quarta-feira, 6 de junho de 2012

SOLIDÃO





"Solidão não é a falta de gente para conversar, namorar, passear ou fazer sexo...
Isto é carência!
Solidão não é o sentimento que experimentamos pela ausência de entes queridos que não podem mais voltar...
Isto é saudade!
Solidão não é o retiro voluntário que a gente se impõe, às vezes para realinhar os pensamentos... Isto é equilíbrio!

Solidão não é o claustro involuntário que o destino nos impõe compulsoriamente...Isto
é um princípio da natureza!
Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado...
Isto e circunstância!
Solidão é muito mais do que isto.
..
Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma."


Esta mensagem é, por alguns, atribuída a Chico Buarque, mas há muitos mais que a reconhecem como sendo da autoria de Fátima Irene Pinto. Quem é ela?





Fátima Irene Pinto


Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.



Fátima Irene Pinto (Pirajuí, São Paulo, 17 de Agosto de 1953) é uma poetisa brasileira.

É formada em Letras, tendo exercido atividades de jornalista, professora, musicista e coordenadora de concursos de poesia. É aposentada do BNC S/A onde ingressou em 1978 e aposentou-se em 2004.

Assim se referiu-se a ela o poeta catarinense Solange Rech:

"De tempo em tempo, aqui e acolá, a natureza nos brinda com pessoas muito especiais. Fátima Irene é uma dessas raridades. Ela entende de alma humana, como mostram seus versos e mensagens. Sim, porque um verso não é um amontoado de palavras, e sim uma ebulição de sentimentos. O que caracteriza um poeta é o dom divinal de tecer, com palavras, chaves enigmáticas que abrem os corações.

O poema "Solidão" que consta nos livros "Palavras para entorpecer o coração" e "Ecos da Alma" da autora, é indevidamente creditada por algumas fontes ao escritor e músico Chico Buarque de Holanda.

Para mim, SOLIDÃO é de facto “ QUANDO NOS PERDEMOS DE NÓS MESMOS E PROCURAMOS EM VÃO PELA NOSSA ALMA”

Emília Pinto

50 comentários:

  1. Emília, boa noite!
    Não conhecia esta poetisa, mas já tinha lido este poema e concordo inteiramente com a mensagem que a autora passa aos leitores.

    Beijinho,
    Ana Martins

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também não conhecia a poetisa, mas a internet tem estas vantagens; dá-nos a conhecer pessoas que, de outro modo, talvez nunca viessemos a conhecer. Achei muito interessante a mensagem e por isso quis partilhar. Obrigada pela visita, Ana e desejo-te tudo de bom, principalmente que nunca te percas de ti mesmo.
      Um beijinho e até breve!
      Emília

      Eliminar
  2. Bom dia, querida Emília

    Interessante, muito interessante mesmo esta mensagem. Normalmente ao pensarmos na 'Solidão' apresenta-se logo no nosso espírito tudo o que a autora nega como sendo solidão. Penso que serão outras formas de solidão, mas não há dúvida que quando uma pessoa se perde de si mesma, aí, não há escapatória, fica sem o seu suporte espiritual, encontrando-se de repente em becos sem saída e deixando de saber optar perante as encruzilhadas da vida. Quando temos todos os dons da alma a funcionar em pleno a nossa visão do mundo é muito mais rica e altruísta, sabendo nós aquilatar dos nossos limites e limitações, ultrapassando-os com a nossa força interior.

    Obrigada por esta Reflexão.

    Beijinhos

    Olinda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Perdermo-nos de nós mesmos é a mais terrivel das solidões, concordo plenamente, Olinda! Ficamos sem rumo e não somos capazes de deixar que os outros entrem em nós e nos completem. É preciso que deixemos a nossa alma se encha de essência, pois só assim poderemos conviver plenamente com tudo e com todos os que nos rodeiam. Não estaremos sós se assim fizermos. Um beijinho, amiga e muito obrigada pela visita e pelas paalavras sempre carinhosas.
      Emília

      Eliminar
  3. A solidão e a saudade estão muito relacionadas entre si mas enquanto podemos suportar a saudade por se prever uma cura breve, já com a solidão as coisas são mais difíceis.

