segunda-feira, 23 de novembro de 2009

UM PEDAÇO


de você!

Um pedaço de você já ficou no tempo...

... Quando você deixou de ler um bom livro, quando não acreditou naquele amigo,quando não aproveitou aquele instante para falar de amor, quando não abraçou seu pai e nem beijou a mãe.

Um pedaço de você se perdeu na curva...
... Quando abandonou o seu sonho sem tentar,
quando aceitou trabalhar onde não gostava, quando fazia o que não suportava, quando disse sim, quando queria dizer não,
quando deixou o amor morrer antes de nascer, por medo de sofrer...

Um pedaço de você ficou parado...
... Quando você não quis fazer um novo percurso, quando se conformou com o velho, quando ficou parado vendo o povo correr, quando votou em branco, se podia escolher, quando não apareceu quando era esperado.

A vida pede atitude em cada instante, e passa por cima de quem se cala, de quem aceita, de quem acredita que tudo está irremediavelmente perdido.

A vida desacata quem não se aceita, humilha quem não se valoriza... Ensina com amor os que amam sem medidas, ensina com dor, os que fogem das lições.

Um pedaço de você quer tudo, outro quer se esconder.

Assim, cabe a você, só a você, dosar ansiedade e apatia, ter um tempo para criar e outro para executar, falar e ouvir, ensinar e aprender, caminhar e correr, amar e ser amado, falar baixo e gritar.

Ter um tempo para refletir...

Só não vale cruzar os braços,
só não vale não ser você,
só não vale esquecer...
que nada é mais importante que você!

Autor desconhecido

in blog O presente do presente

Emília

29 comentários:

  1. Excelente como siempre

    Un placer leerte.
    Estaba ausente por cuestiones de salud..
    pero ya de regreso..


    Un abrazo
    Con mis
    Saludos fraternos


    Que tengas una muy buena semana..

    ResponderEliminar
  2. Obrigada pela visita, Adolfo e fico contente que já tenha recuperado a saúde. Um beijo e até breve
    Emília

    ResponderEliminar
  3. Olá! venho fazer uma visita e dar os parabéns pela escolha do texto.De facto devemos lutar todos os dias por não perder nenhum pedaço de nós pelo caminho...
    Bjns

    ResponderEliminar
  4. É de facto assim, cuidando de mim e para teres a prova de que é mesmo assim, peço-te que visites o blog O presente do Presente; vais ficar impressionada com a força destas doentes de cancro.Apesar da vida sofrida, não deixam que nenhum pedaço fique esquecido. Um beijinho e obrigada pela visita
    Emília

    ResponderEliminar
  5. O passado morreu.E o futuro?
    Está viajando nas veias do
    Pensamento.
    Viver é um dom... mas tambem cansa.
    Entristece...angustia... mas
    Alimenta-nos.
    A vida é tão curta...
    Custa dizer adeus
    Aos sonhos que surgem
    No pensamento.
    Pensamento?!Mas... afinal
    Onde se alojou o sonho?

    Beijinhos Amigas e doce noite

    ResponderEliminar
  6. Obrigadas, amigo pelo lindo comentário. Não sei quem é, pois não se identificou; é com certeza um amigo e isso é o que interessa.Onde se alojou o sonho? Boa pergunta.Quase não há tempo hoje em dia para se sonhar, mas, se não arramjarmos tempo para isso, lá se vai um importante pedaço de nós. Beijinhos
    Emília e Hermínia

    ResponderEliminar
  7. Oi Emilia
    Foi bom este post, traduziu os meus pensamentos, são etapas da vida, é preciso ter não chamarei dureza, mas é preciso não vacilar perante muitas situações, que a vida nos apresenta, vai-se perdendo parte de nós, e nada volta,quano o coração é mole, parte, e metade fica por fazer, fica-se por baixo e vão-se arrenjar soluções ,que em nada favorecem.Tudo se vai perdendo no tempo, nada resta senão a amargura.
    Assim também deixamos de ser nós ,para ser os que os outros querem , e entramos em choque connosco
    Sempre fui um bocado assim , para manter a paz, que se torna em paz "podre",fico por vezes sem ser eu.
    Até breve
    Herminia.

