. Cảm ơn bạn đã chia sẻ bài viết
    Tôi là Food Blog tôi có nhiều sở thích. Tôi thích đi du lịch và đọc sách. Nhưng sở thích yêu thích của tôi là nấu ăn. Hãy để tôi nói cho bạn biết lý do tại sao! Đầu tiên, tôi sẽ cho bạn biết một chút về lý do tại sao tôi bắt đầu nấu ăn. Thứ hai, tôi sẽ cung cấp cho bạn một số thông tin về những gì tôi thích nấu. Thứ ba, tôi sẽ nói cách tôi sử dụng food near me để nấu ăn.

    Khi tôi bắt đầu nấu ăn, tôi 10 tuổi. Mẹ tôi muốn tôi trở thành một đầu bếp. Bà luôn tin rằng con gái phải làm nhiều loại thức ăn khác nhau, vì một ngày nào đó họ sẽ kết hôn. con gái không nấu ăn là chuyện bình thường. Tôi thấy mình may mắn vì nấu được nhiều món. Bây giờ tôi nấu một số món ăn mà các con tôi và chồng tôi yêu thích, tôi trở nên hạnh phúc và tự hào về mẹ và bản thân tôi. Hãy ghé thăm blog của tôi I am a food blog

    ResponderEliminar
  11. Querida Amiga Emília: que bela escolha, poema tocante, lindo.
    Beijinhos, abraço forte cheio de saudades...
    Léah

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Leah, muito obrigada pela visita, fico feliz que tenhas gostado deste belo poema. Espero que estejam todos bem, querida Amiga. Mil beijinhos
      Emilia

      Eliminar
  12. Não conhecia este poema.
    Gostei de ler, obrigado pela partilha.
    Bom fim de semana querida amiga Emília.
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom que gostaste, Jaime! Fico contente com isso. Espero que a SAÚDE continue boa por aí e deixo-te um abraço carregadinho de amizade
      Emília

      Eliminar
  13. Não conhecia este poema... A vida tem ciclos e há dias em que estamos tão sozinhas que perguntamos se estamos perdidas...
    Obrigada pela partilha...
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  14. É verdade, Marta, a vida tem ciclos e nós temos que os acompanhar da melhor maneira possivel, enfrentando com coragem o que vier em cada ciclo. Um beijinho, Amiga e SAÚDE. Muito obrigada!
    Emilia

    ResponderEliminar
  15. Que lindo este poema!
    E assim são as estações;
    Vcs se preparando para o frio e hoje aqui no Brasil entra
    oficialmente a primavera;

    r. Já fui mais resistente para o frio mas o inverno no sítio
    anda castigando k com essa pandemia 19 horas a gente já estava na
    cama k; mas tbm não sei o que é pior; o frio ou aquele calor escaldante! que não tem onde parar mesmo com muitas árvores a brisa
    que sopra no horário do meio dia é super quente! k mas é o que temos kkkk;
    Bom final de mês;
    Abraços!
    janicce.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é, Janicce, o meio termo é sempre melhor, mas temos de respeitar a natureza, aceitando o que ela nos manda. O melhor mesmo é o inverno no Brasil, o do Estado de S, Paulo onde vivi. Uma temperatura amena, nem muito frio, nem muito calor. Amiga, gostei de te ver por cá! Espero que estejam todos de saúde e que o teu jardim, no sitio, se encha de belas flores, nesta Primavera, para atenuar as preocupações com a pandemia. Beijinhos e um bom Domingo
      Emilia

      Eliminar
  16. poema muito belo e suave, Amiga Emília
    para celebrar as cores e odores de Outono
    gostei muito

    beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também gostei muito, Manuel! É nostálgico, mas não é assim também o outono? Para mim, é, pois a seguir vem o Inverno que considero uma estação triste e, com esta pandemia, a tristeza vai ser ainda maior, AMIGO, muito obrigada pelo carinho e desejo-te muita SAÚDE. Um beijinho
      Emilia

