quinta-feira, 5 de setembro de 2013

AS CASAS




 .... habitadas são belas
 se parecem ainda uma casa vazia
 sem a pretensão de ocupá-las tornam-se ténues
 disposições os sinais da nossa presença: 
 um livro...
 a roupa que chegou da lavandaria por arrumar em cima da cama
 o modo como toda a tarde a luz foi entregue ao seu silêncio
 Em certos dias, nem sabemos porquê
 sentimo-nos estranhamente perto daquelas coisas que buscamos muito
 e continuam, no entanto, perdidas dentro da nossa casa





 José Tolentino Mendonça

E para que as coisas que tanto buscamos não permaneçam perdidas dentro da nossa casa, escondidas no nosso Eu mais profundo é necessário que saibamos abrir as janelas de par em par para que a luz entre e encha o nosso coração de paz, de alegria e acima de tudo de gratidão à vida por toda a beleza que nos oferece a cada amanhecer.

Um beijinho

Emília Pinto


36 comentários:

  1. As casas dividem-se em categorias diferentes.
    Umas são as habitadas onde somos felizes e crescemos em sociedade com respeito, trabalho e amor.
    Outras são muito arrumadas, pintadas mas vazias onde se entra rápido mas sempre com presa de sair. Não são aquelas casa onde nos sintamos bem.
    As pessoas hoje em dia esquecem o valor da casa e da família. Talvez as políticas conduzam a isso, mas devemos voltar e repensar neste assunto muito seriamente.
    Quem não tem casa é que dá valor à casa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estou plenamente de acordo, Luis e por isso faço muito a distinção entre casa e lar; há pessoas que têm belas e grandes casas, mas lá dentro não existe nada de essencial, não é um lar; são simplesmente casas vazias. Um beijinho, querido amigo e muito obrigada pelo seu belo comentário. Desculpa a minha ausência, mas alguns problemas me têm impedido de fazer as visitas que gosto. Brevemente voltarei à minha assiduidade costumeira. Fica bem!
      Emília

      Eliminar
  2. Que jeito lindo de internalizar a casa que habita em nós...
    Grande abraço. Em divina amizade.
    Sonia guzzi

    ResponderEliminar
  3. Que jeito lindo de internalizar a casa que habita em nós...
    Grande abraço. Em divina amizade.
    Sonia guzzi

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostei muito também desta bela metáfora, Sonia e, se tiveres oportunidade, lê este autor, pois vais gostar. Tem prosa e poesia de grande beleza e bons ensinamentos. Um beijinho, amiga e muito obrigada pelo carinho. Até breve.
      Emília

      Eliminar
  4. ver-te de novo foi bonito o meu livro sobre o Amoe é um pouco da minha magia
    se o quiseres diz...



    Amor
    Palavra linda
    Palavra simples
    Palavra pequena
    Apenas quatro letras

    Mas quatro letras
    Todas diferentes
    E todas fortes

    Amor tantas palavras
    Tantas vezes usadas
    Tantas vezes lidas
    Tantas vezes gastas

    Palavras que usamos
    E sentimos que o Amor
    É mesmo o único elo
    Que move o mundo
    Que nos rodeia.
    Por isso,
    Continuamos sempre
    A viver ...
    E a procurar o Amor!

    LILI LARANJO

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi também muito bom ver-te por cá, Lili. Alguns problemas e a presença dos meus pais cá em Portugal desde Maio fizeram com que me ausentasse um pouco, mas brevemente saberás de mim mais vezes. Tenho a certeza de que o teu livro é pura magia , pois poesia é isso ; a tua, é simples e bela e por isso terá sucesso. Um beijinho e muito obriga pela visita sempre carinhosa.
      Emília

      Eliminar
  5. A casa é o espelho do estado da nossa alma.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostei dessa definição, Lisa. Quando entramos numa casa e não estivermos só preocupados em observar a beleza dos móveis e a riqueza dos objectos de decoração, poderemos constatar se ali há um lar; conseguiremos ver com facilidade se ali vive gente feliz. Eu costumo dizer que gosto de ver uma casa desarrumada, não suja, mas desarrumada, pois é sinal que aí se vive. É assim que fica a minha quando cá estão os meus netos e quando os meus filhos eram pequenos. Deixo desarrumar, mas proibo que estraguem. Isso os meus netos aprenderam e assim fazem, apesar de pequeninos. Casa arrumada demais parece museu onde as peças ficam alinhadas à espera que para elas olhem, mas não as toquem. Beijinhos, Lisa e muito obrigada pela visita. Boa noite, amiga!
      Emília