    Ai solidão, solidão que me trás perdido neste mundo em vão...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens razão, Luis, a saudade e a solidão se confundem, mas a saudade passa, mata-se como se costuma dizer; já a solidão, essa é muito mais difícil de suportar e se for a solidão da alma ainda se torna pior. Temos que cuidar da nossa alma, do nosso interior para que, pelo menos eles nos acompanhem nos momentos em que não temos outro tipo de companhia. Obrigada pela visita, amigo e fica bem! Um beijinho
      Emília

      Eliminar
  4. Não conhecia esta poetisa. Muito bonito e verdadeiro o que ela escreveu sobre a solidão.
    Penso que é esta solidão que se propaga cada vez mais nos nossos dias, sem que as pessoas se apercebam. Andamos cada vez mais virados para as "coisas", e afastados da nossa alma, embrenhados numa solidão subtil mas não menos dolorosa.
    Também gostei muito do comentário do poeta Solange Rech, uma definição do verdadeiro poeta, eu acho.

    É sempre um prazer passar por cá, saímos sempre enriquecidos

    Um beijinho grande

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também não conhecia, Rita. Gostei muito também da definição de Solange Rech, pois acho que o verdadeiro poeta é aquele que sabe ler a alma humana e que é capaz de ver poesia em cada pormenor do dia a dia, em cada detalhe da natureza, em cada acção do ser humano. Acho que cada um à sua maneira pode ser poeta. Um beijinho, amiga e muito obrigada pelo carinho da visita. Um bom feriado!
      Emília

      Eliminar
  5. Querida Emília:
    Seja de quem for, é uma grande frase, que faz pensar.
    Mas, como o "Seu a seu dono" , é bom que seja atribuída a quem a disse.
    Como sempre esta mensagem, é importante. Parabéns por ela.
    Beijinho
    Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Maria. Claro que tem que se dar o crédito a quem de direito e, como também diz a nossa amiga Elvira é dela mesmo. Não conhecia, mas agradeço a oportunidade que me deram, ao enviarem-me este poema por e-mail. Aprende-se muito todos os dias. Um beijinho, Maria e obrigada pela visita. Espero que estejas bem e que tenhas um bom feriado.
      Emília

      Eliminar
  6. Conheço o texto amiga. É da Fátima Irene Pinto, está num dos seus livros "Para entorpecer o coração" página 79. O texto original nem tem a configuração com que aparece na net.
    É um poema.
    E deixo-lhe aqui um outro poema de que gosto muito e que é da mesma autora
    Não terminaste!


    Uma Lágrima

    Pelo beijo que eu não te dei,
    Pelo afago que eu sufoquei,
    Pelos sonhos que malbaratei,
    Pelo encontro que em vão sonhei,
    Pelo beijo que não me roubaste,
    Pelo afago que me recusaste,
    Pelo encontro que tu evitaste,
    Pelo sonho que tu não sonhaste!

    Uma Lágrima

    Pela mão que não entrelacei,
    Pelo olhar que jamais cruzei,
    Pela valsa que eu não dancei,
    Pela música que não entoei,
    Pela mão que não apertaste,
    Pelo olhar que tu desviaste,
    Pela dança que tu não dançaste,
    Pela canção que não escutaste!

    Uma lágrima

    Pela espera da festa...sem festa,
    Pela espera do gozo...sem gozo,
    Pela espera da vida...sem vida,
    Pelo ápice do fim...sem fim!

    Uma lágrima enfim

    Sem festa...pela fresta que tu me fechaste,
    Sem gozo...pois no meio do caminho declinaste,
    Sem vida...foste minha luz e te apagaste,
    Sem fim...começaste a amar e não terminaste!


