quinta-feira, 22 de setembro de 2016

NEGRO OU PRETO ?




Então vamos lá....raça branca, raça preta


Creio que ele tem razão!


 Emília Pinto

52 comentários:

  1. Respostas
    1. De facto, Chica, ele fala em coisas nas quais nunca tinhamos pensado e creio que tem razão. Um beijinho e obrigada.
      Emilia

      Eliminar
  2. Mas claro que ele tem razão! E hipocritamente é assim que o povo se manifesta aqui. Muito bem colocado por ele. E vem de séculos.
    Ótima sua postagem, Emilia.
    Beijo, querida amiga.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabes Tais, acho que tudo começou por que se acha menos ofensivo chamar negro do que chamar uma pessoa de preto. Pensando bem, negro não é cor,, mas sim algo que ficou escuro, enublado, sombrio. Nesse caso como poderiamos classificar a nossaa raça? Branca ou...??? Um homem branco ou um homem esbranquiçado, clareado, clarinho? O melhor é mesmo " branco e preto " . Obrigada Tais pela visita. Um beijinho

      Eliminar
  3. Sempre pensei que "preto era cor" e "negro raça".

    Gostei de ouvir, embora seja apenas a sua opinião...uma nova teoria. Possivelmente estará certo.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que aqui é a opinião dele, mas trouxe um debate interessante, porque eu achava menos ofensivo se falasse negro e na realidade não deveria achar nada. Ofensivo não é nem preto nem negro, assim como não é ofensivo nem elogioso chamar uma pessia de branco. Mais uma vez está aqui o tal de preconceito. Discutir-se se devemos usar preto ou negro e nunca ninguém pensou em discutar se chamamos um homem de branco ou, por exemplo esbranquiçado ou qualquer outra coisa
      Quanto à raça, Lisa, não aprendemos na escola que havia as raças branca, preta e amarela? Parece-me que tenho essa ideia, mas não sei .
      O que me leva a achar que ele tem razão é o facto de, no caso dos brancos, não haver outra designação, é branco e ponto final. Obrigada, Lisa pela visita e desejo que estejas bem. Um beijinho
      Emilia

      Eliminar
  4. Em tempos recebi um e-mail, que dizia mais ou menos a mesma coisa.Eu penso que tem razão.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Achei interessante, Elvira, porque nunca tinha ouvido nada sobre a diferença no tratamento, mas tudo depende da maneira como é dito, com ou sem ofensa. O melhor mesmo é classificá-los de pessoas. Beijinho, amiga e tudo de bom.
      Emilia

      Eliminar
  5. Gostei Mami. Bem escolhido... como sempre. Branco, preto, azul e amarelo. Bom mesmo será quando a cor da pele não for sequer assunto. Beijos, Dé.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, filhote, pelo elogio! Fico sempre contente quando apareces por aqui a dar a tua opinião; também, como sempre , és pertinente na afirmação que fazes " bom mesmo será quando a cor de pele não for sequer assunto " Já foram dados passos importantes nesse aspecto, mas ainda há muita coisa a fazer. Thanks e um beijinho da
      mami

      Eliminar
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  7. Bom dia, penso eu, que só existe uma raça que é a humana, a diferença da cor não altera a raça, motivo que não concordo num todo, quando inconscientemente ou conscientemente se diz que é de raça preta ou branca, é um atitude racista, somos todos de raça humana sem tirar nem por, Nabby Clifford tem toda a razão no que diz.
    Bom fim de semana,
    AG

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo plenamente, António e tem que acabar essa tendência de dizermos " um homem de cor preta, ou um de etnia cigana.... Simplesmente tem que se dizer :" aquele homem ou aquela mulher e ponto final. Somos todos seres humanos, individuos diferentes conforme a sua cultura, maneira de pensar e agir, todos com muitos defeitos e grandes qualidades. O problema do nosso mundo reside precisamente na não aceitação das diferenças. Obrigada, amigo, pela tua opinião. Um beijinho e um bom fim de semana
      Emilia

      Eliminar
  8. todos os nomes estão encharcados de ideologia...
    não há palavras "quimicamente puras"! - não há volta a dar! rss

    "negro/preto"? depende do "lugar ideológico" donde se fala... Não há aqui, portanto, um problema da Moral, ou que nessa instância se possa revolver.

