terça-feira, 8 de novembro de 2016

LUTO....



.....pela bondade

Quero viver num mundo sem excomungados. Não excomungarei ninguém. Não diria, amanhã, a esse sacerdote: «Você não pode baptizar ninguém porque é anticomunista.» Não diria ao outro: «Não publicarei o seu poema, o seu trabalho, porque você é anticomunista.» Quero viver num mundo em que os seres sejam simplesmente humanos, sem mais títulos além desse, sem trazerem na cabeça uma regra-, uma palavra rígida, um rótulo. Quero que se possa entrar em todas as igrejas, em todas as tipografias. Quero que não esperem ninguém, nunca mais, à porta do município para o deter e expulsar. Quero que todos entrem e saiam sorridentes da Câmara Municipal. Não quero que ninguém fuja em gôndola, que ninguém seja perseguido de motocicleta. Quero que a grande maioria, a única maioria, todos, possam falar, ler, ouvir, florescer. Nunca compreendi a luta senão como um meio de acabar com ela. Nunca aceitei o rigor senão como meio para deixar de existir o rigor. Tomei um caminho porque creio que esse caminho nos leva, a todos, a essa amabilidade duradoura. Luto pela bondade ubíqua, extensa, inexaurível. De tantos encontros entre a minha poesia e a polícia, de todos esses episódios e de outros que não contarei porque repetidos, e de outros que não aconteceram comigo, mas com muitos que já não poderão contá-los, resta-me no entanto uma fé absoluta no destino humano, uma convicção cada vez mais consciente de que nos aproximamos de uma grande ternura. Escrevo sabendo que sobre as nossas cabeças, sobre todas as cabeças, existe o perigo da bomba, da catástrofe nuclear, que não deixaria ninguém nem nada sobre a Terra. Pois bem: nem isso altera a minha esperança. Neste momento crítico, neste sobressalto de agonia, sabemos que entrará a luz definitiva pelos olhos entreabertos. Entender-nos-emos todos. Progrediremos juntos. E esta esperança é irrevogável.

 Pablo Neruda, in "Confesso que Vivi


Tenhamos esperança, amigos!!!!

Emilia Pinto





48 comentários:

  1. Um texto fabuloso! Lutar pelos nossos direitos faz parte da vida sem que se atropele ninguém.
    A esperança pelo que se luta deve ser a última a morrer.No entanto o desânimo em que se vive, mata-a!

    Beijinhos.

    P.S. Ando em modo muito lento pelo PC. Agendei o blogue.
    Fui oerada aos canais lacrimais e o pós opratório tem sido muito lento.
    Já só devo tirar os fios dos olhos às 3 semanas.


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Antes de mais, Lisa, quero manifestar os meus desejos de que a recuperação seja a esperada e que não te cause muito transtorno esses " fios nos olhos" Nem imagino como será isso, mas fácil não deve ser. Que corra tudo bem, amiga. Claro que o que vai acontecendo no mundo nos causa desânimo, mas que fazer? Não lucramos nada em lamentar e por isso o melhor é seguir em frente com esperança. Obrigada, Lisa e fica bem. Um beijinho e...forca!
      Emilia

      Eliminar
  2. E como tarda o entendimento entre todos. Resta-nos a esperança...
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Elvira, " tarda o entendimento entre todos" e, com o resultado das eleições nos Estados Unidos tenho a impressão que a intolerância e as guerras vão aumentar. Juntando o Trump de um lado e o Puttin de outro, o pouco que se tem conseguido vai-se esfumar. Obrigada, querida amiga e uma boa noite. Um beijinho
      Emilia

      Eliminar
  3. Emília, a menção a esse poeta faz-me lembrar de tantos outros, que gosto, e que pela sua importância não podem ser esquecidos, tais como os da língua portuguesa: Fernando Pessoa, João Cabral de Melo Neto, Carlos Drummond de Andrade, Manoel Bandeira; o norte-americano Ezra Pound, o inglês Eliot e o francês Baudelaire.Parabéns.
    Abraço. Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Felizmente poesia faz-se muita e boa e na nossa lingua há escritores fantásticos que devem ser homenageados sempre. Há aqui alguns que nunca foram tratados no Começar de Novo, mas Drummond e Fernando Pessoa muitas vezes tiveram aqui a minha atenção. Mas, Pedro, deste-me aqui temas para próximos posts, lembrando-me todos estes escritores. Agradeço-te muito esse facto e também a visita sempre tão simpática. Um beijinho e fica bem.
      Emilia