      Eliminar
  17. Olá, Emília,
    como não gostar desse belíssimo poema da talentosa Cecília Meireles? A sensibilidade da excelente poetisa brasileira dá vida e esperança a uma simples folha seca. Talento de sobra, Emília!
    Beijo, um ótimo domingo, minha amiga.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Pedro, a partir de uma simples folha seca, Cecília Meireles deixa-nos um poema que nos leva a pensar na miséria humana. Obrigada, Pedro, pela visita. Gosto muito de te ver por aqui. Um beijinho e SAÚDE para todos aí em casa.
      Emilia

      Eliminar
  18. Cảm ơn chia sẻ của bạn, mọi thứ ở đây đều tốt
    Tôi là Food Blog tôi có nhiều sở thích. Tôi thích đi du lịch và đọc sách. Nhưng sở thích yêu thích của tôi là nấu ăn. Hãy để tôi nói cho bạn biết lý do tại sao! Đầu tiên, tôi sẽ cho bạn biết một chút về lý do tại sao tôi bắt đầu nấu ăn. Thứ hai, tôi sẽ cung cấp cho bạn một số thông tin về những gì tôi thích nấu. Thứ ba, tôi sẽ nói cách tôi sử dụng food near me để nấu ăn.

    Khi tôi bắt đầu nấu ăn, tôi 10 tuổi. Mẹ tôi muốn tôi trở thành một đầu bếp. Bà luôn tin rằng con gái phải làm nhiều loại thức ăn khác nhau, vì một ngày nào đó họ sẽ kết hôn. con gái không nấu ăn là chuyện bình thường. Tôi thấy mình may mắn vì nấu được nhiều món. Bây giờ tôi nấu một số món ăn mà các con tôi và chồng tôi yêu thích, tôi trở nên hạnh phúc và tự hào về mẹ và bản thân tôi. Hãy ghé thăm blog của tôi I am a food blog

    ResponderEliminar
  19. Minha querida Emília

    Cecília Meireles, Poetisa completa que tem o condão de nos
    emocionar em tudo o que escreve. Analisa a vida em todos
    os seus aspectos com uma profundidade que emociona. Aqui,
    nesta Folha Caída, quanta crítica social, tanto amor
    pelo próximo.

    Nos seus Poemas Infantis coloca-se ao nível dos pequeninos
    exprimindo-se em palavras que vão direitas ao coração.

    Se não me engano, no ano passado, dediquei à Pequena
    Beatriz um poema dela: "A Bailarina". :)

    Beijinhos
    Olinda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, Olinda, dedicaste esse poema à Beatriz, muito bonito
      Na verdade. Foi um miminho que nunca esquecerei. Este poema emociona de tão profundo, de tanto amor pelo próximo aqui demonstrado. Eu não conhecia, mas encantou-me. Obrigada, querida Amiga pelas belas palavras e aqui deixo o meu abraço carregadinho de amizade. Fiquem todos bem, com SAÚDE!
      Emilia



      Eliminar
  20. A grandeza da alma e da sensibilidade de Cecília... aqui tão bem patentes!
    Que maravilhosa forma, de assinalar a chegada do Outono, por aqui!
    Profundo e tocante, mesmo!!! Adorei, Emília!
    Beijinhos!
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Ana! Fico feliz que tenhas gostado " profundo e tocante, como bem dizes. Um beijinho e SAÚDE, principalmente para z tua mãe
      Emilia

      Eliminar
  21. Minha amiga Emília, como há muito tempo não te visitava aqui estou para uma visita demorada...
    E comecei da melhor maneira, lendo este poema magnífico da Cecília Meireles, exactamente num dia cinzento e chuvoso de outono.
    Conheço mal, mal, mal, a obra da poeta.
    Beijos e abraços apertadinhos, daqueles, nossos!!

    ResponderEliminar
  22. Mas, outra vez? É imperdoável! Que dizer? Pedir desculpas, mais nada! Obrigada! Desculpas esta tua amiga " atrapalhada? Beijos muitos
    Emilia

    ResponderEliminar