    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como disse acima, Elvira, este "poema" foi-me enviado por e-mail e atribuído a Chico Buarque. Fui pesquisar e vi que havia muitas dúvidas, mas, na maioria dos casos era atribuído a esta escritora. Foi muito bom, pois foi uma maneira de a conhecer. Agora mais feliz fiquei, pois este poema que aqui me deixaste é fabuloso. Muito, muito bonito, Elvira. E assim nos cai tantas vezes uma lágrima...por aquilo que não fizemos..pelo que quisemos fazer e não nos deixaram...pelo amor que não demos, pelo que não recebemos...pelos sonhos...pelos desencontros.. Foi uma delícia ler este poema e agradeço-te imenso o enriquecimento que proporcionaste ao meu post. Obrigada, Elvira pela visita, pelas palavras e pelo carinho. Um beijinho e espero que tenhas um belo feriado
      Emília

      Eliminar
  7. Olá Emília

    Solidão e saudade andam de mãos dadas.

    Há tanta forma de solidão. A acompanhada é uma das que mais dói, mas sem dúvida que solidão é:

    ...quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma.

    Beijos.

    Lisa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens toda a razão, Lisa...a solidão acompanhada é a que mais dói e há tanta solidão no meio da multidão e muita também em casas cheias de gente.Infelizmente, todos conhecemos casos deste tipo de solidão e todos sabemos também que é uma solidão muito doída. Um beijinho, amiga e muito obrigada pela presença sempre carinhosa aqui no nosso cantinho. Desejo-te um belo feriado. Fica bem!
      Emília

      Eliminar
  8. Respostas
    1. Também gostei muito, Lisette. Perfeita na definição que faz da solidão esta escritora. Fico contente que tenha gostado. Um bom feriado, amiga! Um beijinho e obrigada pela visita.
      Emília

      Eliminar
  9. Oi Emilia!
    Todas as frases tiveram o seu sentido certo, a carência , a saudade e etc.
    Mas, efectivamente a solidão é um sentimento da alma inquieta, é o não estarmos bem com o nosso interior.Feitas as pazes a solidão desaparece, enquanto não resolvido doi mesmo muito, é um nó muito apertado,é querer gritar e não ter voz,é querer fugir sem ter forças, é um mau estar constante , é angustia, é ansiedade, é tudo o que torna um homem menor!
    Já passei pela solidão rodeada de muita gente,gente alegre,gente triste,gente.. gente boa,mas eu estava só, hoje... mais longe ,não sinto essa solidão, não me sinto trancada, porque estou de bem comigo mesma, sinto-me liberta, estou com o pouco que queria.
    Assim e cada um à sua maneira, a solidão, vai acabando.
    Há outros sentimentos, que são abalados ,mas são sentimentos ezperimentados por quase todos aqueles que dão amor, que se importam com os outros, que têm filhos, netos, aparece aquela insegurança, mas passa ,vamos interiorisando, que a vida traz surpresas e nem sempre boas, ,casos que traz dor dor intensa,mas nãda tem haver com a solidão.esta é mesmo estar só, sem rumo!
    Gostei, muito e há gente, que bem precisava de ler este seu post, pois parece, que anda sempre com o mundo às costas,e não se encontra, conheço quem!
    Até breve
    Herminia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo plenamente, Hermínia. As angústias que sentimos, os sofrimentos por que passamos são próprios da vida, são próprios de quem ama, de quem se preocupa, de quem quer que a vida tenha algum significado para si e para os outros. Solidão é outra coisa e que nem sempre é dolorosa; há a solidão que procuramos e essa sabe bem...é necessária até; depois há aquela forçada que sabe a abandono e que doi; mas a que mais nos prejudica é a da alma; essa, sim, faz de nós seres humanos amargos, de mal com a vida; ficamos tão vazios de humanidade que não conseguimos enxergar a boa companhia que temos a cada canto e em cada minuto do nosso dia.Com a nossa alma plena de essência não nos sentiremos sós nunca. Beijinhos e obrigada por tão belo comentário. Fica bem, amiga!
      Emília