      Eliminar
  4. Querida, Emília!
    Que ótima leitura nos proporciona com esse post.
    Manter em si o não julgar, crer no caminho que escolhemos para trilhar.
    Acreditar, apesar de tudo, que a bondade ainda existe e há de se ter esperança que dias mais luminosos vão existir.
    Um aprendizado que só depende de nós.
    Grande abraço e desejo de uma ótima semana junto ao irmão.
    Bjs
    Sônia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Perante tantas maldades que vemos, é dificil manermos a esperança de que " todos nos entenderemos e de que progrediremos juntos" , mas, se olharmos bem para dentro de nós chegaremos à conclusão de que temos de fazer a nossa parte e nem sempre isso acontece. Se muitas vezes dentro das nossas casas não conseguimos a harmonia, como pode o mundo ter paz? Obrigada, Sonia pelo carinho da visita e tudo de bom, principalmente com saude e dias de muita tranquilidade. Beijinhos
      Emilia

      Eliminar
  5. E sem esperança não podemos viver... Ou declamar alto a poesia... E que se estenda a mão para ajudar.... não para odiar e matar...
    Obrigada pela partilha.
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não seremos capazes de um simples versinho se deixarmos que a esperança se vá. Façamos a nossa parte , "estendendo a mão para ajudar" e não o dedo para apontar . Obrigada, Marta e que a esperança te acompanhe sempre. Um beijinho
      Emilia

      Eliminar
  6. Gostaria de partilhar contigo a postagem que publiquei ontem, dia 09/11/16, no meu blog A CASA DA MARIQUINHAS/
    Desde já o meu “Bem hajas!”
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    PS – Desculpa o “copy & paste”

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Mariazita. Beijinhos e um bom fim de semana
      Emilia

      Eliminar
  7. Querida Emília Como viver sem esta doce esperança? É ela o alimento de nossas almas, o pão nosso a cada dia.
    A escolha deste poema em forma de texto de Pablo Neruda, foi como um raio de sol.
    Obrigada querida amiga Emília, é sempre bom sentirmos que a esperança está viva em outros corações também.
    beijinhos, fique bem.
    Léah

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Lėah. O facto se sabermos " que a esperança está viva em outros corações" dá-nos alento para não deixarmos fugir a nossa. Nem sempre é fácil continuarmos a acreditar no ser humano, mas se não o fizermos, a nossa alma fica vazia e nós cada vez mais pessimistas. Há que enchê-la de esperança, amiga! Muito obrigada e um bom fim de semana. Beijinhos
      Emilia

      Eliminar
  8. Respostas
    1. E o melhor é agarrarmo-nos a estas " fortes convicções " para ver se mantemos a nossa saúde mental.Do jeito que as coisas estão. é fácil ficarmos perdidos nesta confusão de emoções tão controversas.
      Amigo, obrigada pela visita e um bom fim de semana.Um beijinho
      Emilisa

      Eliminar
  9. Querida Amiga Emília , neste momento só posso dizer AMEM !

    Beijo grande e bom resto de semana .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E este teu " Amen" diz tudo, Maria". Trump foi o escolhido nos Estados Unidos e confesso, tenho receio do que poderá acontecer. Ele representa precisamente aquilo que Pablo Neruda repudia neste texto e se as "lutas" são muitas hoje , com este homem elas aumentarão; para ele, uma América grande e poderosa significa voltar a dominar o mundo como potência bélica e estando do outro lado um Puttin, creio que há razões para ficarmos apreensivos. Maria, muito obrigada pela visita e um bom Domingo. Um beijinho

      Eliminar
  10. Nunca podemos perder a esperança.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Maria, nunca a podemos perder, apesar de vermos tantas desgraças por esse mundo afora. Que seria de nós se desanimassemos? Nem pensar!!!!. E é isso que te desejo, amiga, que sejas capaz de sorrir, mesmo que o dia nasça cinzento e tudo corra mal; há dias assim! Beijinhos e obrigada.
      Emilia

      Eliminar
  11. Olá, querida Emília!

    Como estás? E os teus? Aqui, tudo normal.

    Já tinha passado por cá, e acredita k me pregaste um valente susto com a palavra LUTO, de forma tão destacada, como título, em tamanho bem gradinho, na tua publicação. Depois vim ao subtítulo e entendi, mto bem, a tua intenção, aliás, talvez a tua dupla intenção (não tenhas receio, pke Trump é daqueles k ladra, mas não morde, INFELIZMENTE, acrescento eu).