    assim os estudiosos da linguagem o proclamam - assim o tenho como certo.

    peço desculpa se me excedi no meu comentário, mas a "envergadura" deste espaço (e consideração que me merece) e natureza do tema são muito estimulantes

    o que não é habitual

    grato

    beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem branc, nem preta, Manuel, simplesmente sou um ser humano que, como qualquer outro gosta de elogios e por isso te agradeço a simpatia. Tento colocar aqui temas que provoquem debates e por isso os comentários longos agradam-me; assim consigo melhor saber o que os amigos pensam sobre o assunto; aliás, alongo-me muito em tudo o que escrevo e não consigo evitar isso;. Este tema " daria pano para mangas", mas concordo plenamente que não haja " palavras quimicamente puras " e que o seu significado depende da interpretação que se lhe dá e que a questão " moral " é relativa. O que importa aqui salientar é que não necessitamos de acrescentar ao ser humano a caracteristica de preto, negro, branco ou amarelo. HOMEM e ponto. Aliás, parece-me nunca ter ouvido nas noticias, por exemplo : " um homem de raça branca assaltou...." Infelizmente quando se trata de outra raça ou de outra cultura ficamos logo a conhecer a cor, a religião do assaltante. Isto tem de acabar! Muito obrigada e não te esqueças que os textos longos nunca me aborrecem. Um beijinho e um bom fim de semana
      Emilia

      Eliminar
  9. Oi Emília,
    Nunca havia ouvido considerações a esse respeito, a associação que ele coloca entre a cor e algo negativo.
    Confesso que também nunca pensei a respeito.
    Somos muito mais que a cor da pele, somos todos seres em busca da sua evolução, do seu crescimento como pessoa. A nossa moral sim, é o deve realmente ser levado em conta.
    Gostei da reflexão acerca do tema que escolheu.
    Um abraço
    Sônia.



    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem eu, Sonia, mas depois de ouvir este senhor comecei a pensar no assunto e dei-lhe razão. Ao que escreves também dou razão; o que importa é que somos todos seres humanos , diferentes uns dos outros e que essa diferença deve ser respeitada. Teriamos um mundo bem melhor, familias mais felizes, entendimentos bons entre pais e filhos, entre irmãos se fossemos capazes de aceitar que somos individuos e, como tal, diferentes uns dos outros. Amiga, muito obrigada pela simpatia e um bom fim de semana. Um beijinho
      Emilia

      Eliminar
  10. Oi Emília,
    Acabei de ler seu comentário e não pude deixar de vir aqui agradecer sua sinceridade, fiquei tocada. Senti vontade de te escrever fora dos comentários do blog e até olhei no seu perfil se tinha email anotado, mas não encontrei.
    Talvez você estranhe a vontade de fazer isso, mas acho que é assim mesmo, algumas pessoas nos tocam e com isso nos aproximamos, mesmo sem a conhecer.
    Um abraço.
    Com carinho,
    Sônia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não achei nada estranho, Sonia, até por que eu também já fiz isso. Já te deixei o meu e-mail no teu bog e gostaria imenso de " conversar " contigo. Fico à espera e desde já te agradeço a simpatia.. um beijinho e um bom fim de semana
      Emilia

      Eliminar
  11. Oi Emília não acho que se deva levar ao pé da letra tudo isso que ele falou, o único preconceito que tenho é contra a falta de caráter numa pessoa. Quando olho uma pessoa branca, preta, negra como ele falou, ou mulata, ou amarela... a primeira coisa que enxergo é a pessoa num todo, isto é, se é homem, mulher criança e sua cor, mas e daí, não sou daltônica? É o que vejo, não o que estou analisando minha opinião sobre a pessoa em questão só vou ter depois de conhecê-la independente de sua cor. Claro que existe racismo no mundo todo, mas se observarmos isto vem sempre de pessoas ignorantes, cheias de insatisfações consigo mesmo,pessoas rasas. Observo também que os preconceitos por aqui no Brasil são maiores com relação às classes sociais, se as pessoas são ricas e pretas ou seja lá de que cor, são bem tratadas, mas se são brancas ou negras e pobres também são mal tratadas.
    Ele está amargo talvez por já ter sofrido muitos preconceitos, mas ele também está sendo preconceituoso quando generaliza todos os brasileiros brancos, e levando com muita dureza estas expressões idiomáticas, também existem outras com relação aos brancos, como por exemplo
    branca-azeda, branquela, maionese, nuvem branca. Quando tem cabelo vermelho é judeu, sardas é banana com canela... Vai por ai à fora, palavras o vento leva, o importante é o caráter, a honestidade, e a generosidade de cada um.
    O fato é que independente da cor de nossa pele estamos todos neste barco à deriva e sem boia.
    beijinhos
    Léah