      Eliminar
  10. Querida amiga Emília,
    ...realmente os vossos postes têm o condão de virem ao meu encontro,mas de uma forma tão certeira que não exagero se disser que é sempre uma agradável surpresa qualquer tema que seja aqui tratado.
    A solidão, que para muitos é dor, para mim é uma graça! Claríssimo
    que não falo da solidão de se sentir "só"! Graças a Deus, estou muitíssimo bem rodeada em todos os sentidos e talvez por isso aprecie os meus momentos , só para mim. Eu e mais eu. Com o meu ritmo.E a minha Alma tem necessidade de estar só. Não aguento não falar comigo e com o meu Eu.Quando me diz se eu falo da vida, falo.E o que para mim é mais belo: o que ela esconde, o Invisível, que a uns maravilha e a outros repugna! a mim delicia-me!Daí,o silêncio que tanta falta me faz.Onde me encontro...
    Ah...e muito teria para discorrer!
    O cisne! Claro que o viu e falou dele e com ele! Obrigada pelas suas palavras sempre tão sábias, delicadas!
    E com o silêncio da noite, me vou! E desejo-lhe uma noite silenciosa, de paz!
    Grande abraço, Emília!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que o cisne ouviu o que lhe falei; altivo...belo...silencioso, mas atento. Atenta procuro estar sempre à minha alma para que nunca a perca; tenho consciência que, se a perder, estarei terrivelmente só e essa solidão tenho a certeza que será doída. Sabe, Manuela, gosto muito do silêncio; quando chego a casa e não está ninguém, não ligo rádio nem televisão; gosto de apreciar o meu canto silencioso..quieto...em paz; converso muito com o meu Eu; se calhar até demais, mas não sei ser de outra maneira. Solidão...silêncio...umas vezes sinónimos de dor...outras, porém, verdadeiros momentos de prazer; é assim a vida... feita de emoções várias; assim deve ser também a nossa alma, plena de vida para que nunca nos sintamos sós. É sempre um gosto muito grande tê-la cá, Manuela e as suas palavras carinhosas são um afago à minha alma. Obrigada e espero que tenha um feriado tranquilo. Boa noite, amiga. Um beijinho e até breve.
      Emília

      Eliminar
  11. Querida amiga

    Tudo foi dito
    sobre a solidão,
    e a autora
    deve ter escrito
    tão belas palavras,
    quando a mesma
    lhe cobriu a alma,
    o corpo,
    a voz e o silêncio...

    Que a vida nunca se perda de ti.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É o que espero e o que tento sempre, amigo...que a vida nunca se perca de mim e para isso é preciso que eu esteja sempre muito atenta à minha alma, pois se a tiver plena de essência a solidão não será sofrida. Muito obrigada, amigo, pela visita e desejo-te um bom feriado com muita paz e bem acompanhado, principalmente de ti mesmo. Um beijinho, Aluísio
      Emília

      Eliminar
    2. Já conhecia este texto e com a autora devida.
      Considero - o excelente .
      Fiquei -me na ..." Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma ."
      Uma bela forma de falar na solidão mais desesperante .

      Um beijo ,
      Maria

      Eliminar
    3. Olá Maria. Foi muito bom ter conhecido esta escritora e nessa frase está mesmo o verdadeiro significado da palavra solidão, daquela solidão que mais dói. Muito obrigada pela visita, amiga e espero que tenhas um belo fim de semana. Um beijinho e até breve.
      Emília

      Eliminar
  12. Uma frase que diz tudo.
    Não devemos, nem podemos deixar fugir o que de melhor temos dentro de nós. Cada reflexão, cada momento de solidão, é o reencontro do nossos pensamentos do nosso corpo, da nossa alma.
    Estejamos atentos.
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens razão, cantinho! Nunca devemos perder a nossa força interior, o que de melhor temos em nós, a capacidade que temos de dar amor aos outros e também de receber tudo o que de bom a vida tem para nos dar. Assim, sentir-nos-emos sempre mais completos e portanto menos solitários. Com o nosso Eu pleno de essência, essa solidão doída não nos afetará. Um beijinho e obrigada pela visita. Um bom fim de semana
      Emília

      Eliminar
  13. Conhecia esse e outros poemas, dessa autora. Havia livros dela numa biblioteca em que trabalhei, há alguns anos. Como ela define bem, o que não é e o que é solidão. Há um grande aprendizado nessa bela poesia. Quanto a ter sido atribuído ao Chico Buarque, eu desconhecia. É possível que ele tenha musicado a letra desse poema.
    Aqui no Brasil, muitos cantores/compositores "consagrados" costumam musicar letras de poetas. Lembro-me bem que o cantor Fagner (que é cearense) musicou um poema de Cecília Meirelles, gravou em CD e logo foi processado pela filha da poetisa (Maria Fernanda- atriz), que detém os direitos autorais da mãe famosa.
    Creio, que o Buarque não lançaria mão de uma letra, que não fosse dele, sem atribuir a devida autoria. Não sei, em que contexto aparece o Chico Buarque, como autor do lindo poema...

