domingo, 30 de maio de 2010

TALVEZ......






Talvez venha a envelhecer rápido demais, mas lutarei para que cada dia tenha valido a pena.

Talvez sofra grandes desilusões no decorrer da minha vida, mas farei que elas percam a importância ante os gestos de amor que encontrei.

Talvez não tenha força para realizar todos os meus sonhos, mas jamais me considerarei um derrotado.

Talvez um dia o Sol deixe de brilhar, mas banhar-me-ei na chuva.

Talvez algum dia sofra alguma injustiça, mas jamais assumirei o papel de vítima.

Talvez seja enganado inúmeras vezes, mas não deixarei de acreditar que alguém merece a minha confiança.

Talvez com o tempo perceba que cometi grandes erros, mas não desistirei de continuar o meu caminho.

Talvez perca grandes amizades, mas aprenderei que os verdadeiros amigos nunca serão perdidos.

Talvez hoje me sinta fraco, mas amanhã recomeçarei, mesmo que seja de forma diferente.

Talvez a vontade de abandonar tudo se torne a minha companhia, mas correrei atrás do que quero.

Talvez não seja o que gostaria de ser, mas passarei a admirar quem sou.

- Por fim saberei que mesmo com dúvidas, construirei uma vida melhor, pois não haverá nenhum "Talvez", mas a certeza que a minha vida valeu a pena e fiz o melhor que podia.



(autor desconhecido)


PS. Pois Amigos, este Talvez está vestido de Esperança e de muita Força! ~



Herminia

terça-feira, 25 de maio de 2010

GENTE HUMILDE - Chico Buarque






Tem certos dias
Em que eu penso em minha gente
E sinto assim
Todo o meu peito se apertar
Porque parece
Que acontece de repente
Como um desejo de eu viver
Sem me notar
Igual a tudo
Quando eu passo no subúrbio
Eu muito bem
Vindo de trem de algum lugar
E aí me dá
Como uma inveja dessa gente
Que vai em frente
Sem nem ter com quem contar

São casas simples
Com cadeiras na calçada
E na fachada
Escrito em cima que é um lar
Pela varanda
Flores tristes e baldias
Como a alegria
Que não tem onde encostar
E aí me dá uma tristeza
No meu peito
Feito um despeito
De eu não ter como lutar
E eu que não creio
Peço a Deus por minha gente
É gente humilde
Que vontade de chorar

A todos nós dá vontade de chorar!

Emília Pinto

quarta-feira, 19 de maio de 2010

ASSIM SE DÁ COR AO MUNDO!








"Dhaka é a capital do Bangladesh.


Dhaka Project, é uma ONG criada por uma portuguesa que tem ajudado a combater a extrema miséria que se vive nessa cidade. A RTP no programa " Em reportagem" apresentado dia 30 de Maio de 2007, após o Telejornal, deu a conhecer a obra que esta portuguesa está a levar a cabo.
O texto introdutório a esta peça, foi o seguinte:
"Maria do Céu da Conceição é uma portuguesa de 29 anos, hospedeira da Emirates, uma companhia aérea do Dubai. Numa das suas viagens, acabou por contactar com o Bangladesh e com a sua terrível pobreza. Nesse mesmo dia sentiu que podia ajudar e fundou, meses depois, o "Dhaka Project", uma invulgar obra de solidariedade que presta auxílio humanitário a mais de 600 crianças e respectivas famílias.Em menos de dois anos, e sem qualquer apoio institucional ou governamental, Maria lidera uma das 200 mil ONGs que funcionam no Bangladesh. Com o seu ordenado como hospedeira consegue pagar a 53 funcionários. Tudo o resto é feito com muita persistência, intuição e capacidade de mobilizar os outros para este projecto que é de caridade.É também graças à sua profissão, que a permite conhecer muita gente e viajar pelo mundo inteiro, como ao facto de morar no Dubai que, Maria, consegue angariar donativos suficientes para financiar o "Dhaka Project". Através dele centenas de crianças são alimentadas, vacinadas e vão à escola. Por sua vez, os pais recebem cursos de formação profissional que lhes possibilita, mais tarde, procurarem um emprego.Comparada com Madre Teresa de Calcutá, há até quem julgue que o seu espírito encarnou em Maria, mas a verdade é que nada lhe cai do céu. Enfrenta resistências diárias para conseguir desenvolver esta obra de caridade num país maioritariamente muçulmano e onde o papel da mulher continua a ser desvalorizado. Repartida entre a opulenta e luxuosa cidade do Dubai e a necessitada cidade de Daca, Maria do Céu construiu um pequeno oásis num dos países mais pobres do mundo"