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um comentário muito pertinente este teu, Leha. É claro que aqui está a interpretação de um senhor e, como tal, não passa de opinião. Tudo é relativo e tanto o negro, quanto o preto nem sempre são ditos de uma maneira maldosa. Infelizmente todos nós sabemos que eles os pretos ou os negros têm mais razão de queixa do que nós, os brancos, mas eles também são preconceituosos, claro. O que importa salientar aqui é que, embora olhemos para a cor da pele e, muitas vezes a usemos para distingui-los, numa dada situação, não devemos deixar que essa caracteristica influa nas nossas apreciações sobre determinada pessoa e lhes demos as mesmas oportunidades que damos aos outros. Nesse aspecto muitos avanços têm sido feitos, mas há ainda muito a percorrer. Querida amiga, muito obrigada pela bela apreciação que fizeste do tema e dos itens interessantes que puseste no teu comentário. Um bom fim de semana e até breve.
      Beijinhos
      Emilia

      Eliminar
  12. Bom dia, querida Emília

    Trouxeste, corajosamente, um tema polémico a que se costuma fugir a sete pés. Se somos todos humanos, a diferença da cor da pele não deveria interessar. O pior é que não é isso que acontece. Quando se ouve: "Eu até nem sou racista mas..." aí é que é preciso ter cuidado, porque num momento de crise, numa emergência, essa pessoa vai esquecer os seus bons propósitos.

    Quanto às palavras "negro" ou "preto". Não há dúvida que tudo o que é negativo traz consigo a palavra "negro/a". Cá em casa costumamos ter conversas desta envergadura e a minha filha que é muito curiosa e gosta de procurar respostas diz-me assim "Estás a ver, mãe, tudo o que é mau traz a palavra "negro/a" agarrado". Tal como o raciocínio do senhor do video. Mas, optar pela palavra "preto/a" também não me parece a melhor solução. Já tenho ouvido muitas pessoas reclamarem dessa palavra dizendo: "Eu não sou preto/a sou negro/a".

    Em que ficamos, então? Bom mesmo era nos olharmos com amor e simpatia sem ligar à cor da pessoa e sim às suas características como pessoa: honesta, leal. Embora eu goste de pensar que somos fundamentalmente bons, nem sempre correspondemos a esses bons sentimentos. Somos muito complexos. Podemos ter momentos de grande altruísmo e noutros de grande baixeza de carácter.

    O que eu desejo ardentemente é que cada um de nós procure aperfeiçoar-se, ultrapassando os seus limites, os limites daquilo que de menos bom nos foi transmitido através de gerações. E nisso está incluindo o racismo, algo muito mau e contra-natura.

    Bom fim de semana, minha amiga.

    Beijinhos

    Olinda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como sempre, Olinda, muito assertiva! Eu também achava que era mais ofensiva a palavra preto, mas depois de ouvir este senhor, fiquei como tu .Há quem se ofenda muito mais com a palavra preto do que com o negro e isso vai da interpretação de cada um e ao ouvir este video, confesso, fiquei espantada, pois achava o negro mais apropriado. Mas, na verdade não temos de achar nada e, como diz o meu filho acima, o bom será quando a cor da pele não for sequer assunto. Concordo contigo, Olinda, o homem na sua generalidade é bom, mas de vez em quando comete tamanhas atrocidades que nos abalam e nos deixam envergonhados de pertencermos a essa raça humana. O racismo é sim " contra - natura " e isso fez - me pensar que devemos ser dos únicos seres viventes da natureza que tem esse sentimento, não seremos ? Somos únicos em muitos aspectos, mas o que mais nos incomoda é que somos únicos também em determinadas maldades tão tremendas. Obrigada, querida amiga e um bom fim de semana. Beijinhos e tudo de bom, especialmente no que se refere à saúde.
      Emilia