    Bom final de semana, querida amiga, Emília.
    Beijinhos,
    da Lúcia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Lúcia. Como já disse, recebi esta mensagem por e-mail e atribuida a Chico. Depois de uma pesquisa na net vi que havia muitas dúvidas e na maioria dos casos era atribuída a esta escritora. Já está provado que o é sim.. Também não acredito que o Chico se aproveitasse da letra sem os devidos créditos. Foi muito bom tudo isto, pois fiquei a conhecer a Fátima Isabel Pinto que não conhecia. Um beijinho, amiga e espero que tenhas uma bela semana´. Obrigada pela visita!
      Emília

      Eliminar
  14. Por vezes é difícil saber quem é o verdadeiro autor de um texto.
    E na Net isso aconntece muito. Desejo que estejam bem.Bj.Irene

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Creio que está provado que a linda mensagem pertence a Fátima Isabel Pinto. Às vezes acontecem estas confusões. Muito obrigada pela vista, silenciosamente ouvindo. Um beijinho e fique bem!
      Emília

      Eliminar
  15. Uma frase que independente do autor nos leva a refletir sobre nós mesmos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Anabela, independentemente do autor, a mensagem leva-nos a uma bela reflexão e também à preocupação que devemos ter com o nosso interior, com a nossa essência, para que não nos percamos de nós mesmos. Um beijinho, Anabela e muito obrigada pela visita. Fica bem!
      Emília

      Eliminar
  16. Olá Emília

    Não consegui achar teu e-mail.
    Deixei recado no outro blog, mas insisti em deixar aqui também.
    Entra em contacto comigo: nilcegibson@yahoo.com.br logo que puder, por favor.
    Saudades de ti e da Hermínia.

    Bjs no coração!

    Nilce

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi Nilce. Que bom que apareceste por aqui. Tenho ido ao teu blog, mas já há muito que não há nada de novo. Já entrei em contacto contigo através desse e-mail. Estou à espera! Beijinhos e até breve
      Emília

      Eliminar
  17. Cá estou de novo amiga. O título deste seu blogue tem o
    simbolismo da canção que se ouve em fundo cantada pela Simone
    brasileira, mas uma cançonetista portuguesa(agora mais actriz,
    pela sua idade) também a cantou.Também se chama Simone e eu
    gosto muito dela.
    Beijinhos e até à próxima visita.
    Irene

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá de novo, amiga! Gosto muito desta música porque acho que a vida é um constante começar de novo e por isso a escolhi para o meu blog. Eu vivi muitos anos no Brasil, mas sou Portuguesa. Penso que te referes à Simone de Oliveira, não? Conheço muito bem e gosto muito dela; por acaso nunca a ouvi cantar esta música, mas acredito que deve ter ficado linda cantada por ela. Um beijinho e obrigada por teres voltado cá. Espero que tenhas uma bela semana.
      Emília

      Eliminar
  18. Olá Emília. Solidão é exatamente isso: nos perdermos de nossa essência. Beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também penso assim, Maria José. Se não somos capazes de nos encantrarmos a nós mesmos, nunca iremos chegar aos outros e ficaremos na solidão para mim mais temível. Obrigada pela visita e espero que fiques bem e tenhas uma semana cheia de luz. Um beijinho
      Emília