in Shvoong


Pelo seu fabuloso trabalho a revista Emirates woman elegeu-a a mulher do ano no Dubai.

Com VONTADE consegue-se verdadeiros milagres!
Herminia

sexta-feira, 14 de maio de 2010

GRAAL - O que é?


Há alguns dias , ao ligar a minha televisão por volta das 19h, no canal 2 da RTP vi uma reportagem muito interessante sobre um projecto chamado SauDar - Saúde, Genero e Migrações que está ligado ao projecto Graal. Fiquei a pensar....por que será que este tipo de motícias só é dado nos horários em que pouca gente pode assistir televisão? Por que será que os meios de comunicação nos sobrecarregam com notícias sobre crise financeira, desastres, violência e muitas mais que só desprestigiam o ser humano? Por que não mostram o outro lado do Homem, aquele outro que é capaz de feitos maravilhosos, aquele outro que se entrega a ajudar os mais desfavorecidos, aquele outro que, mundo afora nos faz ter orgulho na raça humana? O horário de televisão considerado "nobre" seria muito mais digno desse nome se desse mais ênfase às boas notícias, aquelas que de facto enobrecem o ser humano, não acham?


"O Graal é um movimento internacional de mulheres motivadas pela procura espiritual e empenhadas na transformação do mundo numa comunidade global de justiça e paz, conforme o sentido simbólico da lenda que deu origem ao nome do movimento.

Fundado nos Holanda em 1921 por um grupo de estudantes cristãs que acreditaram ser necessário tornar visível e operacional a intervenção das mulheres na sociedade, o Graal espalhou-se pelos cinco continentes e cresceu em diversidade e em experiência multicultural.

Nos dezoito países onde o Graal está enraizado, as mulheres do Graal procuram construir uma cultura do cuidado, respondendo aos sinais e urgências de cada época, na luta pela igualdade para as mulheres, contra a pobreza e pela sustentabilidade do planeta. O Graal internacional tem estatuto consultivo na ONU e está representado na UNICEF.

O movimento do Graal chegou a Portugal em 1957. Constituiu-se como Associação de Carácter Social e Cultural em 1977, reconhecida como Pessoa Colectiva de Utilidade Pública em 1985."

in, Graal

"Nos 50 anos de experiência, dinamização e organização de iniciativas, o Graal em Portugal tem procurado proporcionar à sociedade portuguesa, e em particular às mulheres, contextos que promovam a sua capacidade de intervenção e o sentido de responsabilidade, incentivando a influência nas políticas e nos poderes instituídos."


in Agencia Ecclesia

SauDar saúde, género e migrações
"Projecto que se propõe a combater desigualdades no acesso e na prestação de serviços de saúde às populações imigrantes, muito especialmente às mulheres, através de uma lógica permanente de investigação-reflexão-acção, integrada e em rede com vários/as intervenientes-chave, imigrantes e instituições da região de Coimbra."

in SauDar

Felizmente, muitas outras iniciativas ligadas ao Graal existem aqui em Portugal; ficaria uma publicação muito extensa se falasse de todas, mas a todas eu deixo aqui o meu Muito Obrigada!

Emília Pinto

quarta-feira, 12 de maio de 2010

É caso para se dizer, que temos talento!

Não posso deixar de colocar este post...