      Eliminar
  6. Minha querida

    Nós somos a nossa casa, para onde quer que vamos o que temos dentro de nós vai connosco.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Rosa Maria.Fico feliz por vê-la aqui na minha Casa, uma casa que se enche de amigos que com as suas palavras, experiências e opiniões a decoram deixando-a colorida e cheia de vida. Cada pessoa que cá vem traz uma cor diferente e ela vai ficando um verdadeiro arco íris.E aqui deixo um beijinho de amizade que será colocado num cantinho do teu coração, naquele que costumas decorar com palavras e gestos dos amigos. Muito obrigada e fica bem, amiga.
      Emília

      Eliminar
  7. Ás vezes, achamos que a casa está vazia demais, que o silêncio é profundo demais...
    Mas depois preenchemos o silêncio, enchemos de cores e brilho o momento e fica-se em paz...Com os livros, a música, as conversas...
    Obrigada pela partilha e pela visita...
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gosto de " livros, música e conversas ", principalmente boas conversas com AMIGOS. Preenchem a minha alma tantas vezes inquieta, sentindo-se como uma casa vazia; deixam-na plena de essência e colorida...alegre. Beijinhos, Marta e muito obrigada pela visita e carinho. Um bom fim de semana
      Emília

      Eliminar
  8. A casa . . . o nosso lar ... o nosso eu , demonstrado nos mínimos pormenores

    Beijo grande Emilia , e bom fim de semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Lilaz, a nossa casa tem que ser o nosso lar , o nosso espaço, onde guardamos as emoções mais profundas. onde nos refugiamos para nos encontrarmos com o nosso eu. Se não for assim a nossa casa não passará de um monte de tijolos alinhados de uma maneira mais ou menos bonita.
      . Beijinhos, amiga e muito obrigada pelo carinho.
      Emília

      Eliminar
  9. Um lugar onde passamos muito tempo da nossa vida. Um espaço criado para nos sentirmos bem. Um conjunto de formas com ângulos graduados pela inteligência, pelo amor a construção familiar.
    Bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por ser o lugar onde passamos a maior parte da nossa vida é que tem que ser um espaço de conforto, preparado à nossa medida e à dos que nos cercam. Cada objecto, cada cantinho tem que ter o toque de cada um dos que vivem na nossa casa, para que se sintam bem." a construção familiar " é feita dentro de uma casa, por isso é necessário que o interior dela seja preparado para que se viva de uma maneira harmonizado e confortável. De um lar feliz nascerão cidadãos felizes e bem formados. Um beijinho, amigo e obrigada pela visita.
      Emília

      Eliminar
  10. Uma casa, um quintal, um jardim, tudo isso tive, perdia-me no silêncio dos salões.. dei-a ao vento, não me sentia feliz, tudo ficou para tràs ....
    Hoje vivo num 6º andar, pequeno, cheio de luz ,rodeado de vida ,preenche os meus dias ,não sinto a solidão... assim, cada um tem de procurar o seu canto, seja um casarão ou um simples andar, o importante é encontrarmo-nos.Sejamos felizes!
    Herminia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sempre dei muito mais importância ao interior da casa. Para mim é importante que seja confortável e simples para que assim todos possam estar à vontade. Gosto de ver uma casa saudavelmente desarrumada, pois é sinal de que ali se vive. O interior de uma casa é o retrato de quem lá vive; consegue-se ver o interior da pessoa através do interior de uma casa. Um beijinho, Hermínia e até sempre!
      Emília

      Eliminar
  11. A nossa casa é um mundo só nosso onde cada um se sente rei e senhor. Mas acredite que as melhores recordações que tenho de casa, são do velho casarão junto ao rio, que viu nascer meus irmãos e onde vivi até à idade adulta. Não tinha luz nem água, mas era a nossa casa, e estava cheia de risos e choros de tristezas e alegrias, de sonhos por concretizar.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
  12. Sabe, Elvira, ainda existe a casinha onde nasci e vivi até me casar-Também lá fui muito feliz, apesar de não ter luz e água. Faltava muita coisa nessa casa que foi melhorando aos pouquinhos, à medida que aparecia um dinheirinho extra. Tem a minha idade, essa casa e lá vai resistindo, com uma reformita aqui e acolá.Está vazia agora....vazia de gente, mas repleta de recordações.Já tive várias casas, pois vivi no Brasil vários anos, mas, como a Elvira, a que me deixa mais saudades é a casinha de aldeia onde nasci, pois foi lá, dentro daquele construção simples que me fiz gente. Obrigada, Elvira pelo belo comentário e por me fazeres recordar a minha pobre casinha de aldeia,pobre mas cheia de vida.Um beijinho
    Emília

    ResponderEliminar
  13. Estou totalmente de a cordo com ocomentário do meu amigo Luís.
    Eu tento que a minha casa seja uma casa "habitada"...e abro
    sempre as janelas, excepto quando chove.Também não consigo
    ter tudo muito certinho, intocável...eu vivo cá dentro...
    Bj.
    Irene Alves