      Eliminar
  13. Amigos meus e da Leninha: apenas para agradecer por todas as demonstrações de afetividade manifestadas no seu blog e pela solidariedade a mim e toda a nossa família.
    Estamos bem, dentro do possível. A Leninha postou uma mensagem lá no seu espaço, e quero dizer que ela visitará a todos oportunamente, apenas o tempo de se organizar nesta nova vida que a espera.
    Nosso carinho a todos, e nossa gratidão a cada um.
    Aninha

    ResponderEliminar
  14. Amigos meus e da Leninha: apenas para agradecer por todas as demonstrações de afetividade manifestadas no seu blog e pela solidariedade a mim e toda a nossa família.
    Estamos bem, dentro do possível. A Leninha postou uma mensagem lá no seu espaço, e quero dizer que ela visitará a todos oportunamente, apenas o tempo de se organizar nesta nova vida que a espera.
    Nosso carinho a todos, e nossa gratidão a cada um.
    Aninha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muita forca, querida Aninha! Muito pouco podemos fazer por vós, mas podemos sempre guardar-vos no nosso coração e daqui mandar-vos um beijinho de solidariedade com essa dor tremenda. E aqui vos deixo toda a minha amizade carregada de beijinhos
      Emilia

      Eliminar
  15. Olá Emilia,
    Mais um tema polémico e que nada tem para ser tão complicado.
    Todos somos humanos, se só difere a pele, porquê valorizar? Se valorizarmos demasiado esta questão, ficamos a pensar como no tempo da vergonhosa escravatura. Por que razão os consideravam gente de menor valor? Pela mesma razão que ainda hoje fazem o mesmo para com a mulher?!...
    Vamos ver se evoluímos.Os jovens não pensam tanto assim. Crescemos e a sociedade dá o seu carimbo. Maldosamente!
    Oxala as férias tenham sido reparadoras. Bem- vinda ao nosso cantinho!
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom, Manuela, que estás de volta. As minhas férias foram boas e o principal é que houve e continua a haver saúde; isso é o que importa, não é verdade?
      Creio que neste aspecto de preconceito, temos evoluido bastante, mas temos ainda muito a fazer. Infelizmente ainda se vê muita descriminação em relação a empregos, onde os de cor preta continuam a ser preteridos. É vergonhoso que nos tempos de hoje ainda se desvalorize o trabalho da mulher e, então, imagina...se for preta ainda piora a situação. Os jovens já têm uma opinião um pouco diferente e isso prova que tem havido trabalho por parte dos pais e da escola para incutir nas crianças a ideia de que a cor da pele é simplesmente uma caracteristica da pessoa que não a valoriza nem desvaloriza mais que outra branca, loura, ruiva ou morena. Infelizmente ainda há pais que são tão racistas que são incapazes de passar para os filhos uma ideia diferente, mas são cada vez em menor número. Manuela, desejo-te um bom fim de semana e agradeço o carinho de me visitares logo depois das férias. É sempre um gosto ler a tua opinião sobre os temas que aqui coloco. Um beijinho e até breve
      Emilia

      Eliminar
  16. Interessante; uma nova perspectiva de interpretar um tema que é polêmico. Nunca tinha pensado nisso; a verdade é que o que me preocupa verdadeiramente é a falta de educação, de respeito, de valores que há. E isso é um mal mundial; não é exclusivo de raça, religião ou política.
    Obrigada pela partilha.
    Beijos e abraços
    Marta Vinhais

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também não, Marta, mas, como tu, também acho que utilizar a palavra negro ou preto é irrelevante; o que importa é que é uma pessoa diferente, como todas o são. Raça humana é a única que existe, raça feita de seres todos diferentes uns dos outros. Obrigada, amiga e um bom fim de semana. Beijinhos
      Emilia