A minha mãe esteve de parabéns ontem e como todos os anos a família junta-se.

Depois das velas apagadas deu-se inicio ao espectáculo...

Digam lá se ela não é fantástica?

video

POR AQUI...




Há pouco mais de uma hora foi o meu aniversário.
Não nasci em berço de ouro, mas nasci num berço ,que me deixou ver a claridade e o sol raiou e fez-me mulher.
Já foi há muitos muitos anos atràs, pisei um caminho ,que não foi muito facil, mas também não dá para muitas lamentações, alguns precalços, coisas da vida para as quais nunca estamos preparadas, mas com um FIM FELIZ.
Sei, que ainda sou precisa... dar colo às filhas e colinho à neta! .
Sei que amo e sei que sou amada!
Defeitos tenho, como todo o ser humano !
Sou normal... afinal!
Amigos também os conto com orgulho, escutam-me ,quando eu preciso.!
Por isso agradeço a todos, aqueles que me querem bem e que me ajudam a contornar certos pedregulhos , que sem contar caem no meu caminho!
Que Deus me abencoe!
AQUELE ABRAÇO ,contem comigo!

Herminia

sábado, 8 de maio de 2010

NENHUMA FLOR


Há muito, muito tempo, um príncipe de um grande país, em vésperas de ser coroado imperador, precisava, para cumprir a lei, de se casar.
Resolveu, então, escolher uma entre todas as raparigas da corte e do país. Fez, pois, anunciar que receberia numa celebração especial todas as pretendentes e que nessa altura lançaria um desafio.
Uma mulher, serva do palácio havia muitos anos, ouviu comentários acerca dos preparativos da festa e deixou cair uma lágrima. Conhecia bem o amor que a sua filha tinha pelo príncipe.
Quando, em casa, contou à filha a novidade, surpreendeu-se com a reacção.
– Minha filha querida, que vais lá fazer? Estarão presentes as mais belas e ricas raparigas da corte. Não transformes o teu sofrimento em loucura.
Mas a filha respondeu:
– Não, mãe, não sofro nem estou louca. Sei que jamais poderei ser a escolhida, mas assim terei oportunidade de ficar, pelo menos alguns momentos, perto do príncipe. E isso já me torna feliz.
Na noite marcada, chegou ao palácio. O brilho das luzes não conseguia ofuscar os vestidos, as jóias e os penteados das pretendentes.
O príncipe não demorou a lançar o desafio:
– Darei a cada uma de vós uma semente. Aquela que, dentro de seis meses, me trouxer a mais bela flor será minha esposa e a futura imperatriz.
O tempo passou. A nossa menina não tinha muita habilidade na arte da jardinagem, mas cuidava da sua semente com paciência e ternura. Sabia que, se a beleza da flor surgisse na mesma medida do seu amor, não precisaria de se preocupar com o resultado.
Mas passaram três meses e nada surgiu; seis meses, e a semente não se transformou em flor…
Mesmo assim a rapariga voltou ao palácio no dia combinado. Estava feliz com a perspectiva de passar mais alguns instantes na companhia do príncipe. Nada mais esperava. Chegou ao palácio com o vaso vazio…
Todas as outras raparigas apareceram com flores belíssimas, das mais variadas formas, cores e cheiros. O palácio transformara-se num imenso jardim.
Chegou finalmente o momento esperado. O príncipe passou junto de todas as pretendentes, observando com muito cuidado todas as flores. Quem o conhecia bem notou-lhe no olhar uma sombra de divertimento.
Por fim, anunciou que a sua futura esposa seria… a menina que não trazia flor.
Ora, isto provocou as mais variadas reacções de espanto. Por isso, o príncipe quis explicar a sua escolha:
– Esta menina foi a única que cultivou a flor que torna uma pessoa digna de se tornar imperatriz: a flor da honestidade. Porque todas as sementes que entreguei eram estéreis…
Paulo Geraldo
PS. AMIGOS : simplicidade e hosnestidade, que sejam sempre o lema das nossas vidas
Herminia.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

PARA REFLECTIR!