    Ora, LUTO trata-se de uma forma do verbo lutar e não do substantivo, nome comum concreto, masculino do singular. Que alívio! Sabes, não consegui ainda entender a morte!

    Um texto de Neftalí Ricardo Reyes Basoalto (sim, andei a pesquisar), vulgo, Pablo Neruda, que diz tanto, que parece dizer pouco, k se contaradiz, enfim... lirismos, bem escritos e talvez sentidos.
    Creio k todos os seres humanos normais, lutam, sem armas, óbvio, por estas "coisas", mas há uns k levam tudo ao extremo, e com mto "folclore", recebem Prémios Nobeis disto e daquilo (Bob Dylan mostrou quem efetivamente é), Prémio Lenine da Paz (acho, k a fonte onde "bebi" não deve ser "credível", pke Lenine, o da Rússia, Paz)? Aquilo k aprendi na faculdade, diz-me, precisamente, o contrário, a menos k consideremos a História como uma ciência exata, que, de facto, o não é, pke aquilo k para uns pode ser "vermelho" para outros pode ser "verde".

    Há milénios k o Homem batalha sempre no mesmo e temos com cada "ativista"! Não estou a apontar o dedo, mas a constatar, apenas, factos. A esperança sempre acompanhou a Humanidade, SEMPRE!

    O Pablozito teve uma vida de Lord (faz-me lembrar o k escrevia sem pontuação, ai, como é k ele se chama? Já sei, Saramago), declamou poemas para Pinochet, mas dizem k tb foi perseguido pelo mesmo. Caramba, mas porquê? Por o homem ter sido comunista ou dizer k era, usar aquela boina, todo estiloso e quase "Cheguevariano" (isto existirá)? "Pobrezinho"! O homem só tinha 3 casas em Santiago do Chile, naturalmente, e não de Compostela, e 2 na Isla Negra (Valparaíso) e comprou outra para a sua "amante" (amante, pra mim, é aquele k ama) Matilde, que agora é Museu.
    O escritor morreu de cancro da próstata (todos, mas todos os homens sofrem de hiperplasia benigna ou maligna deste órgão) e não de tristeza como disse, escreveu, Isabelle Allende (não sei se pus letras a mais) ou como disseram os seus camaradas revolucuionários: tinha sido assassinado/envenenado. Feitas as autópsiaas, soube-se, cientificamente, k Pablo Neruda morreu de cancro, perto dos 70 anos.

    Vamos continuar a ter esperança, Emília, claro que sim, e caso assim não fosse, remeter-nos-íamos à nulidade e à "demência" e as pessaos já estão a pensar no Natal e naquela maluqueira das compras, mais das prendas, and so on. E hoje, alguém até já me falou das férias, k tem de pensar para onde vai este ano, pke já está farto/a do Al Garb. Como sugestão, indiquei-lhe umas das mtas ilhas no Pacífico, daquelas para onde vai o pessoal "famoso", k, geralmente, tem pouca massa cinzenta e da outra tb tem pouca, mas, mas... Enfim, tenhamos esperança na mudança de mentalidades e, consequentemente, de atitudes.

    Beijos e bom fim de semana.