      Eliminar
  19. Solidão é uma palavra , um sentimento que desconheço, ela vem da alma de cada um e a pessoa pode estar cercada de amigos que se a sua alma, seu coração não estiverem de bem com a vida hummmmm, ela vai ficar realmente solitária.
    A vida é tão linda mesmo nos momentos mais difíceis e dolorosos temos que jogar o JOGO DO CONTENTE DA POLLYANNA e procurarmos sempre algo de positivo no que estamos vivendo, de nadaaaaa adianta ficar sentada, chorando, reclamando da vida, levante e vá dançar, cantar, conversar nem que seja com o porteiro do seu prédio mas procure a vida, vá viver porque ela passa tão rápido como a brisa do mar, aproveite tudoooooo e seja felizzzzzz!
    Falei mto né amiguinha? Hj levantei com a corda todaaaaaa rs,sr,rs,rs linda semana para vc, beijinsssss biejinsssssss

    http://casinhadavovoro.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não falaste muito, não senhor! Se reparares nos blogs, o meu comentário é sempre longo; até costumo chamar-lhe de " testamento". Gosto de uma boa conversinha e não sei comentar com poucas palavras. Sabes que tive agora uma boa notícia? Um blogueira do Brasi, chamada Nilce está cá no Porto; mandou-me um e-mail e quer conhecer-me. O blog dela é a Vida de uma guerreira. Eu moro pertinho do Porto ( aqui em Portugal tudo é perto...), a meia hora de distância, por isso acho que vai dar para a encontrar; ou ela vem cá ou vou eu ao Porto. Depos te conto. E vamos lá então, amiga...procurar viver o mais possível, pois o tempo passa num instante e, quando dermos por isso lá estamos nós...na última estação. Um beijinho, como gostava a Ro, carregadinho de carinho
      Mila

      Eliminar
  20. Estamos tanta vez em solidão...com muita gente à nossa volta e ficamos tão felizes com uma solidão que nos alimenta e "fala" connosco!
    Beijo e boa semana.
    Graça

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Graça, quantas vezes não estamos sós no meio de um montão de gente? Muitas, amiga! Por isso o mais importante é manter a nossa alma sempre junto a nós, não perdendo os nossos valores, a nossa essência, pois assim estaremos mais aptos a dar e receber afetos e com eles nunca nos sentiremos sós. Um beijinho muito carinho e muito obrigada pela visita. Uma bela semana, amiga!
      Emília

      Eliminar
  21. Olá Emilia,

    Parabéns pelo post. Sentirmo-nos sós, estando acompanhados e realmente doloroso e até assustador.
    Essa designação de solidão é, para além de muito verdadeira, muitíssimo bonita.
    Tão bom que é quando conseguimos desfrutar da nossa companhia e os momentos a sós nos sabem lindamente.

    Beijinho a ambas e votos de semana feliz!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom ver-te por aqui Joaninha! A solidão, aquela forçada que significa abandono deve ser muito dolorosa, principalmente para os idodsos que se vem sós, abandonados pelos filhos. Essa, sim é terrível. Há alguns que até conseguem superar isso e vivem o pouco que lhes resta com bastante alegria, mas, mesmo assim devem sofrer. Tenho muita pena deles. Um beijinho, Joana e obrigada pela visita. Espero que estejas bem e que nunca te sintas só. Até breve.
      Emília

      Eliminar
  22. Anjo!!! O bom de sermos amigos é que não importa como somos , o que fazemos ou onde estamos;
    O que importa mesmo é sabermos que somos amigos e que a nossa conexão é mantida pelo pulsar do nosso coração !!
    Uma linda tarde do dia dos namorados muito amor no coração.
    Obrigada pelo carinho pela presença constante
    no meu blog minha linda amizade.
    Beijos saudades receba meu carinho.
    Evanir..Tem presente na postagem ..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Evanir pelo carinho. O dia dos namorados cá é festejado no dia de S. Valentim, dia 14 de Fevereiro, mas, como, na minha opinião deve ser festejado todos os dias, agradeço do mesmo jeito a sua carinhosa lembrança. Espero que para a Evanir todos os dias sejam de luz, com muito amor e amizade. Fique bem, amiga! Um beijinho
      Emília

      Eliminar
  23. Solidão é ficarmos à deriva num oceano de nada.
    Um grande abraço para si, minha Querida Emília.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Isabel, pelo carinho da visita! Tem razão, amiga! Perdermo-nos de nós mesmos, deixando a nossa alma desprovida de essência é de certerza a solidão mais doída. Um beijinho e que os seus dias sejam plenos sempre!
      Emília

      Eliminar