    ResponderEliminar
  8. 2Assim, cabe a você, só a você, dosar ansiedade e apatia, ter um tempo para criar e outro para executar, falar e ouvir, ensinar e aprender, caminhar e correr, amar e ser amado, falar baixo e gritar"

    Esta parte de "dosar ansiedade e apatia...! estão demais!

    Falar baixo, o que mais faço...Serei eu escutado por mim própria?


    Biejinho

    ResponderEliminar
  9. Olá, boa noite!

    Muito bonito este texto!
    Há que de facto saber preservar todos os pedaços que nos constituem, sabendo estimula-los e conservá-los.

    Beijinho grande e votos de uma noite descansada.

    Joana

    ResponderEliminar
  10. Hermínia, é isso mesmo: uns pedaços vão e outros voltam para encaixar no espaço deixado; o que interessa é não desistir e preencher sempre os espaços vazios com novas atitudes e acções.Um beijinho, mas não se esqueça que não pode deixar de lado o pedaço mais valioso: você mesma.
    Emília

    ResponderEliminar
  11. Obrigada, Joana pela visita. Somos feitos de pedaços e só compete a nós fazer com que nenhum pedaço fique parado no tempo, se perca na curva, ou que não queira nada; devemos fazer tudo para que quando um pedaço se for, vá carregado de coisas boas e seja substituido por outro ainda melhor. Um beijinho amiga e até breve.
    Emília

    ResponderEliminar
  12. Oi cantinhodacasa. Falar baixinho faz com que o teu «eu» te escute melhor e isso é bom; precisamos muito de conversar com o nosso eu e de escutar os seus conselhos. Este é o nosso pedaço mais importante e que não pode ser substituído. Eu falo muito alto...se calhar tenho medo que o meu « eu » não me escute...mas costumo falar muito com ele...é preciso. Tenho que me habituar a falar baixinho, pois não quero que este meu pedaço se assuste; um dia qualquer foge-me e eu fico a gritar sozinha. Também gostei muito dessa parte que assinalaste; tudo está mesmo só nas nossas mãos; temos que nos convencer disso! Um beijinho, amiga e obrigada
    Emília

    ResponderEliminar
  13. Quanto pedaços ja perdemos????????
    Na inexperiencia, acabamos deixando uns pedacinhos nosso no passado. Mas com o tempo aprendemos que o que vale nessa vida é sonhar, acreditar, realizar e fazer tudo o que temos vontade. Porque a vida é curta, é passa rápido.
    Não temos mais tempo de ficar perdendo em vão alguns pedacinhos.
    Maravilhoso texto
    Beijos
    Andresa

    ResponderEliminar
  14. Tens razão, Andresa, a vida é demasiado preciosa e curta para desperdiçarmos os nossos pedaços, mas o pior é que nem sempre nos lembramos dsso e prenchemos muitos deles com coisas que não interessam.Temos de os encher com pequeninas coisas que nos deixem felizes e que tantas vezes as deixámos de lado. Um beijinho, amiga e obrigada pela visita
    Emília

    ResponderEliminar
  15. É por isso que tento ser nunca deixar de ser Eu e não deixar escapar-me nada da vida ;)

    Aproveito e deixo um convite: participe na Blogagem de Dezembro do blogue www.aldeiadaminhavida.blogspot.com
    “O tema é: O Natal na minha Terra”
    Basta enviar um texto máximo 25 linhas e 1 foto para aminhaldeia@sapo.pt até dia 8 de Dezembro. Participe. Haverá boa convivência e solidariedade!

    jocas gordas
    Lena

    ResponderEliminar
  16. É proibido DESISTIR!! Desistir...é morrer, antes do tempo!
    Obrigada pela vossa presença no dia 22 no meu blog. Bem -hajam!
    Um beijo
    Graça

    ResponderEliminar
  17. Obrigada Helena e Graça pelas visitas e comentários.Agradecemos o convite simpático, Helena; vamos pensar nele. Um beijinho para as duas e que sejam muito felizes.
    Emília

    ResponderEliminar
  18. Emília e Hermínia,

    Que belíssimo texto!