    PS: não há novidades no meu blogue, por enqto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Céu. Fizeste-me rir com o teu comentário e desculpa o susto com a palavra " luto "; não pensei no outro significado desta palavra e não deves ter sido a única a ter essa reacção. E sabes, também não consegui ainda entender a morte; não pedimos para vir ao mundo e, pensando bem, termos , na melhor das hipóteses 80 anos para viver é muito pouco; passam tão depressa!!!! Mas, falemos de vida! Quanto a Trump, pode ser que não morda, mas mesmo assim tenho medo dele; as guerras estão aí e são muitos e com o Trump de um lado e Puttin de outro, com toda a certeza vão aumentar. Ele, mal ou bem, foi eleito pelo povo, mas o Puttin, elege-se ele mesmo e a guerra fria, que com ele começou a aquecer, com o Trump vai transformar-se num daqueles incêndios incontroláveis. Quanto à forma de escrever de Saramago, apesar de ter lido muitos livros dele, detesto essa mania de não colocar pontuação; disse muitas vezes que se uma criança escrevesse um texto sem pontuação teria um zero bem redondinho, mas em se tratando de um escritor famoso, as " calanidadas " na lingua portuguesa, passam a ser conseideradas boa escrita e até dignas de premios Nobel.Tabem concordo contigo no que se refere ao Natal; a meio de Novembro e já as montras se enfeitam e as pessoas correm atrás das prendas; quando vim do Brasil as ruas eram iluminadas a 8 de Dezembro ou começo do mês( não lembro bem..) e agora já começa tudo em Novembro; não tarda a que nem sequer se tirem os enfeites e estes fiquem de um ano para o outro. Há casas já com a árvore na sala, mas a minha só será colocada em Dezembro.Dizem que tudo isto é para incentivar o comercio, mas, será? A mim, a iluminação na rua não me influencia nada e cada vez compro menos presentes; agora só os há para a familia. E , amiga, tudo o que acontece de mau na nossa sociedade é precisamente pela demasiada importância que se dá ao ter, pelo valor que se dá ao dinheiro e ao poder; não fossem esses factores e o mundo viveria com mais paz, mais entendimento, menos desigualdades, viveria numa permanente luta pela bondade e não em lutas constantes por mais poder económica. Céu, obrigada pelo comentário, interessante e bem humorado e desejo-te uma semana satisfatória, como costumas dizer.Beijinhos
      Emilua

      Eliminar
  12. Um excelente texto de Pablo Neruda que reflecte o sentir e pensar de muita gente.
    Lutar pela igualdade, fraternidade, solidariedade... é um dever de todos nós, que assim contribuiremos para um mundo melhor.
    Como sempre... escolheste um tema óptimo para a tua postagem.
    Obrigada pela partilha.
    Bom Fim-de-semana
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    Obs. As minhas férias foram passadas em São Tomé e não Cabo Verde... :)))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um dever de todos nós, lutar por esses valores que enumeras, Mariazta, e se cada um fizesse a sua parte, com certeza tudo seria melhor, Devemos acreditar no ser humano, porque felizmente, há muitas, muitas pessoas que lutam pelas mesmas oportunidades para todos, pelo respeito pelas diferenças e pelo entendimento entre as diferentes culturas . Não podemos, nem devemos, portanto perder a esperança num mundo diferente daquele que temos hoje, um mundo onde as lutas armadas são demasiadas.
      Mariazita, quanto á minha confusão, ou melhor distracção, a culpa, como deves já ter percebido é do tal BI. Obrigada pela visite e desejo-te tudo de bom, em especial no que se refere à saúde. ? Beijinhos
      Emilia

      Eliminar
  13. É preciso força para saber lutar contra todas as atrocidades desse mundo contemporâneo.Bom momento para se pensar nas mazelas da vida e na necessidade de lutar por um mundo mais justo, sobretudo quando olhamos para a política.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E não são os politicos, os governantes os maiores causadores de tanta desgraça no mundo?. Em muitos paises o povo ainda não tem o poder do voto, mas nós temos e essa é a arma que capaz de os derrubar.Aqui o voto não é obrigatório e a abstenção é muito grande; preferem aproveitar o dia para passear e depois queixam-se das escolhas que os que foram às urnas fizeram.Assim, nada muda. Beijinhos, Anabela e obrigada pela visita.
      Emilia

      Eliminar
  14. É difícil querida Emília, concordo com você que o problema não começa e acaba com os políticos, acho que todos somos culpados, o povo, os políticos, a indiferença, a preguiça, a falta de patriotismo e de solidariedade. Atualmente percebo que os animais são mais humanos que os ditos racionais.
    Mesmo nesta crise que o Brasil enfrenta atualmente, o povinho só pensa em cerveja, dança, sexo livre, festa... O mundo está voltando aos seus primórdios!!
    Não creio que terei tempo para ver isto mudar para melhor.
    Beijinhos,
    Léah

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo plenamente, Leah, os animais são muitas vezes mais "humanos" que o dito homo sapiens que tem atitudes muito, muito irracionais. Claro que cada um de nós tem a sua quota parte de responsabilidade pelo mundo que temos, poi se todos cuidassem da sua familia e dos que estão por perto dando o exemplo de boa cidadania com certeza a sociedade seria muito melhor. Costumo dizer" como queremos um mundo sem guerras, se não somos capazez de manter a paz dentro de casa e entre os elementos da familia?" Quantos irmãos não andam em " guerra " uns com os outros por causa de uns "tostões" que os pais deixaram? E os amigos, e os moradores de um predio, etc, etc" ? E nestas coisas, nesta convivência que deveria ser pacifica é que está a nossa contribuição para um mundo melhor, mais solidário, mais toterante , mais humano. E, como dizes, também eu creio que " não terei tempo para ver isto mudar para melhor" e, para ser sincera, penso que nem os nossos filhos terāo esse tempo, Amiga, muito obrigada por teres voltado cá e novamente teres deixado a tua opinião sobre este tema. Muita saúde e paz é o melhor que te posso desejar. Um beijinho
      Emilia