      Eliminar
  17. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  18. Aparentemente, negro parece mais suave que preto, mas todos nós (os brancos) estamos contaminados por séculos de racismo.
    Mas também penso que o Nabby tem razão.
    Emília, bom resto de domingo e boa semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O problema é só esse mesmo, Jaime, " estarmos contaminados por séculos de racismo " . Preto ou branco não passam de características das pessoas, assim como alto, gordo, magro, louro, etc, e nenhuma carcteristica deve ser usada para menosprezar uma pessoa. Todos diferentes, com qualidades e defeitos, independentemente do aspecto fisico. Um beijinho, amigo e muito obrigada pela visita. Uma boa semana
      Emilia

      Eliminar
  19. É um tema que causa um grande constrangimento, para todos - os que tem mais ou menos mielina - com pele escura ou clara.
    Por mim, abomino chamarem 'raça negra'...
    Já preto é uma cor existente na natureza, mas não é um termo bem visto pelos descendentes africanos que em África nos chamam brancos e, afinal, brancos são os fantasmas...
    Importante é a equidade e o respeito.
    Muito desejaria ver resolvida esta quesília de cor resolvida.
    Sou morena muito clara e tenho alguns dos meus mais queridos amigos, descendentes africanos de pele escura.
    ~~~ Emília, dias agradáveis e felizes ~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Antes de mais, quero agradecer-te a visita a este cantinho; espero que tenhas gostado e que voltes mais vezes. Eu também acho que se deve utilizar a palavra preto, pois negro não é cor, no entanto sempre achei mais " pesado " usar o preto. . Também nunca tinha pensado no que aqui escreves , que " brancos são os fantasmas" ; tens razão, porque de facto não somos brancos, somos rosadinhos, moreninhos. Perante toda esta " quesilia " é melhor começarmos a não classificar as pessoas como simples objectos, a não ser em casos muito especificos em que precisemos de os distinguir. São pessoas, homens, mulheres , jovens, crianças e ponto final. Que interessa se é alta, baixa, gorda, ou magra? Muito menos importa se é branca, preta ou amarela, Amiga, mais uma vez obrigada e que a nova semana te proporcione momentos felizes e sem grandes problemas, já que os pequenos fazem parte do dia a dia. Beijinhos
      Emilia

      Eliminar
  20. Boa noite!

    Olá Emília
    aqui está um debate interessante

    A mim nunca me preocupou estes nomes diferentes
    pois nasci e fui criada em Moçambique
    junto dos pretos
    sempre assim ouvi
    quando se referiam a eles
    e nunca sentiram descriminação

    Negro?
    nunca ouvi essa palavra por lá...

    Preconceito está na cabeça das pessoas.

    Nós lidava-mos uns com os outros e era pelo nome que os chamava.
    ...
    começo por lhe pedir desculpas
    mas...há imenso tempo
    que não ando pela blogosfera

    Primeiro uns problemas de saúde
    agora... estive fora do País
    ...
    estou a regressar aos blogues
    aos poucos


    No início de Setembro acompanhei os meus netos numa aula de surf - até fiz um post sobre isso...
    e aí sim, acabei por chapinhar na espuma branca
    Não queria que terminasse o Verão sem molhar os pés!
    ...
    Finalmente, parece que terminaram aqueles calores loucos
    e vai-se aproximando, lentamente o Outono
    que eu adoro

    Um abraço e uma excelente semana
    Tulipa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom ver-te por aqui, Tulipa. Perante o que contas, este senhor tem razão. Claro que é pelo nome que devem ser tratados; preto é uma simples caracteristica, assim como o ser -se alto, magro ou gordo. Negro nem sequer é cor e por isso não tem razão de sre. Claro que muita gente que vivia nas ex colónias os tratavam mal e por isso tiveram muito medo aquando da independência; tenho familiares que lá viveram e os tratavam como escravos, apesar de ter há muito acabado a escravatura.
      Quanto ao Outono, é uma bela estação, mas, como não gosto de frio, " tremo " só de pensar que a seguir a esta vem o Inverno. Mas....há que aceitar, pois é assim a vida, uma estação a seguir à outra. Obrigada, Tulipa e fica bem. Brevemente terás uma visita minha. Beijinhos
      Emilia

      Eliminar
  21. Na paleta de cores existe uma delas chamada preto .
    Utilizo este termo para tudo que a possui .
    Quem utiliza negro , no que se refere ao ser humano , pensando estar a ser suave , está a ser paternalista e racista .

    E para quê mencionar a côr da pele ? Só em caso de necessidade . Tal como falam de nós , muitas vezes ,dizem caucasianos ...