O pensamento abaixo foi ESCRITO POR ADRIAN ROGERS NO ANO DE 1931 !!!





"É impossível levar o pobre à prosperidade através de legislações que punem os ricos pela prosperidade.
Por cada pessoa que recebe sem trabalhar, outra pessoa deve trabalhar sem receber..
O governo não pode dar para alguém aquilo que não tira de outro alguém.
Quando metade da população entende a idéia de que não precisa trabalhar, pois a outra metade da população irá sustentá-la, e quando esta outra metade entende que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade, então chegamos ao começo do fim de uma nação.
É impossível multiplicar riqueza dividindo-a."

Adrian Rogers, 1931


Emília Pinto

domingo, 2 de maio de 2010

Comos surgiu o DIA DAS MÃES?




As mais antigas celebrações do Dia da Mãe remontam às comemorações primaveris da Grécia Antiga, em honra de

Rhea, mulher de Cronos e Mãe dos Deuses. Em Roma, as festas comemorativas do Dia da Mãe eram dedicadas a Cybele, a Mãe dos Deuses romanos, e as cerimónias em sua homenagem começaram por volta de 250 anos antes do nascimento de Cristo.

Durante o século XVII, a Inglaterra celebrava no 4º Domingo de Quaresma (40 dias antes da Páscoa) um dia chamado “Domingo da Mãe”, que pretendia homenagear todas as mães inglesas. Neste período, a maior parte da classe baixa inglesa trabalhava longe de casa e vivia com os patrões. No Domingo da Mãe, os servos tinham um dia de folga e eram encorajados a regressar a casa e passar esse dia com a sua mãe.


À medida que o Cristianismo se espalhou pela Europa passou a homenagear-se a “Igreja Mãe” – a força espiritual que lhes dava vida e os protegia do mal. Ao longo dos tempos a festa da Igreja foi-se confundindo com a celebração do Domingo da Mãe. As pessoas começaram a homenagear tanto as suas mães como a Igreja.

Nos Estados Unidos, a comemoração de um dia dedicado às mães foi sugerida pela primeira vez em 1872 por Julia Ward Howe e algumas apoiantes, que se uniram contra a crueldade da guerra e lutavam, principalmente, por um dia dedicado à paz.

A maioria das fontes é unânime acerca da ideia da criação de um Dia da Mãe. A ideia partiu de Anna Jarvis, que em 1904, quando a sua mãe morreu, chamou a atenção na igreja de Grafton para um dia especialmente dedicado a todas as mães. Três anos depois, a 10 de Maio de 1907, foi celebrado o primeiro Dia da Mãe, na igreja de Grafton, reunindo praticamente família e amigos. Nessa ocasião, a sra. Jarvis enviou para a igreja 500 cravos brancos, que deviam ser usados por todos, e que simbolizavam as virtudes da maternidade. Ao longo dos anos enviou mais de 10.000 cravos para a igreja de Grafton – encarnados para as mães ainda vivas e brancos para as já desaparecidas – e que são hoje considerados mundialmente como símbolos de pureza, força e resistência das mães.

Segundo Anna Jarvis seria objectivo deste dia tomarmos novas medidas para um pensamento mais activo sobre as nossas mães. Através de palavras, presentes, actos de afecto e de todas as maneiras possíveis deveríamos proporcionar-lhe prazer e trazer felicidade ao seu coração todos os dias, mantendo sempre na lembrança o Dia da Mãe.

Face à aceitação geral, a sra. Jarvis e os seus apoiantes começaram a escrever a pessoas influentes, como ministros, homens de negócios e políticos com o intuito de estabelecer um Dia da Mãe a nível nacional, o que daria às mães o justo estatuto de suporte da família e da nação.

in Mensagens virtuais



A todas as Mãe que nos visitam os nossos parabéns e um beijinho muito especial

Emília e Hermínia