      Eliminar
  15. Um texto excelente.
    Só possível de ter sido escrito por um grande escritor/pensador como é Pablo Neruda.
    Obrigado pela partilha.
    Uma boa semana, querida amiga Emília.
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também acho, Jaime! Só tenho pena que a esperança que ele tinha num mundo melhor esteja cada vez mais distante. Devemos tê-la, mas perante o que vemos por esse mundo afora, é dificil acreditar que as coisas mudem. Todos os dias há mudanças, mas fico com receio que sejam para pior; os apoiantes das guerras continuam e , infelizmente novos aparecem. Jaime, muito obrigada pela simpatia e vamos lá....mantenhamos a paz pelo menos em casa e entre aqueles que nos são mais próximos. Beijinhos
      Emilia

      Eliminar
  16. Gosto muito de Pablo Neruda que também é presença habitual
    no meu blogue.
    Também comungo da mesma esperança indispensável...
    Mais que uma esperança, é um bom sonho, e temos que fazer a
    nossa parte em solidariedade.
    Abraço, querida amiga.
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. " Mais do que esperança, é um bom sonho" e, como os sonhos nem sempre se realizam, estes desejos de Pablo Neruda, infelizmente, parecem ser cada vez mais inatingiveis, amiga. Mas o melhor, é continuarmos a sonhar e a manter a esperança para que preservemos a nossa saúde mental; para isso é necessário que tenhamos a certeza de que fazemos "a nossa parte em solidariedade " e de que em cada dia damos o nosso melhor.. pelo menos isso fará com que o sono chegue mais depressa e nos proprcione bons sonhos.Querida Majo, muito obrigada pelo carinho da visita e que a esperança caminhe sempre a teu lado. Um beijinho
      Emilia

      Eliminar
  17. Não sou , por temperamento muito otimista . O q b. Mas estou com Pablo Neruda : tenho esperança que o Amor vencerá todo o mal que guerra seja de que âmbito for , trava contra o Bem . Deus criou nos para o Bem . Para sermos felizes Está em nos não deixar escapar a oportunidade . Belíssimo P Neruda ! Belíssima postagem e obrigada pelas palavras querida EMILIA 😙

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando estamos " com os pés bem assentes na terra" não podemos ser otimistas em demasia, basta sermos o "q.b". Como em tudo na vida, devemos ser equilibrados e isso vale também para as emoções. É verdade que fomos criados para o bem e não há ser verdadeiramente humano que não se sinta feliz a praticá-lo; aqueles que se sentem bem a prejudicar o outro, a guerrear em nome de Deus, de um profeta, ou qualquer outro lider religioso, a matar por não aceitação das diferenças são seres, mas não humanos; considero-os irracionais, pois fazem-no por futilidades, fazem-no por um prazer que é dificil de entender. Otimismo, querida Manuela, pode ser " q.b ", mas a esperança e a nossa " luta pela bondade " têm que ser grandes e constantes. Amiga, muito obrigada pelas palavras, sempre carinhosas e desejo-te uma completa recuperação. Um beijinho
      Emilia

      Eliminar
  18. Texto lindo, reflexivo,Emília! Também levei um sisto com o LUTO...

    Adorei tua participação lá na PAREDE! Obrigadão e tudo de bom! Até a volta,bjs, boas festas ,obrigadão por tudo sempre! chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois ė Chica, não me lembrei do outro significado da palavra " luto " e preguei alguns sustos, mas, felizmente é só uma forma do verbo lutar; a lingua portuguesa tem destas coisas. Obrigada, amiga e desejo-lhe umas boas férias. Beijinhos
      Emilia

      Eliminar
  19. Olá
    Adoro tudo que ele escrevi lindo demais. Uma felzi tarde de quarta feira.