    É verdade, quantos não são os pedaços de nós que vamos deixando pelo caminho sem perceber?

    Tanta coisa que pode ser feita, tanto pra dar e receber, e a gente só se dá conta disso quando talvez já seja tarde demais.

    É muito importante essa reflexão sobre nossa participação na vida. Porque até onde podemos ter certeza, a vida é uma só e é curta demais. Esses pedaços, certamente, são partes importantíssimas de nós.

    Mil beijocas, queridas!

    ResponderEliminar
  19. É isso mesmo, Tânis, quando nos damos conta a vida passou tão depressa que já não temos tempo para nada; o facto é que nós só reflectimos nisso quando lemos textos destes e depressa esquecemos. Mas..vamos tentando...um dia chegaremos lá. Beijinhos e obrigada pela visita
    Emília

    ResponderEliminar
  20. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  21. Amigas grande texto...
    Esse amor que vocês transmitem, cheio de pedacinhos,... que faz das vossas palavras tão bela esperança.

    O importa é que esse amor que existe nesses laços jamais morrerão.

    "Só não vale cruzar os braços,
    só não vale não ser você,
    só não vale esquecer...
    que nada é mais importante que você!"

    Resta esse constante esforço para caminhar dentro do labirinto, esse eterno levantar-se depois de cada queda, essa busca de equilíbrio no fio da navalha, essa terrível coragem diante do grande medo, e esse medo infantil de ter pequenas coragens.
    Vinícius de Moraes

    B. F. S.
    Borrifes de Jacarée

    ResponderEliminar
  22. Tinha de ser do Grande Viníus!!!Ele sabe como é necessária a coragem para se caminhar com o equilibrio necessário neste fio da navalha em que às vezes a vida se torna.Um beijinho, jacarée e um bom fim de semana. Os forrifes nesta altura do ano são um pouco desagradáveis, mas, como vêm de um amigo, suporta-se. Até breve
    Emília

    ResponderEliminar
  23. Grande «Vinicius» queria eu dizer...já estava a querer trocar o nome a este grande senhos. Desculpem.
    Emília

    ResponderEliminar
  24. O sentido do equilibrio é essencial para o saudável percurso que se nos depara...há que saber como relativizar as situações, e preservar o que de bom surge em nossas vidas.

    Gostei muito do texto.
    Um excelente fim de semana
    Beijos ternos
    Margarida

    ResponderEliminar
  25. quando, quando, quando...É a palavra que deveria ser usada para recordar o que se fez, não para adiar o que se pretende fazer.
    Beijinho, amigas

    ResponderEliminar
  26. Olá Amigas

    Tem um selinho para vocês em meu blog.
    "FLORES DA AMIZADE", na barra lateral.
    Passem por lá, por favor.

    Um bom fim de semana

    Beijinhos

    Alvaro

    ResponderEliminar
  27. Oi Miguxa. Obrigada pela visita. É esse mesmo equilibrio que às vezes se torna difícil encontrar, o que faz com que nem sempre vivamos como deve ser. Um beijinho e até breve.

    ResponderEliminar
  28. Oi cantinhodacasa. O quando de facto não deveria ser usado no momento presente; as coisas são para serem feitas e vividas aqui e agora; não há que adiar nada, pois corre-se o risco de não se conseguir realizar. Um beijinho e obrigada
    Emília

    ResponderEliminar
  29. Obrigada, Alvaro pela visita e pela simpatia do selo. Iremos búscá-lo com certeza na próxima semana. Um beijo e tudo de bom
    Emília

    ResponderEliminar