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. " Tudo certinho, intocável " só nos museus e aí não se vive, só se visita. Se não queremos ser visitas nas nossas próprias casas temos que permitir que as toquem, que as sintam, que as vivam. Eu também vivo dentro da minha casa e é nela que me sinto bem. Um beijinho, Irene, e obrigada pela visita. Fica bem, amiga!
      Emília

      Eliminar
  14. Não sei se haverá alguma pessoa que não sinta um apego enorme à sua casa.
    Recordo-me que a minha Mãe, já com bastante idade veio viver comigo, e, embora se sentisse muito bem, quantas vezes suspirava pela sua casinha! Na verdade não era uma casinha, mas um casarão enorme, de rés-do-chão e 1ºandar, onde nasci e vivi a primeira infância (até ir para o colégio, estudar), e da qual também, até hoje, sinto saudades.
    Diz muito bem, minha querida, não devemos ter coisas perdidas dentro de casa, especialmente desta casa que é o nosso corpo.
    Tem dias que custa muito abrir as janelas... mas é necessário fazê-lo, para deixar entrar o ar!

    No próximo dia 14 publicarei o meu habitual post mensal, onde falarei das férias e mostrarei fotos.

    Até lá um beijinho muito GRANDE.
    Mariazita
    Link para o meu blog principal

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sei que há dias em que custa abrir as janelas e deixar a luz entrar; o nosso coração pede silêncio e escuridão tantas vezes, Mariazita, mas devemos fazer um esforço e abri-las de par em par, deixando entrar tudo, até chuva. Estarei com certeza na tua casa para saber das novidades, amiga! Um beijinho e muito obrigada pelo carinhoso comentário.Fica bem!
      Emília

      Eliminar
  15. OI EMILIA!
    ESTAMOS SAINDO DO INVERNO E ENTRANDO NA PRIMAVERA AQUI NO BRASIL, ENTÃO, ABRIMOS AS JANELAS DE NOSSAS CASAS E DA VIDA, PARA RECEBER O SOL...
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aqui Zulani está a acabar o verão e daqui a pouco o frio chega, mas mesmo assim devemos abrir as janelas para que os nossos corações não fiquem mpedernidos. O Inverno também é belo e toda a beleza deve entrar em nós; só assim ficaremos mais humanos. Um beijinho, querida amiga e muito obrigada pelo carinho. Até sempre!
      Emília

      Eliminar
  16. Algumas coisas sempre serão perdidas.....
    Beijo Lisette.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens muita razão, Listte, sempre perdemos alguma coisa por mais que queiramos guardá-las, mas a vida é isso mesmo...perdas e ganhos...erros e acertos. Um beijinho, amiga e obrigada por sempre visitares a minha casa.
      Emília

      Eliminar
  17. Hoje é meu aniversario ,e só tenho de agradecer a
    Deus pelo privilegio de passar mais um ano de minha vida
    desfrutando das maravilhas que Ele me concede .
    Em primeiro lugar meu agradecimento a Deus
    por tudo que ele tem feito em minha vida.
    Estou feliz por mais um ano de vida que ,
    Ele me deu com saúde e ao lado de pessoas maravilhosas.
    Essa amizade linda , que Deus me presenteou
    para mim você é benção na minha vida.
    Deixei com muito carinho um mimo
    para você na postagem .
    Caso gostar pegue a , que mais lhe agradar.
    Meu atraso foi divido minha viagem para Bienal.
    Abraços e todo meu carinho, Evanir.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico muito feliz por saber que estás a fazer mais um aniversário e que te sentes feliz e agradecida. Parabéns, amiga e Deus permita que nada te falte por muitos mais anos, principalmente a saúde. Um beijinho muito especial de parabéns
      Emília

      Eliminar
  18. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  19. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar

  20. Querida Emília

    Muito obrigada pelas lindas e oportunas palavras que dedicas aos meus postes, complementando-os com a tua sensibilidade e sabedoria.

    Quanto a este teu post, ele é lindo: a casa é o nosso mundo,o nosso refúgio, especialmente quando existe compreensão e harmonia. É onde imprimimos a marca da nossa personalidade,em tudo o que nos rodeia. Também terá de ser uma janela aberta para o mundo, como bem referes, não nos limitando a recolher-nos sobre nós próprios, mas colocando-nos numa disposição tal que nos permita a interacção necessária com os outros.

    Um bom fim de semana.

    Beijinhos

    Olinda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, Olinda, é necessário que haja paz e harmonia, para que a casa seja um lar. Se assim não for, não passa de um monte de tijolos colocados uns sobre os outros, com melhor ou pior design.Muito obrigada, amiga pelos seus comentários sempre oportunos e que dão um belo complemento à mensagem que tento passar com os meus posts. Gosto de debates de ideias e é isso que faz sempre quando cá vem com a opinião que deixa. Um beijinho e uma bela semana
      Emília

      Eliminar