    ResponderEliminar
  20. Olá Brisa. Fiquei muito contente com a sua visita ao Começar de Novo. Espero que tenha gostado e volte sempre. Um beijinho e que a esperança sempre a acompanhe. Até breve
    Emilia

    ResponderEliminar
  21. Texto irretocável, parabéns Emília, bjs

    ResponderEliminar
  22. Um texto que nos toca a todos, porque o mundo está tão conturbado, tão violento, sem rumo que, quem tiver o minimo de sensiblidade, fica triste por poder fazer tão pouco; há forças superiores às nossas que julgam mandar no mundo e nos puxam abismo abaixo, Amiga muito obrigada pela visita e desejo-te muita saúde e serenidade. Um beijinho
    Emilia

    ResponderEliminar
  23. Tens razão, amigo! Tivemos de conquistar a liberdade que temos hoje, muitos povos continuam a lutar para a conseguirem e há ainda um grande número de "heróis anónimos que trabalham para que os mais desfavorecidos conquistem a dignidade a que tem direito. E nós,se não quisermos perder as conquistas obtidas temos a obrigação de continuar a luta indo às urnas, fazendo -nos " ouvir" através do voto. Só lutando pela bondade, através do exemplo conseguiremos conquistar a bondade dos outros. Numa frase resumiste o essencial. Obrigada e que consigas sempre as conquistas a que te propões, pelo menos algumas, pois é impossovel ter tudo. Um beijinho
    Emilia

    ResponderEliminar
  24. A esperança é mesmo tudo o que nos resta... pois felizmente, nem todas as pessoas serão iguais...
    Mas neste mundo em que existe uma crónica falta de tempo para tudo... até para aprofundar a humanidade de cada um... e em que se cultiva uma entusiasmante superficialidade, e falta de altruísmo e solidariedade, a propósito de tudo e todos... julgo que é mesmo, cada vez mais, através de rótulos, que as pessoas avaliam e compreendem o mundo, e os outros, infelizmente...
    Mas há que continuar a ter esperança... e sonhos... e quem melhor do que Neruda, para nos transmitir tal paixão e esperança pela vida, e pelos outros?...
    Maravilhosa escolha, Emília! Sempre uma delícia apreciar este grande autor!...
    Beijinhos! Bom fim de semana!
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É " tudo mesmo o que nos resta ". Ana, pois vemos o homem a regredir em alguns aspectos fundamentais, como sejam, a paz, a solidariedade e ética. Há avanços extraordinários em áreas muito importantes para todos nós, mas estamos cada vez mais primitivos no que é essencial; mata-se à toa, bombardeia-se em nome de religiões, não se respeitando sequer hospitais nem organizações que tentam ajudar.Estas atitudes envergonham aqueles que querem continuar a ser considerados seres racionais. E, claro, na minha opinião, depois de ver um " irracional " ser eleito nos EU, confesso, fico com medo de que as atrocidades aumentem Tens toda a razão, as " pessoas não serão todas iguais" e felizmente há mais pessoas boas que más, mas as grandes potências comandam o mundo e contra elas a nossa ^fragilidade é grande. Podemos sempre fazer alguma coisa que é olharmos à nossa volta e ajudar no que pudermos e se cada um fizer isso, com certeza algo mudará. Ana, muito obrigada pela visita, pelo belo comentário e que sejas capaz de manter a esperança é o que melhor te posso desejar. Hoje o dia está muito chuvoso e triste, mas o sol continua lá, apesar de escondidinho. Um beijinho, amiga e fica bem!
      Emilia

      Eliminar
  25. Venho deixar um beijinho , desejando que esteja tudo bem .

    Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É muito bom receber beijinhos, mesmo à distância e, com um dia chuvoso e triste como o de hoje, melhor sabem. Obrigada, Maria e daqui te mando um montão de beijinhos e a minha sincera amizade, Que cor terás dado a este dia? Vou já ver. Adoro as tuas " cores da vida " Até breve,
      Emilia

      Eliminar
  26. Como seria bom que os seres humanos agissem como aquilo que são : racionais!

    Tenhamos esperança. sim...mas cada vez é mais difícil tê-la

    Beijinhos, Mila

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Comportam-se os Homens pior que os ditos animais irracionais que só matam para sobreviverem e respeitam a natureza; sabem que precisam dela e os " inteligentes " ignoram a necessidade que dela têm. Mas, que será de nós se perdermos a esperança? Melhor continuar a lutar por ela. São, muito obrigada pela visita e até breve aí na tua casa. Beijinhos
      Mila

      Eliminar