    Mas esse pormenor da côr é tão secundário .
    Não será mais importante a côr da alma?

    Beijo grande , Emília , e continuação de boa semana ,
    Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Importante é mesmo a cor da alma e só precisamos de usar a cor da pele em casos excepcionais, assim como a designação de alto, baixo, gordo ou magro; Gostei deste video precisamente pela confusão que há em muita gente, inclusive em mim, de que negro é mais suave. Negro não é cor e nós também não somos brancos; como disse alguém acima, " brancos são os fantasmas." Mas, como dizes, esses pormenores não interessam e pt não deveriam sequer " ser assunto" . Beijinhos, Maria e muito obrigada pelo carinho. Que os dias te sorriam e que a saúde não te falte.
      Emilia

      Eliminar
  22. Para começar, nem sequer existem raças puras...

    Depois , estas distinções por cor de pele são injustas, porque há coisas no corpo humano muito mais abrangentes e comuns a todo o ser humano do que a pele

    Interessa (-me) , isso sim, a qualidade da pessoa em si!

    Beijinhos e bom resto de semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens razão, São Raças puras só o Hitler achava que havia. Infelizmente ainda há alguns por aí. Beijinhos, amiga e muito obrigada. Um bom fim de semana
      Emilia

      Eliminar
  23. Respostas
    1. Claro amigo! Não sei como ainda há gente a pensar o contrário. Um beijinho e obrigada pela visita. Desejo-te um bom fim de semana.
      Emilia

      Eliminar
  24. Na falta de novo post, aproveito para te agradecer os teus sábios e agradáveis comentários que habitualmente deixas no meu blogue. Já há muito tempo que ando para te dizer obrigado, mas esqueço-me sempre... mas mais vale tarde do que nunca...
    Emília, tem um bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem sei o que dizer, Jaime! Vir aqui para me agradecer os meus comentários? Eu é que tenho de agradecer as belas poesias que partilhas. Quisera eu ter a capacidade para tal feito ! Mas não vou agora dizer que não gostei das tuas palavras, claro que me agradaram; foi um " miminho " que me soube bem e que te agradeço. Um bom fim de semana e até breve aí no teu rio de belas margens
      Emilia

      Eliminar
  25. OI EMÍLIA!
    DEPOIS DESTE VÍDEO NÃO HÁ MAIS COMO SE TER DÚVIDAS.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Confesso que tinha algumas, mas acho que ele tem razão. E o melhor mesmo é não referir nem cor, nem religião e nem outras tantas características desnecessárias. São pessoas e ponto final. Beijinhos, Zilani e obrigada. Um bom fim de semana.
      Emilia

      Eliminar
  26. Olá, estimada Emília!

    Como estás? E a tua família, nomeadamente os teus pais, filhos e netos? Por aqui, tudo normal e igual.

    Escutei o vídeo com mta atenção, pke 1º todos os vídeos, textos, posts, me merecem tal, quer goste mais ou menos, ou não goste, 2º, pke tive dificuldade em entender o que o senhor (não me lembro o nome dele. Ah, Nabby, diz o Jaime) dizia, enfim, nunca estive em África, nem no Brasil e acho a dicção dele mto insatisfatória, embora o seu inglês me pareça excelente, mas isso "são contas do teu rosário".

    São engraçados e inteligentes os trocadilhos, as análises k ele faz com os vocábulos negro e preto, e que são mesmo verdade, em termos de semântica. Um futuro negro, mas uma nota preta. Assim, o senhor (senhor está no céu como dizem no Brasil e tu bem sabes) Nabby acha que tudo o k esteja relacionado com negro tem conotação negativa e com preto, tem conotação bem positiva. Não será bem assim, mas a explicação k ele deu é mto satisfatória e convence bem.

    Eu sei k eles gostam, que digamos e k lhe chamemos pretos e não negros, mas as pessoas, as brancas, e para serem mais softs e não serem acusadas de xenófobas, racistas e ouros sufixos ista(s), dizem negro. Eu digo preto, pke o antónimo de branco é preto e não receio adjetivações.
    Estou a lembrar-me a k raça/tipo pertencerão os monhés?

    Há raças, em minha opinião, sim, tanto em animais, qto em pessoas. É evidente que as cores não são bem branca, negra e amarela, mas houve e há necessidade de se fazerem classificações/distinções, tal como há "x" continentes com nomes diferentes e "y" oceanos com nomes diferentes, tb.

    Os ciganos que são pessoas como eu ou tu, mas qdo falamos deles associamo-los a um certo nomadismo, não terem horários, vivem de subsídios, trapaceiros, vendem gato por lebre, fazem uma gritaria num hospital, atiram-se ao chão e arrepelam-se, sempre k morre algum deles, enfim, têm a sua cultura bem específica. Têm estas características todas e mais algumas, mas como desde criança sempre contactei com eles, não tenho qualquer receio desta gente, k tem sido discriminada ao longo dos séculos e as mentiras vão continuando e engrossando. Mas, a propósito de raças, nem estes querem pertencer a nenhuma raça. Dizia-me há dias uma cigana amiga, k conheço há tempos: ai (não digas ai, Carmen, disse-lhe), raça, têm os cães, a gente tem etnia. Ela tem 21 anos, mas fez o 9º ano. Então, tu sabes o k significa etnia, perguntei-lhe? Ficou a olhar-me e respondeu-me: vou pesquisar na net e depois digo-lhe. Ai, és mesmo cigana, disse-lhe eu com um largo sorriso, k a contagiou.

    Beijos, agradeço a tua visita e comentário e desejo-te um bom fim de semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já estava com saudades das " dissertações " semore assertivas que fazes dos temas que aqui lanço. Muito obrigada pela atenção, mas, felizmente está tudo bem com os meus e o mesmo deseejo a ti e à tua familia. Sabes, durante 5 anos fiz voluntariado na loja social e lá convi bastante com pessoas de " etnia " cigana e nunca tive problemas; tratei-os sempre com respeito e recebi esse respeito de volta; tive sim alguns com os da nossa raça, os ditos brancos que se " davam ao luxo" de desprezar os outros; aliás havia voluntários que os tratavam de maneira diferente e por isso alguna procuravam ir no dia em que eu e outro colega ( são sempre 2 em cada turno ) iamos, porque nós os tratavamos como iguais. Há quem diga que eles não se integram e quando ouço isso pergunto sempre : " e nós permitimos que se integrem? Por acaso algum de nós dá emprego a um cigano, nem que seja a tirar ervas no jardim ? Se não fazem feiras, como sobrevivem ? Tem que pedir esmola ou então roubar. A nossa mentalidade em relação a eles tem de mudar muito. Amiga, espero que tenhas um bom fim de semana e que voltes aqui sempre. Gosto muito de " conversar"contigo
      Beijinhos
      Emilia

      Eliminar
  27. Eu acho que ele está coberto de razão!
    A palavra negro tem mesmo uma conotação negativa!
    Até nos Estados Unidos isso se aplica até hoje... a palavra negro... surge sempre em contextos que envolvem racismo, e se pretende conotar com algo negativo, depreciativo.
    Negro... sempre estará associado a escravidão...
    Preto... sempre estará associado a raça... sem qualquer juízo de valores...
    No video... é-nos mostrado de forma brilhante, e simples, como a linguagem corrente faz mesmo essa distinção, pela positiva e pela negativa...
    Tudo o que é negativo, e ofensivo é negro...
    Adorei o video! Não deveria haver distinções... não deveria haver racismo... mas existem raças distintas, isso é um facto incontornável... somos brancos, pretos, vermelhos, amarelos... mas debaixo da pele somos todos iguais... e ás vezes... muito pouco humanos, uns para os outros, infelizmente!
    Beijinhos! Boa semana!
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não há nada que eu possa acrescentar ao teu comentário, pois nele disseste tudo. Sabes, convivo com algumas pessoas que viveram nas ex colónias e, embora saibamos que muitas delas eram e continuam racistas, outras há que não o foram nem são; pois, referindo-me a estasm quando conversam, sempre com muita saudade, sobre a vida que tinham lá, designam os nativos de Africa como pretos; não há uma que lhes chame de negros. Preto é cor e pt é essa a designação certa. Muito obrigada, amiga pelo comentário tão assertivo. Uma boa semana. Beijinhos
      Emilia

      Eliminar